DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Química > DQ - Comunicações >
 Efeito da adição de sesquiterpenóides e quitosana e aplicação de alta pressão hidrostática na proliferação de leveduras e actividade antioxidante de vinho branco
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/7708

title: Efeito da adição de sesquiterpenóides e quitosana e aplicação de alta pressão hidrostática na proliferação de leveduras e actividade antioxidante de vinho branco
authors: Nunes, C.
Rocha, S. M.
Saraiva, J. A.
Lopes da Silva, J. A.
Mendo, S.
Coimbra, M. A.
keywords: Sesquiterpenóides
Quitosana
Alta pressão hidrostática
Leveduras
Actividade antioxidante
Vinho branco
issue date: 2009
publisher: Universidade dos Açores, SPQ
abstract: A adição de sulfuroso nas diferentes etapas de vinificação tem por objectivo impedir o crescimento de microrganimos nocivos ao vinho, bem como actuar como antioxidante, mantendo as características sensoriais do vinho. Contudo, os produtores têm procurado reduzir a utilização de sulfuroso dada a sensibilidade alérgica a este composto por cerca de um terço dos consumidores. Neste trabalho foram testados diferentes tratamentos com o objectivo de desenvolver tecnologias para a substituição total ou parcial do sulfuroso adicionado na vinificação. Foram estudados três tratamentos diferentes em vinho branco de forma isolada e em combinação: adição de um sesquiterpenóide, adição de quitosana e a utilização da tecnologia de alta pressão hidrostática. Para fins de comparação, também foi preparado e analisado um vinho com sulfuroso e outro sem nenhum tipo de tratamento. Os vinhos tratados com quitosana e alta pressão, ao fim de um mês de armazenamento, ainda apresentavam ausência de leveduras. Contudo, no vinho sem tratamento e no vinho em que só foi adicionado o sesquiterpenóide verificou-se crescimento de leveduras (5x1 04-6x1 o4 UFCJmL). A actividade antioxidante foi superior no vinho branco tratado com o sesquiterpenóide (28%), quitosana (30%) e alta pressão (35%) em comparação com o vinho sem tratamento e com valores semelhantes ao vinho tratado com sulfuroso. Estes resultados preliminares mostram que a adição do sesquiterpenóide ou quitosana e a utilização da tecnologia de alta pressão, são tratamentos promissores como substituintes das propriedades de conservação conferidas pelo sulfuroso aos vinhos.
URI: http://hdl.handle.net/10773/7708
ISBN: 978-989-20-1532-3
publisher version/DOI: http://www.spq.pt/
source: 9º Encontro de Química de Alimentos: qualidade e sustentabilidade
appears in collectionsDQ - Comunicações

files in this item

file description sizeformat
12 Proc N 2009 9ºEQA Claudia.pdf3.51 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2