DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Química > DQ - Dissertações de mestrado >
 Impacto da obesidade no sistema cardiovascular: papel regulador da atividade física
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/19149

title: Impacto da obesidade no sistema cardiovascular: papel regulador da atividade física
other titles: Obesity impact on the cardiovascular system: regulatory role of physical activity
authors: Cabral, Vanessa Mariana Melo
advisors: Ribeiro, Fernando Manuel Tavares da Silva
Gonçalves, Daniel Moreira
Ferreira, Rita Maria Pinho
keywords: Obesidade
Doenças cardiovasculares
Exercício físico
issue date: 2015
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A prevenção e tratamento da obesidade constituem um dos maiores desafios de saúde pública do século XXI. Uma das estratégias que tem sido indicada para modular a obesidade é a prática de exercício físico, dado que reduz a gordura corporal e tem impacto benéfico sobre o sistema cardiovascular. No entanto, os mecanismos moleculares subjacentes permanecem pouco conhecidos. Assim o presente trabalho teve como principal objetivo avaliar o papel do exercício físico na obesidade e no risco de doenças cardiovasculares associadas a esta condição pela análise integrada de hormonas envolvidas na regulação do apetite e mediadores inflamatórios. Nesse sentido, utilizou-se um modelo animal de ratos ZSF1 magros e obesos, em que um grupo de animais obesos foi submetido a um protocolo de exercício físico em tapete rolante durante 4 semanas, 1h/dia a uma velocidade de 15m/min. Os resultados não evidenciaram alterações significativas do peso corporal e da massa do músculo gastrocnemius e do coração induzidas pelo exercício físico nos animais obesos. O exercício físico também não modulou significativamente os níveis plasmáticos de colesterol total nem de triacilglicerídeos, apesar de ter contrariado a diminuição dos níveis da lípase HSL observada em animais obesos. Os níveis das hormonas envolvidas na regulação do apetite, adiponectina, leptina e grelina também não foram modulados pelo exercício físico em obesos. O efeito benéfico do exercício físico foi evidenciado sobretudo pela modulação dos níveis da citocina pró-inflamatória IL-6, em níveis significativamente mais elevados em animais obesos sedentários, e da miocina irisina, detetada em níveis significativamente mais baixos nestes animais. Esta miocina parece modular a atividade do tecido adiposo e do músculo cardíaco, tendo-lhe sido atribuído um papel cardioprotetor. Os resultados sugerem que exercício físico pode constituir uma abordagem terapêutica para a obesidade e doenças cardiovasculares associadas atendendo ao seu papel anti-inflamatório e cardioprotetor.

The prevention and treatment of obesity is one of the greatest public health challenges of the twenty-first century. One of the therapeutic strategies that has been indicated for the prevention and control of obesity is exercise training, since it reduces body fat and has a beneficial impact on the cardiovascular system. However, the underlying molecular mechanisms remains largely unknown. Thereby, this study aimed to evaluate the role of exercise training in obesity and in the risk of related cardiovascular diseases through the integrated analysis of hormones involved in the control of appetite and mediators of inflammation. In this sense, we used an animal model ZSF1 of lean and obese rats. A group of obese animals was subjected to treadmill exercise for 4 weeks at a speed of 15m/min, 1hour/day. Our results showed no significant alterations of body weight, gastrocnemius muscle mass and heart weight upon exercise training. The significantly higher plasmatic levels of total cholesterol and triacylglycerides observed in obese rats were not modulated by exercise training, contrary to the decrease of HSL lipase levels observed in obese animals. Concomitantly, we did not observed significant alterations of the levels of the hormones involved in the regulation of appetite, such as adiponectin, leptin and ghrelin promoted by lifestyle. The beneficial effect of exercise training was mainly noticed in the regulation of the pro-inflammatory cytokine IL-6, which was significantly higher levels in sedentary obese rats, and of the myokine irisin that was in significantly lower levels in the plasma of these animals. This myokine seems to modulate not only the adipose tissue but also heart remodelling, having been assigned to irisin a cardioprotective role. Taken together, the results suggest that exercise training might be seen as a therapeutic approach for the management of obesity and related cardiovascular diseases, given its anti-inflammatory and cardioprotector effect.
description: Mestrado em Bioquímica
URI: http://hdl.handle.net/10773/19149
appears in collectionsDQ - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
Dissertação.pdf1.19 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2