DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Comunicação e Arte > DECA - Teses de doutoramento >
 Representações do masculino e do feminino na sinalética
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/3620

title: Representações do masculino e do feminino na sinalética
authors: Bessa, José Pedro Barbosa Gonçalves de
advisors: Lopes, Maria da Conceição de Oliveira
keywords: Design
Informação visual
Sinalética - Feminino
Sinalética - Masculino
issue date: 2005
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: O presente estudo propõe-se reflectir sobre o modo como a pictografia utilizada na moderna sinalética, longe de constituir (assim o apregoava o optimismo modernista dos anos 50 e 60) uma espécie de "linguagem universal", intuitiva e de reconhecimento imediato, antes apresenta, pelo contrário, enquanto forma de comunicação, algumas importantes limitações. Não só a pictografia sinalética, não tem um alcance universal - até porque historicamente situada, como qualquer outra linguagem, num contexto cultural preciso (neste caso o do Ocidente), mas a sua própria pretensão “universalista”, obrigando a um elevado grau de redundância na transmissão da mensagem, predispõe ao uso empobrecedor da caricatura e do estereótipo, como formas de comunicar. Acresce que as características do médium ou do processo representativo gráfico, espartilhado na tradicional dialéctica entre enfatismo e exclusão, são igualmente propensas à reprodução de estereótipos socioculturais, e.g. de género. Verifica-se ainda o uso sistemático do falso neutro, ou masculino genérico: a frequência de ocorrência de representações masculinas é muito superior às femininas, sendo aquelas utilizadas para ilustrar o conceito de “pessoas (usuários) em geral”. Esta área cada vez mais importante do design de comunicação, supostamente empenhada na procura de uma linguagem informativa neutra de alcance o mais universal possível, compreende assim uma componente ideológica, possivelmente inelutável mas que é importante compreender e documentar. Na primeira parte da presente tese são examinadas as origens históricas da sinalização e sinalética modernas, bem como os pressupostos teóricos que lhe estiveram/estão subjacentes; já na segunda parte, uma análise de conteúdo, quantitativa e qualitativa, a 49 programas de sinalética (perfazendo um total de 2 848 pictogramas e sinais) conclui da subrepresentação do elemento feminino, bem como do seu estatuto de forma "marcada", relativamente ao masculino.

The study intends to reflect upon the way pictography, as used in modern signage, far from being (as it was said to be, during the modernist optimism of the 50’s and 60’s) a sort of "universal", intuitive language, on the contrary seems to have some limitations as a communication form. Not only signage pictography does not have an universal reach - once it is, as every other language, historically located in a particular cultural context (i.e. the West), but its own "universalistic" pretensions, demanding high degrees of redundancy in message transmission, tends to lead into the defective use of caricature and stereotype, as communication forms. Moreover, the characteristics of the medium and the graphic representative process, trapped in a traditional dialectic between emphasis and exclusion, equally dictate this reproduction of socio-cultural, e.g. gender, stereotypes. One also finds the systematic use of the generic male form, or false neuter: frequency of occurrence of masculine representations is very superior to feminine ones, those being used to represent people in general. Thus, this more and more important area graphic design, allegedly concerned only with the quest for a neutral, informative, as universal as possible language, has its ideological moment, ineluctable perhaps but one which is important to understand and to document. Part I of this dissertation examines the origin and history of road signs and modern wayfinding as well as the theoretical principles that underlie them. Part II develops a contents analysis of 49 signage systems (2 808 pictograms and signs on the whole) reaching to the conclusion that the female gender is underrepresented, and also functions as a “marked form", in relation to the male gender.
description: Doutoramento em Design
URI: http://hdl.handle.net/10773/3620
appears in collectionsDECA - Teses de doutoramento
UA - Teses de doutoramento

files in this item

file description sizeformat
736.pdf11.4 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2