Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/16839
Title: Produção de Solea senegalensis em policultura com Dicentrarchus labrax e Sparus aurata em regime semi-intensivo
Author: Afonso, Christophe Avelar Castelejo Gonçalves
Advisor: Pacheco, Mário Guilherme Garcês
Serradeiro, Renata Maria Neto
Keywords: Biologia marinha
Aquacultura
Piscicultura
Linguados
Solea senegalensis
Defense Date: 2016
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: O linguado do Senegal (Solea senegalensis) apresenta um elevado valor comercial, sendo bastante procurado, não só nos mercados da Península Ibérica, mas também amplamente na Europa. Nos últimos 30 anos, atraiu importantes pesquisas e desenvolvimentos na metodologia de produção, bem como consideráveis investimentos, sendo uma das espécies que tem sido identificada com maior potencial e interesse comercial na aquacultura marinha. O presente estudo teve como objectivo geral a optimização de um protocolo de produção de S. senegalensis em regime semi-intensivo e em policultura com Sparus aurata (dourada) e/ou Dicentrarchus labrax (robalo), mantendo padrões de bem-estar animal elevados e avaliando a sua viabilidade. Foi ainda associado a este objectivo a utilização e rentabilização de lotes de alevins “cauda” (que em regime intensivo seriam eliminados) e a avaliação da possibilidade de obter um produto de elevada qualidade e valor comercial acrescido. Como objectivos específicos, o estudo pretendeu: identificar a melhor estratégia de policultura em termos de combinação de espécies; definir as densidades óptimas de linguado e da espécie de cultivo (robalo e/ou dourada); definir as épocas do ano ideais para a introdução do linguado; elucidar sobre o tipo de sedimento ideal para o crescimento de linguado e perceber a eventual influência da latitude da unidade de produção. Foram seleccionadas 4 pisciculturas - Riáqua (Aveiro), Nasharyba (Figueira da Foz), Aqualvor (Lavos) e Tideland 2000 (Aiamonte – sul de Espanha) - de acordo com uma distribuição geográfica (abarcando uma grande amplitude de condições ambientais) e representando contextos de produção diversos. O estudo abrangeu um período médio de 12 meses. De um modo geral, todos os tanques de todas as pisciculturas apresentaram crescimentos positivos (à excepção do tanque 9.1 da Tideland 2000), traduzindo uma boa adaptabilidade do linguado às condições impostas. Destacaram-se as pisciculturas Nasharyba e Aqualvor, que apresentaram os maiores valores médios de peso ganho (103 e 128g), taxa de crescimento específica (0,25 %/dia e 0,32 %/dia), factor de condição (1,54 e 1,56), e produtividade (0,127 g/m2/dia e 0,178 g/m2/dia), respectivamente. As análises comparativas intra- e inter-piscicultura permitiram apontar como vantajosa a presença de sedimento do tipo vasoso e a adopção de baixas densidades de linguado, embora todas as densidades testadas (0,01 - 0,04 kg/m3) se tenham mostrado viáveis. Foi possível perceber a ampla elasticidade do linguado relativamente às diferentes densidades utilizadas para a espécie em co-cultura (0,06 - 1,83 kg/m3), assim como a sua adaptabilidade a diferentes latitudes com as inerentes diferenças de parâmetros ambientais (ex. temperatura). Não foi encontrada uma estratégia explícita de policultura em termos de combinação de espécies. Contudo, foi possível verificar que quando uma piscicultura apresenta uma produção apenas ou maioritariamente de robalo, é de extrema importância optar por combinar uma percentagem adequada de dourada, pois impede o crescimento excessivo de macroalgas. Os resultados sugerem ainda como prática ideal a introdução de linguado em Novembro, usando alevins com peso médio inicial de 80 a 90 g. Independentemente dos condicionalismos encontrados, globalmente, os resultados obtidos contribuíram para construir as linhas gerais de um protocolo de produção de linguado do Senegal em regime semi-intensivo e em policultura com dourada e/ou robalo, demonstrando a sua viabilidade.
The Senegalese sole (Solea senegalensis) has a high commercial value and is very popular, not only in the Iberian Peninsula markets, but also widely in Europe. Over the past 30 years, it has attracted important research and developments in production methods and considerable investments, being one of the species that has been identified with the greatest potential and commercial interest in marine aquaculture. This study had as general objective optimizing a production protocol for S. senegalensis production in semi-intensive system and in polyculture with Sparus aurata (gilthead seabream) and/or Dicentrarchus labrax (European seabass), maintaining high animal welfare standards and assessing its viability. It was also associated with this objective the use and profitability of lots of fingerlings "tail" or slow growers (which are usually discarded) and the assessment of the possibility of obtaining a high quality product and commercial added value. As specific objectives, the study aimed to: identify the best polyculture strategy in terms of combination of species; define the optimal densities of sole and the main cultivation species (European seabass and/or gilthead seabream); set ideal season for the introduction of the sole; elucidate the type of sediment ideal for the growth of sole and assess the potential influence of the fish farming latitude. Four fish farms were selected - Riáqua (Aveiro), Nasharyba (Figueira da Foz), Aqualvor (Lavos) and Tideland 2000 (Ayamonte – Southern of Spain) - according to a geographical distribution (covering a wide range of environmental conditions) and representing several production contexts. The study covered an average duration of 12 months. In general, all tanks and all fish farms displayed a positive growth (except the tank 9.1 of Tideland 2000), reflecting a good adaptability of the sole to the tested conditions. The highlights were the Nasharyba and Aqualvor fish farms, which showed the highest average values of weight gain (103 and 128 g), specific growth rate (0.25%/day and 0.32%/day), condition factor (1.54 and 1.56) and productivity (0.127 g/m2/day and 0.178 g/m2/day), respectively. Comparisons within and between fish farms allowed to point out the beneficial effect of muddy sediments and the adoption of low sole densities, although the entire range tested (0.01 to 0.04 kg/m3) proved its viability. It was possible to identify the large elasticity of the sole in relation to different densities of the species used in co-culture (0.06 to 1.83 kg/m3) and its adaptability to different latitudes with the inherent differences on environmental parameters (e.g. temperature). There were no clear indications towards definition of the best species combination. However, it found that when a fish farm produces only (or mainly) European seabass, it is extremely important to include an appropriate percentage of gilthead seabream because it prevents excessive growth of macroalgae. The results suggest as ideal practice the introduction of sole in November, using fingerlings with average weight 80-90 g. Overall, regardless of the limitations identified, the results contributed to build the outline of a protocol for Senegalese sole production in semi-intensive system and in polyculture with gilthead seabream and/or European seabass, demonstrating its viability.
Description: Mestrado em Biologia Marinha
URI: http://hdl.handle.net/10773/16839
Appears in Collections:DBio - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação de mestrado de Christophe Afonso – 2016.pdf2.6 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.