DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 Avaliação de novos fixadores em anatomia patológica
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8776

title: Avaliação de novos fixadores em anatomia patológica
authors: Pinto, Isabel Cristina Neves Vitó Bargueño
advisors: Soares, Paula
Pereira, Maria de Lourdes Gomes
keywords: Biologia molecular
Anatomia patológica
Fixação (Histologia)
Histoquímica
issue date: 2010
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Os eventuais efeitos nocivos para a saúde do Formol levaram ao desenvolvimento de novos fixadores para sua substituição. O presente trabalho propõe-se testar 2 desses novos fixadores ambientalmente menos perigosos, em Anatomia Patológica. Foram estudadas 63 amostras de tecidos, provenientes de 19 casos seguidos no hospital de S. João-Porto. sempre que possível foram estudados em cada caso fragmento de tecido normal e um fragmentos de tecido tumoral. Foram estudadas amostras de recto, útero, endométrio, prostata, estômago, intestino delgado, cólon, rim, vesícula biliar, mama, partes moles e tireoide tendo o processamento histológico sido executado nos fixadores Formaldeído tamponado a 4%, Finefix e RCL2. Após processamento, inclusão em parafina e corte, as amostras foram submetidas a técnicas de histoquímica (Hematolinina Eosina, PAS, PAS Após digestase, Orceína e Tricrómio Especial) e técnicas de imunohistoquímica (Desmina,Vimentina, P53, RE, Caderina, MIB, PSA, Tireoglobulina,CAM5.2, AE1AE3), Em termos de eficácia de actuação, os fixadores alcoolicos provocaram destruição tecidular, revelada principalmente pela técnica histoquímica PAS após digestase., e grande heterogeneidade (aferição da recuperação antigénica) em particular na imunocitoquimica. Estes resultados indicam que os novos fixadores apresentam limitações para aplicação de técnicas de histoquimica e imunocitoquimica, pelo que estudos adicionais de optimização são fundamentais para a sua introdução na rotina de laboratórios de Anatomia Patológica.

This study proposes to test new fasteners not as harmful to public health as Formaldehyde, and less environmentally hazardous, used in a laboratory of pathology. We studied 57 tissue samples from 19 cases followed at the hospital of S. João-Porto. Whenever possible in each case were studied fragment of normal tissue and tumor tissue fragments.. We studied samples from the rectum, uterus, endometrium, prostate, stomach, small intestine, colon, kidney, gallbladder, breast, thyroid and soft tissue with the histological processing was performed on the fasteners 4% buffered formaldehyde, and Finefix RCL2. After processing, embedded in paraffin and cut the samples were subjected to immunohistochemistry (Vimentin, P53, ER, Cadherin, MIB, PSA), histochemical techniques (Hematolinina Eosin, PAS, PAS after digestase, and Masson Orceine Special) In terms of effectiveness of action, the fasteners disclosed in particular in the IHC heterogeneity (measurement of antigen retrieval), caused tissue destruction, especially revealed by PAS histochemistry after digestase This results show that the fastenershave limitations for application in histoquemistry and immunohistochemistry. Adicional studies must be performed for introdution in praticein a laboratory of pathology.
description: Mestrado em Biologia Molecular e Celular
URI: http://hdl.handle.net/10773/8776
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
6215.pdf1.04 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2