Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/15588
Title: Efeito do autocriticismo na categorização de expressões faciais emocionais
Author: Domingues, Inês Sofia Gonçalves
Advisor: Soares, Sandra Cristina de Oliveira
Keywords: Psicologia forense
Psicologia da saúde
Expressão facial
Emoções
Desenvolvimento emocional
Psicologia do comportamento
Psicopatologia
Personalidade
Defense Date: 2015
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: O autocriticismo é uma forma de o indivíduo se avaliar e condenar a si próprio negativamente. A ativação e continuidade destes pensamentos aumenta a vulnerabilidade para a psicopatologia através de sentimentos como a derrota, a inferioridade, a subordinação, a rejeição, a vergonha e a ativação de comportamentos de defesa. O autocriticismo tem sido considerado um traço de personalidade associado a inúmeros comportamentos mal adaptativos. Vários estudos têm demonstrado que o processamento automático de sinais sociais ameaçadores contribui para a etiologia e manutenção de várias psicopatologias. Apesar de ser uma diferença individual que parece ser relevante no processamento de estímulos emocionais, o estudo de como os indivíduos autocríticos categorizam emoções nas expressões faciais nos outros é inexistente. Assim, o presente trabalho procura estudar o efeito do autocriticismo na categorização de expressões faciais emocionais, avaliando a proporção de respostas corretas e os níveis de morphing na categorização de emoções. A amostra foi constituída por sessenta estudantes universitários de ambos os sexos, distribuídos por dois grupos de acordo com a pontuação na Escala das Formas do Autocriticismo e Auto-Tranquilização que preenchiam. Assim, um grupo era constituído pelos indivíduos com baixos níveis de autocriticismo e o outro grupo era constituído pelos indivíduos com elevados níveis de autocriticismo. A tarefa consistiu na visualização de um vídeo com duração de 25s em que os participantes foram instruídos a carregar na barra de espaço e identificar a expressão emocional o mais rápido possível e que posteriormente selecionassem qual era a emoção apresentada no vídeo anterior. Cada uma das expressões emocionais apresentadas aumentava de intensidade à medida que o tempo ia passando. Os resultados evidenciaram um efeito de superioridade da alegria, ao verificar-se que os participantes cometeram menos erros e demoraram menos tempo a detetar a emoção de alegria. No entanto, no que diz respeito ao efeito principal de grupo e à interação deste com a emoção não se obtiveram diferenças significativas, quer na proporção de respostas corretas, quer nos níveis de morphing. Os resultados são congruentes com estudos que observam um efeito de superioridade da alegria, contudo mais estudos são necessários para explorar os vários fatores que contribuíram para a falta de mais resultados significativos na categorização de expressões faciais emocionais em função do autocriticismo.
Self criticism is the way the individuals assess and condemn themselves negatively. The activation and continuation of these thoughts increases vulnerability to psychopathology through feelings like defeat, inferiority, subordination, rejection, shame and activation of defensive behaviors. The self-criticism has been considered a personality trait associated with numerous maladaptive behaviors. Several studies have shown that the automatic processing threatening social signals contribute to the etiology and maintenance of various psychopathologies. Despite being an individual difference that seems to be relevant in the processing of emotional stimuli, the study of how self-critics categorize emotions in facial expressions in others doesn’t exist. The aim of this paper was to analyze the effect of self-criticism in the categorization of emotional facial expressions, evaluating the proportion of correct answers and the morphing levels in the categorization of emotions. Sixty college students of both genders were divided into two groups according to scores on the Forms Of Self Criticising & Self Reassuring scale. One of the groups was composed with patients with low levels of self-criticism and the other group was composed with patients with elevated levels of self-criticism. The task consisted of watching a video lasting 25s in which participants were instructed to press the space bar and identify the emotional expression as quickly as possible and then select what emotion was represented in the previous video. The intensity of the emotional expression was increasing as long as time passed. The results showed a happiness superiority effect, showing that the participants had less errors and took less time to sense the emotion of happiness. However, there wasn’t a significant effect for group and for the interaction neither in the proportions of correct answers neither in the levels of morphing. The results are consistent with studies that showed a superiority effect of happiness, but more studies are needed to explore the various factors that contributed to the lack of significant results in the categorization of emotional facial expressions related to self-criticism
Description: Mestrado em Psicologia da Saúde e Reabilitação Neuropsicológica
URI: http://hdl.handle.net/10773/15588
Appears in Collections:DEP - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Efeito do autocriticismo na categorização de expressões faciais emocionais.pdf949.81 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.