DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Dissertações de mestrado >
 Do «ler, escrever e contar» à literacia: desafios e representações
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/10003

title: Do «ler, escrever e contar» à literacia: desafios e representações
authors: Lopes, Carla Alexandra Magalhães
advisors: Meireles-Coelho, Carlos
keywords: Ciências da educação
Ensino da leitura
Ensino da escrita
Ensino básico 1º ciclo - Aveiro (Portugal)
Papel dos professores
issue date: 2012
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Título completo: Do «ler, escrever e contar» à literacia: desafios e representações dos docentes do nível 1 do Quadro Europeu de Qualificações No início da escolaridade tem-se ensinado a ler, escrever e contar mas há quem pretenda que as crianças aprendam não só os conhecimentos que lhes são transmitidos como a aplicá-los, não só a resolver equações mas a saber formular problemas e a resolvê-los em contexto real. Quais são as orientações (inter)nacionais relativamente à alfabetização formal e à literacia? O processo de ensino-aprendizagem é centrado no docente ou no aluno? O que se avalia e como se avalia na educação básica? Com que desafios se depara o sistema educativo português para desenvolver competências em literacias? No nível 1 centra-se o ensino no programa escolar ou desenvolve-se o currículo a partir dos conhecimentos, experiências, necessidades, aptidões e competências dos alunos? Faz-se a síntese da evolução do pensamento atual sobre alfabetização formal e literacia, focando-se alguns desafios com que são confrontados os docentes dos primeiros anos de escolaridade (nível 1 do QEQ). Analisa-se em estudo de caso, nas escolas integradas no âmbito geográfico dos Quadros de Zona Pedagógica de Aveiro e de Entre Douro e Vouga, as representações dos docentes acerca da literacia, bem como a sua aplicação pedagógica e as dificuldades sentidas na sua operacionalização concreta no nível 1.Usa-se o inquérito por questionário para a recolha destes dados. «Ler, escrever e contar» tem estado mais ligado à técnica da leitura formal e dos conteúdos transmitidos pelo docente do que ao desenvolvimento de competências em literacias. A literacia, como o modelo inovador, tal como é definido pela OECD/OCDE (2011), exige o desenvolvimento de competências a partir da experiência de cada aluno para que este tenha a capacidade de as aplicar aos contextos reais para a resolução de problemas emergentes do quotidiano. As escolas de nível 1 deparam-se com novos desafios: transformarem-se em centros locais de aprendizagem (EU, 2000: n.º 26) para desenvolverem aprendizagens significativas centradas no aluno, com base em experiências em literacias em leitura, matemática e ciências (e outras), através de processos de aprendizagem que estimulem uma educação permanente e inclusiva, assente na aprendizagem de técnicas e processos necessários à vida quotidiana atual e futura – literacia – com recurso a estratégias adequadas e suportadas por técnicas e materiais diversificados, inovadores e ajustados às reais necessidades e experiências efetivas de cada aluno. Identificam-se as representações que os docentes têm sobre as atividades de aprendizagem, materiais e avaliação mais eficazes no desenvolvimento das competências que o aluno necessita de desenvolver ao longo do nível 1. Os docentes de nível 1 em início e no final da carreira e os que possuem menos habilitações literárias estão mais associados ao ensino do programa escolar e à alfabetização formal; a literacia aparece mais associada aos docentes jovens, que já passaram o período probatório (tendência que começa a diminuir a partir dos 15 anos de serviço), e aos que têm uma pós-graduação.

Full title: From «reading, writing and counting» to literacy: challenges and representations from teachers of level 1 of the European Qualifications Framework At the beginning of schooling it has been usual to teach how to read, write and count but some argue that children should learn not only the knowledge transmitted to them but also how to apply them, not only to solve equations but knowing to formulate problems and solve them in a real context. What are the (inter)national guidelines concerning formal alphabetization and literacy? The teaching-learning process is focused on the teacher or on the student? What is assessed and how it is assessed in basic education? What are the challenges the Portuguese education system is faced with in order to develop skills in literacy? In level 1, teaching is focused on syllabus or the curriculum is developed starting from knowledge, experiences, needs, aptitudes and skills of the students? A synthesis of the evolution of current thinking about literacy and formal alphabetization is made, focusing some of the challenges primary education teachers (EQF level 1) are confronted with. It is analyzed in a case study, on schools integrated within the geographic area of Quadros de Zona Pedagógica de Aveiro and Entre Douro e Vouga, the teachers' representations about literacy, as well as their pedagogical application and the difficulties felt in their concrete operationalization in level 1. A questionnaire survey is used to collect these data. «Reading, writing and counting» has been more linked to formal reading technique and to teacher's transmitted contents than to the development of skills in literacy. Literacy, defined by the OECD (2011) as the innovative model, requires the development of skills starting from the experience of each student so that he has the ability to apply them to real contexts to solve everyday emerging problems. Level 1 schools are faced with new challenges: transform themselves into local learning centres (EU, 2000: n. º 26) to develop student-centred meaningful learning, based on experiences in literacy in reading, math and sciences (and others), through learning processes that foster a lifelong and inclusive education, based on learning the techniques and processes necessary for current and future daily life – literacy – using appropriate strategies and supported by diverse and innovative techniques and materials adjusted to each student's real needs and effective experiences. The teachers’ representations about learning activities, materials and assessment methods, more effective in developing the skills the student needs to develop over level 1, are identified. Level 1 teachers, which are beginning or ending their careers, as well as those with fewer qualifications, are more associated with teaching the syllabus and with formal alphabetization; whereas literacy appears more closely associated with young teachers, who have passed the probationary period (this trend starts to decrease after 15 years of service), and with those having a graduate degree.
description: Mestrado em Ciências da Educação - Formação Pessoal e Social
URI: http://hdl.handle.net/10773/10003
appears in collectionsDE - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
tese_CarlaLopes.pdf2.04 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2