DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Dissertações de mestrado >
 O currículo no jardim de infância: as concepções e as práticas dos educadores
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8964

title: O currículo no jardim de infância: as concepções e as práticas dos educadores
authors: Trindade, Orlanda Maria Ferreira
advisors: Roldão, Maria do Céu Neves
keywords: Desenvolvimento dos currículos
Jardins de infância
Educadores de infância
Práticas educativas
issue date: 2002
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: O sentido do conceito de curríc ulo encontra múltiplos significados, como se pode inferir da análise de diversos autores neste campo. Esta questão é especialmente pertinente no que diz respeito à educação préescolar, nível de educação em que se verifica uma certa tensão entre o contributo da teorização das Ciências da Educação e a necessidade de levar em consideração outros aspectos pragmáticos relativos ao atendimento das crianças enquanto os pais trabalham. Face à ambiguidade que acompanha esta duplicidade de preocupações, procura-se com esta investigação contribuir para a clarificação da relevância, natureza e implicações do que se entende por currículo nesta primeira etapa da educação ao longo da vida, tal como é entendida e apropriada pelos profissionais. Assim, é objecto do presente trabalho estudar o currículo no jardim de infância centrado nas concepções e práticas de três educadoras de infância. A nossa reflexão é uma tentativa de compreensão da representação dos profissionais da educação pré-escolar quanto à construção e gestão do currículo, pretendendo-se aceder a relações que se possam estabelecer (ou não) entre juízos, hierarquias de valores e saberes de que são depositárias as educadoras em questão e as suas práticas reais. Valerá a pena referir que a análise das concepções e práticas das educadoras de infância foi realizada em referência a contributos teóricos vindos principalmente da Teoria do Desenvolvimento Curricular, da História da Educação, das Teorias da Formação de Professores e da Sociologia da Educação. Para a pesquisa desenvolvida, optou-se por uma abordagem qualitativa, de cariz interpretativo, que incorporasse a experiência das participantes, as suas práticas, crenças, sentimentos e percepções como enfoque privilegiado da investigação e interpretação. foram utilizados como instrumentos privilegiados as entrevistas semi-estruturadas e observação das práticas em sala de actividades. Neste estudo verificou-se que as práticas curriculares das educadoras de infância não são monolíticas, constituindo antes um domínio aberto que não apresenta normas de forma muito precisas e que, nessa medida, se pode falar de uma profissão criativa que está muito entregue à expressão de cada educadora de infância. No que diz respeito às suas funções sublinha-se o facto destas serem entendidas para além da dicotomia entre cuidar (care) e educação (education), abrangendo também dimensões de ordem ética e relacional. Nas práticas das educadoras pode ser encontrado um paralelismo com o conceito de bricolage utilizado por Hatton (1988, concebido por Lévi-Strauss, 1974), na medida em que as educadoras recorrem sobretudo ao exemplo de outros, ao seu julgamento subjectivo, a um estilo orientado por preocupações pragmáticas que servirão os seus propósitos, mais do que a teorias pedagógicas; ou seja, os seus critérios de decisão são mais pragmáticos do que informados por visões teóricas do seu trabalho. Os resultados permitem sublinhar que ainda persiste um entendimento restrito do conceito de avaliação, não surgindo referências explícitas dessa avaliação extensivas ao projecto educativo, espaços, materiais, experiências e actuação das próprias docentes. O jogo é destacado como actividade por excelência no J.I., mas surge matizado para simplificar procedimentos pedagógicos variados inseridos num "ofício de aluno". O debate sobre a função do jogo e da brincadeira nas instituições destinadas a crianças entre os três e os seis anos continua em aberto neste estudo, sendo de sublinhar as dissonâncias conceptuais quer entre adultos, quer entre adultos e crianças.

The concept of curriculum has multiple meanings, as can be inferred from various authors within the field. The curriculum issue is particularly pertinent to pre-school education, a level of education where tension can be found between Sciences of Education and the necessity of considering practical aspects related to the care of children when parents work. Facing the ambiguity related to the duplicity of this situation, this study aims at the clarification of the relevancy, nature and implications of what is understood as curriculum during the first educational stage of school system The objective of the present study is to analyze the curriculum as practiced at a daycare center, focusing on the concepts and practices of three pre-school teachers. This reflection attempts to better understand the role of pre-school professionals in the construction and administration of curriculum while attempting to establish (or not) a relationship between judgments, hierarchies of values and knowledge entrusted by the pre school teachers under analysis. The analysis of concepts and practices of these three teachers are essentially based on the theoretical contributes of Theory of Curriculum Development, History of Education, Theories of Teacher Education and Training and Sociology of Education. The research followed a qualitative approach, within an interpretative methodology, that incorporated the experience of the participants, their practices, beliefs, feelings and perceptions in relation with their actual practices This study confirms that curriculum practice of pre-school teachers is not monolithic but an open field that does not present rigid norms, so being, it is a creative profession entrusted to the skills of pre-school teachers. With respect to practices, it is understood that beyond a dichotomy between care and education it encompasses ethical and relational issues. In the practices of pre-school teachers one finds parallelism with the concept of “bricolage” used by Halton (1988, concept conceived by Lévi - Strauss in 1974), these teachers resort to examples/experiences of others, subjective judgments, to a style orientated by a pragmatic preoccupation that serves their purpose more that pedagogic theories, in other words, the criteria behind their decisions are more pragmatic that due to theoretical insight. The data indicates that a restricted understanding of the concept of evaluation still persists, having been their no explicit reference to extensive evaluation in the educational plan, space, materials, experiences and teacher practices. Games are the activity distinguished by excellence in pre-school; they arise as simplified pedagogic process that constitutes the “duty of a student”. The debate about the function of games and play in institutions destined for children between the ages of three and six remains open in this study, it is necessary to emphasize the conceptual dissonanc e between adults and adults.
description: Mestrado em Gestão Curricular
URI: http://hdl.handle.net/10773/8964
appears in collectionsDE - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2006005833.pdf12.31 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2