Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/21692
Title: Three essays on economics of innovation
Other Titles: Três ensaios em economia da inovação
Author: Dores, Joana Maria Costa Martins das
Keywords: Políticas públicas
Política pública - Portugal
Inovação - Empresas
Economia - Portugal - 2000-2015
Inovação - Universidades
Defense Date: 19-Jan-2017
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: O presente trabalho pretende contribuir para a literatura na economia e política de inovação no que se refere a comportamentos inovadores em contextos de ambientes macroeconómicos instáveis, práticas de abandono ou continuidade de atividades inovadoras, bem como recurso a importantes fontes de inovação. O trabalho encontra-se organizado em quatro capítulos. O primeiro capítulo procede a uma apresentação detalhada da base de dados – Community Innovation Survey (CIS) Portugal – utilizada nos capítulos subsequentes. A relevância de fazer desta o primeiro capítulo do presente trabalho prende-se com o facto de constituir este primeiro esforço em compilar e analisar temporalmente sob a forma de painel as diversas sessões do CIS realizados em Portugal. Este capítulo serve ainda para fornecer ao leitor uma visão da evolução temporal das atividades de inovação em Portugal nas últimas quase duas décadas, bem como da evolução dos seus fatores determinantes tal como identificados na literatura. Finalmente, são também apresentados e discutidos ao longo deste primeiro capítulo alguns importantes conceitos desenvolvidos na literatura da economia e política de inovação usados nos capítulos subsequentes. No segundo capítulo são utilizadas três sessões do CIS-Portugal, com estrutura em painel, para o teste e análise de importantes questões relacionadas com a persistência de atividades de inovação que têm sido colocadas na mais recente literatura que procura analisar o efeito de envolventes instáveis, como as decorrentes da crise internacional de 2008, nessas atividades. Os resultados obtidos permitem-nos rejeitar a hipótese tradicional de persistência, indicando-nos que a persistência nas atividades de inovação em contextos instáveis e de incerteza não podem ser desligados do perfil de comportamento inovador nem do tipo/vetor de inovação. No terceiro capítulo são utilizadas, também com estrutura em painel, as duas sessões do CIS-Portugal que incluem questões sobre barreiras à inovação para atualizar as determinantes do abandono destas atividades por parte das empresas portuguesas. A análise realizada neste capítulo permite-nos compreender melhor o perfil de persistência investigado no segundo capítulo. Entre outros, os resultados obtidos permitem-nos concluir que a dimensão das empresas bem como o acesso a fundos governamentais não têm papel relevante nesse abandono, mas que o nível de educação/qualificação da força de trabalho e as restrições financeiras (de tesouraria) exercem um papel significativo nas decisões de abandono das atividades de inovação das empresas portuguesas. De destacar que, e de forma contrária ao esperado e habitualmente reportado na literatura, os resultados aqui obtidos indicam-nos também que maior incerteza quanto às condições de procura no mercado reduz a probabilidade de abandono de atividades de inovação por parte das empresas. Ainda que inesperado, este resultado está em consonância com o perfil das empresas persistentes na inovação identificado no segundo capítulo desta dissertação, correspondendo este ao de empresas que encetam atividades de inovação em contextos instáveis, na decorrência de choques e adaptadas a novas condições envolventes. No quarto capítulo são utilizadas as três sessões do CIS-Portugal, usadas também no segundo capítulo, para analisar a importância das universidades como fontes de atividades de inovação pelas empresas portuguesas. Tendo verificado no capítulo anterior que as restrições financeiras são importantes determinantes do abandono das atividades de inovação, coloca-se a questão de saber se as empresas portuguesas recorrem ou percecionam as universidades como relevantes fontes de inovação uma vez que estas se constituem como importantes fontes relativamente pouco dispendiosas, e qual o perfil das empresas que o fazem. De entre os resultados obtidos, e controlando por outros fatores, destaca-se o facto de as empresas portuguesas que se percecionam a si próprias como inovadoras persistentes não atribuírem um papel relevante às universidades enquanto fonte de inovação. De certa forma, este resultado também se encontra em consonância com o perfil de persistência identificado no segundo capítulo, em que se verificam que a persistência nas atividades de inovação em Portugal é, em presentes contextos de incerteza, negativamente afetada por sucesso em atividade de inovação passadas. Assim, não vendo as universidades como relevantes, estas empresas limitam as suas próprias alternativas para fazer face a novos desafios e exigências dos mercados, quebrando o ciclo virtuoso de aprendizagem/acumulação conducente a mais atividade inovadora de sucesso. No seu conjunto, estes resultados constituem evidência empírica sólida justificativa da necessidade de se proceder a uma política efetiva de promoção de uma maior e estreita ligação entre o tecido empresarial e as Universidades Portuguesas como fator determinante do sucesso económico do país nos presentes contextos de incertezas económicas, sociais e políticas em que opera indeterminadamente.
