Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/18664
Title: Gendering the tourism sector: women managers’ experiences in hotel and travel businesses in Portugal
Other Titles: Género e turismo: experiências de mulheres gestoras na indústria hoteleira e de viagens em Portugal
Author: Carvalho, Inês Cláudia Rijo de
Advisor: Costa, Carlos Manuel Martins da
Lykke, Nina
Torres, Anália Cardoso
Keywords: Turismo
Gestão do turismo - Mulheres - Portugal
Turismo - Liderança - Mulheres
Indústria hoteleira - Mulheres - Gestão de empresas
Defense Date: 2017
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: Esta tese tem como objetivo analisar em que medida as questões de género explicam os percursos profissionais de mulheres gestoras na área do turismo em Portugal. Os setores em análise são a hotelaria, agências de viagens e operadores turísticos. Esta é uma pesquisa baseada em métodos mistos, que inclui simultaneamente a análise quantitativa de bases de dados oficiais sobre o emprego no setor privado e a análise qualitativa de entrevistas com mulheres em posições de liderança nos setores investigados. Este estudo é ainda influenciado por teorias feministas sobre género, gestão e organizações. Na parte quantitativa do estudo, conclui-se que apesar de haver mais mulheres no setor do turismo, os homens predominam nas posições de topo e auferem salários mais elevados. A disparidade salarial de género aumenta com a educação e a hierarquia. Os resultados obtidos sugerem que a igualdade de género está ainda longe de ser uma realidade no setor do Turismo, em particular na hotelaria. Na parte qualitativa, o foco de análise são as experiências das mulheres gestoras com cargos de topo. É analisado o modo como as mulheres descrevem e interpretam as suas próprias carreiras, bem como em que medida as questões de género afetam as entrevistadas tanto na esfera organizacional como na esfera familiar. É ainda analisada a forma como estas mulheres respondem à “genderização” destes contextos, e como elas desafiam a “ordem de género” dominante em diferentes áreas da sua vida. Os resultados desta investigação sugerem que, embora o setor do turismo possa ser mais favorável às mulheres do que outros setores mais masculinizados, este reforça ainda estereótipos de género e padrões “genderizados” de emprego. As principais restrições parecem ser a noção masculinizada e abstrata de um trabalhador “ideal” sem responsabilidades na esfera familiar, a suposição de que as mulheres são menos competentes do que os homens, e as culturas organizacionais masculinas que se materializam na homossociabilidade masculina. As inquiridas são afetadas em diferentes graus pelos aspetos acima descritos, em função dos seguintes fatores: trabalhar por conta própria; ter filhos; dividir as tarefas com o parceiro; dispor de uma rede de apoio familiar para cuidado dos filhos; e existir uma “massa crítica” de mulheres em cargos de gestão nas suas organizações. As mulheres que atingiram posições de maior destaque em grandes empresas são as que percecionam maiores desigualdades de género, em comparação com aquelas que são empreendedoras no seu próprio negócio.
This research aims to analyse to what extent gendering processes explain women managers’ career and life paths in the tourism sector in Portugal. The subsectors analysed are hotel establishments, travel agencies and tour operators. It is a mixed methods research study that includes both the quantitative analysis of official personnel databases, and the qualitative analysis of interviews with women in leadership positions in the tourism sector (hotels and travel businesses). This study is influenced by a feminist perspective on gender, management and organisations, since it aims to produce ‘situated knowledge’ about women and their experiences, which can both raise awareness about persisting gender inequalities and inspire political action. In the quantitative study, it is concluded that despite there being more women working in the tourism sector, men prevail in top positions and earn higher salaries. The gender pay gap increases with education and hierarchy. There is evidence that tourism is far from being gender equal, in particular the hotel sector. In the qualitative study, the experience of women top-level managers is the focus of analysis. Women’s interpretations of their own career paths are analysed, as well as gendering processes affecting them in their organisations and in the family sphere. It is also analysed how women do and re-do gender in response to gendered contexts and gendering processes, and how this challenges the gender order in the different spheres of their lives The findings of this investigation suggest that, although the tourism sector may be more ‘women-friendly’ than some male-dominated sectors, it still reinforces gendered patterns of employment and gendered stereotypes. The main constraints seem to be the notion of the ‘abstract’ worker, the assumption that women are less competent than men, and masculine organisational cultures materialised in male homosocial ties. The extent to which women are affected by these constraints seems to be moderated by the following factors: working in their own businesses, being childless, splitting of tasks with the partner, existence of a network of support within the family and existence of a ‘critical mass of women’ in management positions in their organisations. Women who work for larger businesses and who have climbed to the top of their careers instead of becoming entrepreneurs see more inequalities in the tourism sector than entrepreneurial women.
Description: Doutoramento em Turismo
URI: http://hdl.handle.net/10773/18664
Appears in Collections:DEGEI - Teses de doutoramento
UA - Teses de doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Inês Carvalho.pdf11.02 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.