Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/13935
Title: A fase utópico-patriótica da poesia angolana (1965-1985)
Author: Brunetta, Silvia
Advisor: Rodrigues, Isabel Cristina
Laranjeira, José Luís
Keywords: Literatura
Literatura angolana
Poesia
Identidade nacional - Angola
Pós-colonialismo - Angola
Defense Date: 2014
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: O presente trabalho propõe-se analisar a poesia dos autores angolanos que publicaram entre 1965 e 1985, identificando este segmento temporal como uma fase literária da literatura angolana (designada como utópico-patriótica), a qual exprime os princípios anticoloniais e projeta um espaço utópico genuinamente angolano. Tendo em conta a evolução da literatura angolana, subjaz à produção poética dos autores estudados um certo sentido de continuidade, o qual, estimulado pela difusão do nacionalismo, passa pela poesia «da terra» dos mensageiros e continua com os versos encriptados e anticoloniais das décadas de 60 e 70. O espaço utópico projetado na primeira parte da fase utópico-patriótica encontra a sua possibilidade de concretização com a independência de Angola, em 1975, participando os escritores da construção do recém-nascido Estado-Nação. A produção poética da segunda parte da fase utópico-patriótica é, assim, caraterizada pela celebração dos heróis, na ótica de uma (re)perspetivação da história nacional. A partir de 1985, quando se torna evidente o falhanço da utopia, a poesia angolana ensaia um novo rumo pela mão da «geração das incertezas». Ao longo deste percurso, a poesia angolana publicada entre 1965 e 1985 representa um meio de consciencialização ético-política dos cidadãos e concorre para a construção da identidade político-literária da nação angolana, cuja legitimação decorre do processo de conquista da independência.
The main goal of this dissertation is to provide an analysis of the poetry and the poetic identity of the Angolan authors who published varied works between 1965 and 1985. This time frame is recognised as a literary phase designated as utopianpatriotic, a designation which encompasses the anti-colonial principles and projects a utopian space whose characteristics are genuinely Angolan. When analysing the evolution of Angolan literature, it is possible to perceive a continuity line on the poetry works of the studied authors, stimulated by the gradual spread of nationalism, which focuses firstly on the messengers’ poetry «of the earth» and then moves on to the encrypted and anti-colonial verses from the 60’s and 70’s. After the independence of Angola in 1975, the utopian space devised on the first part of the utopian-patriotic period gets its chance of fulfilment and the writers join in the foundation of the newly born nation. The poetical production of the second part of the utopian-patriotic phase is shaped by the acclaim of the heroes, within the scope of a (re)consideration of the national history. From 1985 onwards, when utopia clearly begins to fail, Angolan poetry seeks a new orientation, this time led by the «generation of uncertainty». Within this context of continuity, Angolan poetry published between 1965 and 1985 represents a way of raising selfconsciousness. Furthermore, it promotes the construction of a national identity, both on a literary and a political level, validated by the advent of independence.
Description: Doutoramento em Literatura
URI: http://hdl.handle.net/10773/13935
Appears in Collections:UA - Teses de doutoramento
DLC - Teses de doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese.pdftese1.68 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.