The present work aims to contribute to the literature in economics and innovation policy in what concerns innovative behavior under unstable macroeconomic contexts, innovation abandon and continuity in innovation activities as well as the relevance of the innovation sources. < The present work is organized in four chapters. The first chapter presents a detailed analysis of the database – Community Innovation Survey (CIS) Portugal – used in the following chapters. The relevance of this analysis relies in the fact that it is the first effort to compile and analyse by means of a time series, using a panel the different CIS waves implemented in Portugal. This chapter will allow us to grasp a comprehensive view about the evolution of the innovative activities in Portugal during the last two decades, as well as the determinants identified in the literature. Finally, we present and discuss the major concepts presented in the literature and used in the following chapters. In the second chapter we will use three sessions of the CIS – Portugal, by constructing a panel, to test and analyse the relevant questions connected to innovation persistence recently posed in the literature which aims to analyse the effect of the international crisis of 2008 over these variables. The results allow us to reject the traditional hypothesis of the persistence, indicating that persistence in innovative activities under unstable contexts and uncertainty cannot be disconnected from the innovative profile, innovative behavior as well as innovation vector/innovation type. In the third chapter we will use, again by means of a panel, comprising two CIS waves (CIS – Portugal) questions concerning innovation abandon and the barriers to innovation. We aim at understanding the determinants of the abandon of the Portuguese firms. The analysis performed in this chapter allows us a better understanding in the persistence profile used in the second chapter. The results allow us to conclude that the dimension as well as the access to funds are not relevant to the abandon, although, education intensity and financial constraints are significant in the abandon decisions of the firms. Importantly and contrarily to what is expected and reported in the literature, the obtained results; higher uncertainty about demand conditions reduce the abandon probability. Despite being unexpected, this result goes along with innovation persistence found in the second chapter corresponding to firms that do perform innovation given the existence of exogenous shocks. In the fourth chapter we will use the three CIS waves from the CIS – Portugal, also used in the second chapter, to analyse the relevance of the universities as sources of innovation activities for the Portuguese firms. Having considered, in the former chapter that financial constraints are abandon determinants, one should ask the question if the Portuguese firms do rely on Universities or find them as being relevant for innovation given that they are determinant and not expensive, as well as the profile of the firms that use them. Among the obtained results we should underline the fat that Portuguese firms which consider themselves as being persistently innovative do not consider the Universities as a relevant source of innovation. To a certain extent, this result goes along with the persistence profile identified in the former chapter, and it is proved that persistence is negatively influenced by former innovation when considering unstable environments. Therefore, given that the firms do not consider the Universities as being a relevant source of innovation, these firms restrict their own choices to face the challenges of the markets, disrupting virtuous cycles of accumulation and feedback leading to more innovation in the future. As a whole, the results provide solid empirical evidence justifying the need to develop an effective policy to promote a larger and closer connection between firms and Universities as a determinant factors of the country economic success under the context of economic, social and political uncertainty in which it operates internationally.
Description: Doutoramento em Políticas Públicas
URI: http://hdl.handle.net/10773/21692
Appears in Collections:UA - Teses de doutoramento
DCSPT - Teses de doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese.pdf9.41 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.