Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/21960
Title: PAH levels in parturient and newborns from Aveiro region, Portugal
Other Titles: Níveis de HAPs em parturientes e recém-nascidos da região de Aveiro, Portugal
Author: Fraga, Marta Pena Gil
Advisor: Loureiro, Susana Patrícia Mendes
Gravato, Carlos Alexandre Sarabando
Santos, Marta Sofia Soares Craveiro Alves Monteiro dos
Keywords: Gravidez - Patologias
Recém-nascidos - Patologias
Monitorização biológica
Hidrocarbonetos aromáticos policíclicos
Defense Date: 3-Jan-2018
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: Human exposure to polycyclic aromatic hydrocarbons (PAHs) can arise from forest fires, coal tar combustion, vehicle exhausts and tobacco smoke and can be critical in some residential and working areas. PAHs are considered a group of priority chemicals as they are carcinogenic, mutagenic and teratogenic. Therefore, is crucial to monitor and study human exposure to PAHs, namely during fetal development, which is considered a sensitive window of exposure to contaminants. In this context, the main objectives of this study were: (i) to assess maternal and fetal exposure to PAHs in parturient from the Aveiro region using samples of placenta and blood as biological matrices; (ii) to examine the influence of environmental, sociodemographic, lifestyle and smoking habits that may contribute to PAHs exposure during pregnancy in Aveiro region, Portugal. This study was performed in 49 mother/newborn pairs from Aveiro region. All the matrices sampled (placenta, umbilical cord blood and mothers’ blood) and information gathered was approved by Ethics Committee of Infante D. Pedro Hospital in Centro Hospitalar do Baixo Vouga, Aveiro and all the parturient previously signed an informed consent. A fluorescence spectrophotometer was used to quantify levels of PAHs (naphthalene, phenanthrene, pyrene and benzo[a]pyrene equivalents) in the tissues collected. In general, the studied group presented high levels of PAHs equivalents in the placenta (total homogenate fraction) and low levels in the umbilical cord blood. The low molecular weight PAHs (naphthalene and phenanthrene equivalents) measured in placenta presented higher levels than high molecular weight PAHs (pyrene and benzo[a]pyrene equivalents). Considering the county of residence, the highest PAHs levels in placenta were found in parturient from Aveiro, Ílhavo and Albergaria-a-Velha and the lowest in Águeda. Moreover, increased levels of naphthalene and phenanthrene equivalents were associated with mothers’ exposure to vehicle exhaust, while high levels of benzo[a]pyrene equivalents were associated with their exposure to tobacco smoke at work. The highest levels of naphthalene, phenanthrene and benzo[a]pyrene equivalents were found in homogenized placenta of mothers who smoked in the third trimester of pregnancy. No significant correlations were found between levels of PAHs equivalents present in biological tissues studied and anthropometric data of newborns, but in general, high PAHs levels were found in newborns groups with low weight, head circumference, and length. This work provided an overview of the PAHs levels on pregnant woman from the Aveiro district, identifying the main sources of exposure to PAHs. Furthermore, placenta do accumulate PAHs, but is not a complete barrier for those lipophilic compounds, since they seem to cross cell membranes reaching umbilical cord blood and potentially causing adverse effects in the newborns, such as, low weight, length and head circumference values, despite the lack of statistical significance.
A exposição humana a hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAPs) pode advir de fogos florestais, combustão proveniente do carvão para fazer alcatrão, fumo do tabaco e fumo proveniente de tráfego rodoviário, podendo torna-se crítica em algumas áreas de residência ou tipos de trabalho. Os HAPs são considerados um grupo de químicos prioritários uma vez que são carcinogénicos, mutagénicos e teratogénicos. Portanto, é crucial monitorizar e estudar a exposição de populações humanas a HAPs principalmente durante o desenvolvimento fetal, que é considerada uma fase maís sensível à exposição a contaminantes. Neste contexto os principais objetivos deste estudo foram: (1) avaliar a exposição de HAPs nas parturientes e recém-nascidos da região de Aveiro usando como matrizes biológicas sangue e placenta; (2) examinar a influência ambiental, dados sociodemográficos, estilo de vida e hábitos tabágicos que podem contribuir para a exposição dos HAPs durante a gravidez na região de Aveiro, Portugal. Neste estudo participaram 49 mães e recém-nascidos da região de Aveiro. A amostragem efetuada (placenta, sangue do cordão umbilical e sangue das parturientes) e informações recolhidas foram aprovadas pelo Comité de Ética do Hospital Infante D. Pedro do Centro Hospitalar Baixo Vouga, Aveiro e todas as parturientes assinaram previamente consentimento informado. Foi utilizada espectrofotometria de fluorescência para efetuar a quantificação dos HAPs (homólogos de naftaleno, fenantreno, pireno e benzo[a]pireno) nos tecidos recolhidos. Em geral o grupo estudado apresentou elevados níveis de HAPs na placenta (fração total homogeneizada) e os níveis mais baixos no sangue do cordão umbilical. Os HAPs de baixo peso molecular (homólogos de naftaleno e fenantreno) que foram medidos na placenta, apresentaram níveis mais elevados que os níveis de HAPs de elevado peso molecular (homólogos de pireno e benzo[a]pireno) encontrados na placenta. Considerando o local de residência, os níveis de HAPs mais elevados na placenta foram encontrados em parturientes que habitavam em Aveiro, Ílhavo e Albergaria-a-Velha e os níveis mais baixos em Águeda. Além disso, o aumento dos níveis de homólogos de naftaleno e fenantreno na placenta foram associados à exposição a fumo proveniente de tráfego rodoviário e os elevados níveis de benzo[a]pireno foram associados com a exposição a tabaco no trabalho. Os níveis mais elevados de homólogos de naftaleno, fenantreno e benzo[a]pireno foram encontrados na placenta (fracção homogeneizada total) de parturientes que fumaram no terceiro trimestre de gravidez. Não foram porém encontradas correlações significativas entre os níveis de HAPs e os dados antropométricos dos recém-nascidos, mas foram em geral encontradas elevadas concentrações de HAPs em recém-nascidos com menor peso, perímetro cefálico e comprimento. Este projeto permitiu obter uma visão geral dos níveis de HAPs em parturientes do distrito de Aveiro, identificando as principais fontes de exposição a HAPs. Para além disso, verificou-se que a placenta acumula HAPs, mas não funciona como uma barreira total a estes compostos, uma vez que estes conseguem alcançar o sangue do cordão umbilical, podendo como tal vir a causar efeitos adversos nos recém-nascidos.
Description: Mestrado em Toxicologia e Ecotoxicologia
URI: http://hdl.handle.net/10773/21960
Appears in Collections:DBio - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_MFraga.pdf1.87 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.