DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 As comunidades macrobentónicas da Lagoa de Óbidos : 1984 versus 2002
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/718

title: As comunidades macrobentónicas da Lagoa de Óbidos : 1984 versus 2002
authors: Pereira, Fábio Miguel da Silva
advisors: Rodrigues, Ana Maria de Jesus
keywords: Biologia aquática
Macrofauna bentónica
Lagoas costeiras
Indicadores biológicos
Gradientes ambientais
issue date: 2006
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Em 2002, a Lagoa de Óbidos foi alvo de uma campanha de amostragens destinada a actualizar a base de dados sedimentar e faunística dos sedimentos superficiais deste sistema costeiro português. Os dados granulométricos mostraram que mais de 60% dos fundos são constituídos por vasas, nomeadamente nas áreas central e interna da Lagoa, enquanto que os sedimentos arenosos médios a grosseiros dominam as áreas mais externas, de maior influência marinha e de maior hidrodinamismo. Os 52397 indivíduos colhidos estão distribuídos por 219 taxa macrobentónicos distintos, característicos das lagoas atlânticas e mediterrâneas. A análise univariável mostrou que a riqueza específica foi superior nos locais mais abrigados, junto à entrada da Lagoa, onde a influência marinha é mais importante, mas também na parte central da mesma, onde se desenvolve uma comunidade caracteristicamente lagunar. Por sua vez, a abundância e a biomassa mostraram valores superiores junto das margens vasosas do corpo lagunar. Quatro espécies ocorreram em mais de metade dos locais amostrados (Corophium acherusicum, Heteromastus filiformis, Hydrobia cf ulvae e Tubificoides benedeni) e em conjunto perfazem mais de 55% da abundância total. As 24 espécies mais abundantes (cerca de 10% do total) atingem mais de 88% da abundância total, um possível sinal da maturidade da comunidade lagunar em causa. Em ambos os períodos de amostragem, os detritívoros e os carnívoros representam cerca de 60% e 2%, respectivamente, do número de indivíduos; os filtradores em 1984 atingiram os 32% e em 2002 apenas 18%; os herbívoros são representados com 6% em 1984 e 20% em 2002. Em 2002, a análise de classificação identificou sete grupos faunísticos, cuja sequência espacial, essencialmente ao longo do eixo longitudinal, é evidenciada pela análise de ordenação. Os grupos posicionam-se em 4 áreas principais: marinha, lagunar central, lagunar marginal e lagunar continental. Na avaliação da qualidade ambiental foram comparados três índices distintos: H’, W e AMBI. Verificou-se que para este sistema, os dois primeiros não são adequados, pelo menos nas escalas propostas pelos autores, uma vez que subestimam a qualidade ambiental. O AMBI revelou ser mais adequado, uma vez que revela uma maior concordância com os gradientes sedimentares e biológicos identificados. Neste estudo, foram observadas algumas alterações nos padrões sedimentares e macrobentónicos, relativamente à campanha de 1984. Estas diferenças são possivelmente explicadas pelas diversas alterações hidrológicas sofridas por esta laguna no decurso destes anos, o que se mostra conforme a reconhecida sensibilidade destes sistemas costeiros. Com este estudo pretende-se, assim, caracterizar o actual estado da Lagoa de Óbidos. ABSTRACT: In 2002, a quantitative survey based on 107 faunal and sedimentary samples provided additional benthic and sedimentological data for the assessment of biossedimentary gradients in the lagoon of Obidos, a shallow system located on the central western coast of Portugal. Sediment grain size distribution showed that ≈60% of the sediment were muds, restricted to the central and inner zones of the lagoon, while coarse and medium sand sediments dominated the outer unstable marine-influenced areas. Macrobenthic samples provided 52397 individuals, distributed among 219 taxa, characteristic from Atlantic and Mediterranean lagoons. The univariate analysis showed that species richness was higher in the sampling stations near the entrance of the lagoon, which were more sheltered and there is an important marine influence; and in the central part of the lagoon, where there is a developed characteristic lagoon assemblage. Nevertheless, faunal abundance and biomass were higher in the inner muddy margins of the lagoon. Four species occurred at more than 50% of the sampling stations (Heteromastus filiformis, Corophium acherusicum, Hydrobia cf ulvae and Tubificoides benedeni), and account for 55% of the total abundance. However, more than 88% of the total abundance is due to a small number of species (24, ≈10% of the total), possibly due to the maturity of the lagoonal community. Detritivores and carnivores present, respectively, 60% and 2% of the total abundance, at both surveys (1984 and 2002). But concerning filter feeding species, there is a decrease from 32% in 1984 to 18% in 2002. In the other hand, herbivores increase their contribution to the total abundance, presenting 20% in 2002, instead of the 6% observed in 1984. In 2002, cluster analysis identified seven distinct faunal groups. These groups are reinforced by ordination analysis, which unveil a longitudinal spatial sequence. The groups are positioned in 4 main areas: marine, central part of the lagoon, margin of the lagoon, continental part of the lagoon. To evaluate the environmental quality of the lagoon three different indices were used: H’, W and AMBI. For the Óbidos lagoon, the present work shows that H’ and W are not adequate, at least in the scales proposed by the authors, as they underestimate environmental quality. AMBI shows up as the most effective, as it reveals a higher concordance with the identified sedimentary and biological gradients. The macrobenthic communities and the sediment analysis provided by the present work present different patterns from the data from 1984. The differences are probably due to several hydrological changes that took place since 1984, reflecting the sensitivity of coastal lagoons, vastly reported in the literature The present work aims to characterise the lagoon of Óbidos, particularly emphasizing its current status and its evolution.
description: Mestrado em Ciências das Zonas Costeiras
URI: http://hdl.handle.net/10773/718
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado
PT Mar - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2008000099.pdf5.33 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2