DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Dissertações de mestrado >
 Morte e cuidar em ambiente hospitalar : como lidar com a morte do outro
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/4750

title: Morte e cuidar em ambiente hospitalar : como lidar com a morte do outro
authors: Lopes, Ana Carina dos Santos
advisors: Rodrigues, Manuel Fernando Ferreira
keywords: Ciências da educação
Morte
Tratamento paliativo
Luto
issue date: 2010
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Com este trabalho procurámos caracterizar e reflectir sobre a(s) forma(s) como é vivenciada a morte e o cuidar da pessoa em fim de vida, entre os profissionais de saúde em ambiente hospitalar. Começamos por apresentar uma visão sintética das várias perspectivas culturais, científicas e religiosas de encarar a morte, abordando as suas modificações ao longo dos tempos. Focamos, depois, o cuidar na doença e na morte do doente, enfatizando o seu impacto na pessoa, na família e nos próprios profissionais que cuidam. Por fim, o estudo é complementado e enriquecido com as reflexões e opiniões de profissionais de saúde muito qualificados. Metodologicamente, trata-se de um estudo qualitativo de abordagem fenomenológica, recorrendo à entrevista semi-estruturada de sete profissionais de saúde experientes na matéria de cuidar de pessoas em fim de vida (dois médicos, dois enfermeiros, um psiquiatra, um psicólogo e um padre). Os participantes reflectem frequentemente sobre a inevitabilidade das suas mortes e dos seus familiares, mostrando uma aceitação “natural” da mesma. Mas no tocante aos cuidados, todos salientaram a importância de se acompanhar a pessoa de forma a dar resposta a todas as dependências físicas, biológicas e relacionais. Os sentimentos vivenciados ao cuidar de uma pessoa em fim de vida são a felicidade, a realização pessoal, a curiosidade e o mistério. Estes sentimentos fazem com que a pessoa seja tratada com solidariedade, proximidade e respeito na sua aproximação à morte. Os sentimentos de tristeza, impotência, angústia, ansiedade, revolta e distanciamento emocional estão associados à dificuldade em se lidar com subjectividade e a individualidade da pessoa, com o cenário de sofrimento e com o modo de organização de trabalho estabelecido pelas instituições de saúde. As grandes necessidades situam-se ao nível do planeamento de intervenções diferenciadas de apoio, de formação, de reconhecimento, de valorização e de incremento de competências nos profissionais de saúde e na sociedade, de forma a melhorar o cuidarem de doente em fim de vida. Ao longo do nosso trabalho foi possível concluir que todos os profissionais de saúde devem consciencializar-se de que, para a prestação de melhores cuidados, é necessário o investimento na formação pré e pós-graduada, como na formação contínua, que deverá ser feita em serviço. É ainda urgente a introdução da educação para a morte, de forma transversal, desde o primeiro ciclo, com o intuito de integrar a morte na formação de pessoas responsáveis e tolerantes. A nível organizacional, é imperativa a revisão dos factores determinantes dos índices de produtividade, para que sejam contemplados o tempo despendido e o modo como se cuida da pessoa hospitalizada. A organização de trabalho deverá estar assente numa multidisciplinaridade efectiva. Torna-se ainda necessário organizar melhor os cuidados paliativos, criando mais unidades de internamento e domiciliárias estruturadas para a prestação de cuidados em fim de vida, de forma a combater as carências actuais.

With this study we’re trying to characterize and reflect about the way death is experienced by health professionals at the hospital. And also how they take care of people at the end of their lives. We start by presenting a concise overview of the various perspectives to facing death like cultural, scientific and religious, talking about their changes over time. After that we focus the care in illness and in patients death, emphasizing its impact on the person, family and health professionals. To conclude, the study is complemented and enriched by the highly skilled health professionals’ thoughts and opinions. Methodologically, this is a qualitative study of the phenomenological approach, using semi-structured interviews of seven health professionals experienced in the field of caring for end-of-life (two doctors, two nurses, a psychiatrist, a psychologist and a priest). Participants often refer about their reflection to the inevitability of their deaths and about the death of their relatives, accepting death as something “natural”. But regarding the health care, all participants referred how is important to monitor the person in order to meet all their physical, biological and relational dependencies. The feelings experienced when caring for a person in the end of her life are happiness, personal fulfillment, curiosity and mystery. These feelings make people to be treated with sympathy, closeness and respect on their approach to death. Sadness, helplessness, anxiety and anger are associated to difficulty in dealing with person’s subjectivity and individuality, the suffering and the way work is organized has established by health institutions. The big needs are concentrated around the planning of the distinguished support interventions, the training, the recognition, the value and the increasement of health professionals competences and the society so the patient could receive the best treatment Throughout our work we concluded that all health professionals need to invest in post graduate training in order to provide better care. It is also important to educate people to face death since middle school with the purpose to integrate it within people's life. At the organizational level, it is important to review the productivity indicators so the expendable time and the way people are treated can be considered. Work organization should be based on an effective multidisciplinarity. Its yet necessary to better organize the palliative care, creating more wards and home structures to provide health care in dying patients, to fight the actual needs.
description: Mestrado em Ciências da Educação - Formação Pessoal e Social
URI: http://hdl.handle.net/10773/4750
appears in collectionsDE - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2010000818.pdf1.17 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2