DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 Respostas Aguda e Crónica de D. magna e D. longispina a Diclofenac
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/719

title: Respostas Aguda e Crónica de D. magna e D. longispina a Diclofenac
authors: Joaquim, João José Morais
advisors: Gonçalves, Fernando
keywords: Toxicologia
Medicamentos
Ecossistemas aquáticos
issue date: 2007
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: O consumo de produtos farmacêuticos é, nas sociedades actuais, uma realidade em crescimento, originada em diversos factores. Este continuo e crescente aumento de consumo induz, que cada vez mais, o ambiente e em particular os sistemas aquáticos, sejam o destino de resíduos farmacologicamente activos, sendo esta contaminação uma preocupação pela incorporação de substâncias nos ecossistemas que podem interferir em sistemas biológicos específicos. Neste sentido o presente trabalho teve como objectivo identificar e avaliar os efeitos produzidos pelo Diclofenac de Sódio, substância activa presente em diversos medicamentos (e.g., Voltaren® e Flameril®), em organismos aquáticos não-alvo. Para este efeito realizaram-se ensaios agudos e crónicos de cladóceros em que se compararam a espécie padrão – Daphnia magna – e autóctone – Daphnia longispina – para avaliação da sobrevivência, reprodução e crescimento. D. magna, nos teste agudos, apresenta maior tolerância ao Diclofenac (EC50 = 134.087 mg/L) existindo uma maior sensibilidade de D. longispina (EC50 = 35.353 mg/L). O Diclofenac afecta significativamente a fecundidade (LOEC=38.745 mg/L) de D. magna e o crescimento somático (LOEC=57.713 mg/L), na concentração mais alta. Para D. longispina os “endpoints” sub-letais significativamente afectados pelo Diclofenac foram a fecundidade (LOEC = 5.0 mg/L), e a maturação (LOEC = 2.5 mg/L). Nos testes crónicos foi ainda possível observar uma inibição significativa, em ambas as espécies, no número e tamanho dos neonatos, na primeira ninhada. Diclofenac, como substância activa com efeito farmacológico em humanos, inibe de uma maneira geral a sobrevivência, a reprodução e o crescimento das espécies de cladóceros testados neste estudo – D. magna e D. longispina. Contudo, as concentrações utilizadas para produzir quer os efeitos agudos quer os efeitos crónicos são superiores às concentrações normalmente detectadas em meios aquáticos. Em conclusão, o Diclofenac afecta D. longispina em “endpoints” individuais (fecundidade e maturação), em oposição a D. magna, foi significativamente afectada na fecundidade e no crescimento somático, ao nível da concentração mais alta, utilizada no teste.

Consumption of pharmaceutical products is, in our societies, a reality in growth, originated in several factors. This continues increase in consumption induces, more and more, that the environment and in matter, the aquatic systems are the destiny of active pharmacological residues, being this contamination a concern for the incorporation of substances in the environment that can interfere in specific biological systems. In this sense the present work had as objective to identify and to evaluate the effects produced by Diclofenac Sodium, active substance present in several medicines (e.g. Voltaren® and Flameril®), in non-target aquatic organisms. For this goal we realize acute and chronic tests with cladocerans and in that we have compared the survival, reproduction and growth of Daphnia magna (a standard species) and Daphnia longispina (an autochthonous species). Diclofenac, are effective in the survivorship and reproduction of the two cladoceran species used in this study – D. magna and D. longispina. D. magna seems to be more tolerant to acute toxicity (EC50 = 134.087 mg/L) and we found more sensibility to Diclofenac in D. longispina (EC50 = 35.353 mg/L). Diclofenac significantly affected the fecundity (LOEC=38.745 mg/L) of D. magna and the somatic growth rate (LOEC=57.713 mg/L), at the last concentration tested. For D. longispina the sublethal endpoints significantly affected by Diclofenac was fecundity (LOEC = 5.0 mg/L), maturation (LOEC = 2.5 mg/L). In addition, in the chronic exposure, the number and size of neonates of first brood are also impaired, in both species. Diclofenac, as an active substance with pharmacological effect for humans, generally impairs in the survivorship, reproduction and growth of the cladoceran species used in this study – D. magna and D. longispina. However, the concentration levels used to produce these effects in acute and chronic tests are much higher, if we compare with the concentration levels detected in the aquatic environment. In conclusion, Diclofenac affect more D. longispina at individual-level endpoints (fecundity and maturation), in opposite to D. magna, where fecundity is impaired and the somatic growth rate is slightly, but significantly affected in the last concentration tested.
description: Mestrado em Toxicologia
URI: http://hdl.handle.net/10773/719
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado
PT Mar - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2008000335.pdf790.75 kBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2