DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Teses de doutoramento >
 Organização do texto argumentativo escrito em ambiente de b-learning
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/1473

title: Organização do texto argumentativo escrito em ambiente de b-learning
authors: Pinho, Anabela de Sousa de
advisors: Pereira, Maria Luisa Álvares
keywords: Didáctica
Textos arumentativos
Redacção de trabalhos científicos
issue date: 2008
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Partindo de uma questão central, «Quais as estratégias que os estudantes mobilizam e as dificuldades que sentem ao organizar, com base na tomada de notas, o texto argumentativo escrito?», e assente no construtivismo e no trabalho colaborativo on-line em pares (díades), principalmente, o presente estudo propõe-se verificar o modo e as dificuldades com que dezasseis estudantes do 3º ano da Licenciatura em Ensino Básico – 1º Ciclo da Universidade de Aveiro trabalham, em ambiente de b-Learning, o texto argumentativo escrito, ao nível da leitura, selecção e organização da informação. Procura-se, ao mesmo tempo, apurar o contributo prestado, nesse âmbito, pelo Scale (complementado, nalgumas das tarefas propostas, pelo Blackboard), plataforma desenvolvida e concebida, especificamente, para o apoio à aprendizagem colaborativa da competência argumentativa. Fomentaram-se, para isso, diversas actividades: (i) debates on-line em pares (ii) representações esquemáticas on-line de diagramas argumentativos individuais e (iii) anotação e produção da escrita argumentativa individual offline, antes e depois do trabalho empírico. Para a análise e discussão dos resultados, foram analisados os registos online relativos aos diagramas argumentativos e às interacções produzidas pelos alunos, assim como todas as produções escritas individuais. Foram ainda analisadas as respostas aos questionários, preenchidos à entrada e à saída da experiência, referentes às percepções e atitudes dos alunos face às TIC, leitura, anotação e escrita, nomeadamente da textualidade argumentativa. Sendo a tomada de notas uma espécie de “texto” intermédio/utilitário entre o texto-fonte (texto lido) e o texto-alvo (produções escritas), a sua análise contemplou não só a forma como foi lida e seleccionada a informação, como ainda o modo como esta, depois de organizada, foi reutilizada/integrada na produção escrita solicitada (artigo de opinião). Obtidos, principalmente, a partir dos escritos produzidos e dos logs, os resultados obtidos apontam para um conjunto de potencialidades do Scale, ao nível da reflexão, metacognição e organização do texto argumentativo escrito, sobretudo, ao mesmo tempo que debelam uma série de dificuldades dos alunos, no que se refere à leitura, selecção e organização desse tipo de texto, nomeadamente de síntese, de crítica, de estruturação de informação e distanciamento do texto lido. Essas mesmas lacunas são visíveis através de tomadas de notas, de um modo geral, pouco sistemáticas e demasiado decalcadas do texto-fonte, e, por isso, pouco comunicativas e/ou reutilizáveis, a mais médio ou longo prazo, pelo anotador, com tudo o que isso poderá implicar de negativo, ao nível da apropriação do saber. Apesar de a maioria dos alunos ter aderido bem à plataforma Scale e ao trabalho colaborativo on-line, não se registaram, ao contrário do previsto inicialmente, diferenças significativas entre o desempenho on-line e o desempenho off-line, tendo a qualidade dos escritos sido, pois, muito semelhante, à entrada e à saída do trabalho empírico. A julgar por alguns dos resultados obtidos, o Scale parece, no entanto, ter contribuído para uma aprendizagem mais esclarecedora do texto argumentativo escrito (graças, em parte, às interacções verbais que proporcionou no Chat livre), tendo possibilitado, simultaneamente, uma reflexão e consciencialização mais aprofundadas, ao nível da sua organização, pela esquematização de alguns dos elementos constitutivos do texto argumentativo escrito a que a ferramenta Grapher obriga. Além disso, as ferramentas Scale usadas parecem ter, de certo modo, influído positivamente nas atitudes assumidas pelos alunos relativamente a algumas das capacidades de escrita e de argumentação, antes e depois do trabalho desenvolvido. O trabalho colaborativo e as interacções on-line no Scale poderão, assim, ser um bom complemento às actividades presenciais, uma vez que podem facilitar e potenciar a organização do texto argumentativo e, logo, ajudar na sua aprendizagem. Face às inúmeras dificuldades diagnosticadas, no âmbito da escrita, em termos mais gerais, e do manuseamento e organização dos elementos constitutivos do texto argumentativo escrito, mais concretamente, a necessidade de implementar uma didáctica da escrita no ensino superior, com vista a combater o fracasso de um número cada vez mais crescente de estudantes, parece urgente.

Based on a central question, “What are the strategies students use and what are the difficulties they feel when they organize, through note-taking, writing argumentative text?”, this study lean on the constructivism and on-line collaborative work in pairs (dyads), mainly. We propose to observe the way and the difficulties through which sixteen students of the University of Aveiro, attending the third year of the first cycle teaching university’s degree, work the writing argumentative text at the level, essentially, of the reading, selection and organization of its information, in a b- Learning environment. We try, at the same time, to evaluate Scale’s contribution (assisted by Blackboard in some of the proposed activities), platform built and developed, specially, to support the collaborative learning of the argumentative competences. For that, we have implemented some activities: (i) on-line debates on pairs (ii) on-line graphic individual representation of argumentative maps, in diagrams (iii) individual taking notes and writing productions in an off-line environment. For the compilation and discussion of the results, we analyzed the students’ on-line argumentative diagrams and interactions, as well as their individual written productions (taking notes and opinion articles). We also analyzed the questionnaires they answered, before and after the empirical work, regarding their attitudes towards ICT, reading, annotation and writing texts, including argumentative texts. Given that note-taking is a kind of an intermediate/utilitarian “text” between source text (reading texts) and target text (writing productions), its analysis involved not only the way information was read and selected, but also the way it was (re)used/integrated in the writing production demanded (article of opinion). Obtained, mainly, from writings produced and logs, results reflect some potentialities of the Scale concerning reflection, meta-cognition and organization of argumentative writing text. Results express, at the same time, students’ difficulties in the reading, selection and organization of this kind of text, principally in the synthesis, criticism, information’s structure and distance. All these difficulties are visible through non systematic and too much transferred note-taking from the source text, and, consequently, non communicative and/or reusable, in a more medium or longer term, by the annotator with all the consequences that it can bring at the level of knowledge appropriation. In spite of the adhesion of the greatest part of students to Scale’s platform and on-line collaborative work, we didn’t observe, contrary to our initial expectations, significant differences between on-line and off-line performances, writings being very similar, before and after the empirical work. According to some results, Scale seems, however, to have contributed to a better writing argumentative text’s apprenticeship (thanks, in part, to the platform’s free chat), allowing, at the same time, a deeper reflection and consciousness concerning its own organization, due to Grapher’s schematization. Scale seems, too, to have positively influenced students’ attitudes relating to some writing and argumentation capacities, after the work was done. Collaborative work and on-line interactions in Scale can be a good complement to the face-to-face activities, because it can facilitate and stimulate argumentative writing text and, consequently, a better learning of this kind of text, as the results seem to prove. In the presence of all the difficulties diagnosed relating to writing, more generally, and the handling and organization of the argumentative text, in a more specific way, it seems urgent to implement a didactic of the writing at higher education, in order to fight against an increasing students’ lack of success.
description: Doutoramento em Didáctica
URI: http://hdl.handle.net/10773/1473
appears in collectionsUA - Teses de doutoramento
DE - Teses de doutoramento

files in this item

file description sizeformat
2009000491.pdf38.19 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2