DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Dissertações de mestrado >
 Sono-vigília em crianças com e sem perturbações do espectro do autismo
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/1028

title: Sono-vigília em crianças com e sem perturbações do espectro do autismo
authors: Aparas, Tânia de Jesus
advisors: Gomes, Ana Allen
keywords: Psicologia do desenvolvimento
Perturbações do sono
Autismo
Síndroma de Asperger
Crianças em idade pré-escolar
issue date: 2008
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Este estudo tem por finalidade conhecer hábitos, comportamentos e problemas de sono em crianças de idade pré-escolar e escolar, Com e Sem Perturbações do Espectro do Autismo (PEA - inclui, neste estudo, a forma clássica de Autismo e o Síndrome de Asperger). Foi solicitado aos pais, de ambos os grupos de crianças, residentes na região centro do país, que preenchessem o Questionário sobre o Padrão Sono-Vigília de Crianças em idade escolar (PSVC) adapt. de Clemente e col. (1997). Deste estudo fizeram parte 309 crianças, 234 Sem PEA (119 rapazes e 115 raparigas) e 75 Com PEA (51 rapazes e 24 raparigas). As crianças foram agrupadas em duas faixas etárias: dos 3 aos 5 anos, compreendendo 54 Sem PEA (32 meninos e 22 meninas) e 27 Com PEA (19 meninos e 8 meninas); dos 6 aos 12 anos, compreendendo 180 Sem PEA (87 rapazes e 93 raparigas) e 48 Com PEA (32 rapazes e 16 raparigas). Em comparação com os grupos Sem PEA, nos grupos de crianças Com PEA revelou ser significativamente mais comum necessitar de luz acesa (6-12 anos), de algo especial e/ou da presença dos pais no quarto (meninos 3-5 anos) para adormecer, recusar ir para a cama à hora de deitar (meninos 3-5 anos; raparigas 6-12 anos), dificuldade em retomar, autonomamente, o sono (raparigas 6-12 anos), mas iniciar o sono na cama dos pais foi significativamente menos comum (rapazes 6-12 anos). Quanto a comportamentos nocturnos associados ao sono, nos grupos Com PEA encontraram-se, nos rapazes, mais sonambulismo (3-5 anos) e menos pesadelos (6-12 anos), nas raparigas, mais enurese nocturna (3-5 anos) e medo do escuro (6-12 anos). Crianças Com PEA acordam significativamente mais cedo ao fim-de-semana (6-12 anos), os rapazes Com PEA deitam-se mais tarde, aos fins-de-semana (3-5 anos) ou em dias de escola (6-12 anos), dormem menos horas por noite e acordam mais frequentemente de modo espontâneo. Quanto à percepção dos pais em relação aos problemas de sono dos seus filhos, não houve diferenças entre os grupos Com e Sem PEA. Contudo, nos rapazes, quer a toma de medicação para ajudar a dormir, quer a procura de ajuda por causa de dificuldades de sono, foram referidas exclusivamente pelos pais de crianças Com PEA (respectivamente, nas faixas dos 3-5 e dos 6-12 anos). Os presentes resultados podem ter importantes implicações para as estratégias de intervenção em crianças com perturbações do espectro do autismo.

The aim of the present study was to assess sleep-wake patterns in pre-school and primary school aged children, With and Without Autistic Spectrum Disorders (ASD – which include, in our study, children with Typical Autistic Disorder and with Asperger Syndrome). A previously validated parental questionnaire to assess the child sleep and waking behaviours (Child Sleep- Waking Questionnaire, adapt. Clemente, 1997), was answered by parents of both children groups. A total of 308 children were included in the study, 75 (51 boys, 24 girls) With and 234 (119 boys, 115 girls) Without ASD. Two age groups were considered: 3-5 year-old, 54 Without (32 boys, 22 girls), and 27 With (19 boys, 8 girls) ASD; 6-12 years-old children, 180 Without (87 boys, 93 girls) and 48 With (32 boys, 16 girls) ASD. In each gender and age group, children With and Without ASD were compared for sleep-wake variables, and several significant differences (p < .05) emerged. At bedtime, significantly higher percentages of children With ASD need lights on (6-12 yr), comforting activities/objects or the parents' presence in the room (3-5 yr boys) to fall asleep, show bedtime refusal (3-5 yr boys; 6-12 yr girls) and/or have difficulty in resumption sleep by their own (6-12 yr girls), but significantly less fall asleep in parents bed (6-12 yr boys). Boys With ASD show higher prevalence of sleepwalking (3-5 yr) and lower prevalence of nightmares (6-12 yr), and girls With ASD have higher prevalence of nocturnal enuresis and fear from darkness (6-12 yr), than children Without ASD of the same gender and age group. Children With ASD show significantly earlier rise times on weekends (6-12 yr), boys With ASD have later bedtimes, either on school nights (6-12 yr) or on weekends (3-5 yr), show shorter sleep length, and wake up spontaneously in the morning more often, than the ones Without ASD. Regarding the perception of a sleep problem, no significant differences were found among groups With / Without ASD. However, pills to promote sleep, and professional help seeking due to a sleep complaint, were both reported exclusively by parents of boys With ASD (3-5 yr and 6-12 yr age groups, respectively). These findings may have important implications to improve intervention strategies with children with autistic spectrum disorders.
description: Mestrado em Activação do Desenvolvimento Psicológico
URI: http://hdl.handle.net/10773/1028
appears in collectionsDE - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2009000947.pdf1.83 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2