Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/24625
Title: Characterization of fungal community associated with house dust
Other Titles: Caracterização da comunidade fúngica associada ao pó doméstic
Author: Amaro, Raquel do Nascimento
Advisor: Sousa, Ana Catarina Almeida
Barroso, Carlos Miguel Miguez
Keywords: Fungal community
House dust
Asthma
Indoor air quality
Defense Date: 28-Jun-2016
Abstract: With the increasing urbanization, the world population spends more and more time indoors, where exposure to contaminants inside buildings can be high. This scenario leads to a degradation of Indoor Air Quality (IAQ), which, in extreme cases, can lead to Sick Building Syndrome (SBS). Fungi can be found in all types of environments and the fungal community found inside buildings plays an essential role in the health of individuals that use these locations. Dust in particular, acts as a reservoir of all contaminants inside buildings, including fungi and can be used to characterize the indoor environment. The coexistence of individuals with the fungi in the interior of a building is not always beneficial to health. There are strong associations between the patients with respiratory allergies and sensitization to molds where the latter play an important role in the development, persistence and severity of the former. For this type of immunologically susceptible individuals, exposure to fungal contamination can trigger respiratory symptoms such as asthma. Thus, this work aims in a first stage to characterize the fungal community in house dust samples from houses built along different decades using different dust sampling procedures and in a second stage to characterize the fungal community in dust from the houses of asthmatic patients and respective controls in order to unravel possible associations. This work was divided into two key points: i) to identify the fungal community in house dust and its abundance ii) to associate the fungal genera found with the severity of asthma. The most abundant fungal genera found were Aspergillus, Penicillium, Cladosporium, Alternaria and yeast. As for the association to asthma exacerbations, no association was found. However, given the preliminary nature of point ii), a larger number of samples will be necessary in order to draw any robust conclusions
Com a crescente urbanização, a população mundial passa cada vez mais tempo no interior de edifícios, onde a exposição a contaminantes pode ser elevada. Este cenário leva a uma degradação da Qualidade do Ar Interior (QAI) que, em casos extremos, pode conduzir ao Síndrome do Edifício Doente (SED). É possível encontrar fungos em todo o tipo de ambientes e a comunidade fúngica encontrada no interior dos edifícios desempenha um papel essencial no estado de saúde dos indivíduos que frequentam esses locais. O pó em específico, atua como um reservatório de todos contaminantes presentes no interior dos edifícios, incluindo fungos, e pode ser utilizado para caracterizar o ambiente interior dos respetivos locais. A convivência dos indivíduos com os fungos no interior de um edifício nem sempre é benéfica para a saúde. Existe uma forte associação entre os pacientes com doenças respiratórias alérgicas e a sensibilização a fungos, onde os últimos desempenham um papel importante no desenvolvimento, persistência e gravidade das primeiras. Para este tipo de indivíduos imunologicamente sensíveis, a exposição à contaminação fúngica pode desencadear os sintomas respiratórios como a asma. Deste modo, este trabalho pretendeu numa 1ª fase caracterizar a comunidade fúngica do pó em ambiente doméstico de habitações construídas em diferentes décadas utilizando diferentes técnicas de amostragem de pó e numa 2ª fase caracterizar a comunidade fúngica presente em ambiente doméstico de doentes asmáticos e respetivos controlos por forma a avaliar possíveis associações. Este trabalho foi dividido em dois pontos fulcrais: i) identificar a comunidade fúngica no pó doméstico e a sua abundância ii) associar os géneros fúngicos encontrados com a severidade de asma. Os géneros fúngicos maioritariamente encontrados foram Aspergillus, Penicillium, Cladosporium, Alternaria e leveduras. Quanto à associação à exacerbação da asma, não foi encontrada nenhuma relação. No entanto, dada a natureza preliminar do ponto ii), será necessário um número maior de amostras, por forma a tirar conclusões mais robustas
URI: http://hdl.handle.net/10773/24625
Appears in Collections:DBio - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento.pdf965.21 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.