Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/33475
Title: Essays on renewable energy communities
Other Titles: Ensaios sobre comunidades de energia renováveis
Author: Soeiro, Susana Teixeira
Advisor: Ferreira Dias, Marta
Keywords: Renewable energy community
European Union
Renewable energy
Motivations
Energy legislation
Citizen energy communities
Portugal
Spain
Participation
Benefits
Drivers
Energy transition
Renewable energy cooperatives
Participation
Social economy
Sustainability
Defense Date: 25-Jan-2022
Abstract: Environmental and economic trends of the last decades have forced the world to urgently rethink current energy markets and energy supply. Thus, a deeper study on Renewable Energy Communities (REC) is a recent and emerging concern due to their relevant role in some energy markets and, in some cases, their key role in the future. This new generation of citizen intervention presents itself to democratize the energy sector in all its phases, from production to supply. Community energy represents a legal form of business present throughout the world and throughout the economy, namely in agriculture, finance, general consumption, and industrial production, albeit on a smaller scale. According to the Cooperative Alliance (ICA), the definition is clear. The objectives of this business model are to increase member participation and governance to a new level; position community energy as sustainability builders, build the community energy message and ensure community identity, ensure legal structures to support community growth and secure reliable community capital, ensure member control. It is often argued that laws and regulations raise various restrictions on REC. Therefore, renewable energy development should be supported by public policy, in all European countries. The development of REC’s does not appear to be the same in all member states. Moreover, its development even seems to be different, and depending on the European country. In Southern European countries, which do not have a tradition of green energy dissemination, show a lower development of REC’s. So, through a questionnaire addressed to participants in REC’s and a questionnaire addressed to the general population, it is intended to study and better understand what citizens' energy initiatives are, their main characteristics, benefits, barriers, and the motivations of individuals who participate in them. Citizen participation is a crucial point for the development of communities. The main motivation for participation seems to be concern about environmental and climate impacts. We also observe that, in these communities, trust is pointed out as important for the development of any RE project. As for the benefits, the results lead to significant insights: firstly, it is mentioned by the survey participants that the environmental benefits outweigh the financial ones when creating and developing REC’s. Secondly, it is significant to highlight that the benefits and impacts that RECs bring to the regions where they are created are perceived as essential. On the barriers, environmental policies and costs are among the barriers that are most pointed out to the adoption and development of REC’s. Finally, it has been shown that there is a disparity between the countries of Southern Europe and those of Northern Europe, this difference being justified by economic and environmental factors and the legislative framework. In short, REC’s are significant for the energy transition and should be supported by European governments and by national and European policies.
As tendências ambientais e económicas das últimas décadas forçaram o mundo a repensar urgentemente os mercados energéticos atuais e a oferta de energia. Assim, um estudo mais aprofundado sobre a Comunidades de Energia Renováveis (CER) é uma preocupação recente e emergente devido ao seu papel relevante em alguns mercados energéticos e, em alguns casos, pelo seu papel-chave no futuro. Esta nova geração de intervenção cidadã apresenta-se como uma forma de democratizar o sector energético em todas as suas fases, desde a produção até ao abastecimento. A energia comunitária representa uma forma jurídica de negócio presente em todo o mundo e em toda a economia, nomeadamente na agricultura, nas finanças, no consumo geral, e na produção industrial, ainda que em menor escala. De acordo com a Aliança Cooperativa (ICA), a definição é clara. Os objetivos deste modelo empresarial são o aumento da participação dos seus membros e a governação para um novo nível; posicionar a energia comunitária como construtores de sustentabilidade, construir a mensagem energética comunitária e assegurar a identidade comunitária, assegurar estruturas legais para apoiar o crescimento da comunidade e garantir capital comunitário fiável, assegurar o controlo dos membros. Argumenta-se frequentemente que as leis e regulamentos levantam várias restrições à CER. Por conseguinte, o desenvolvimento das energias renováveis deve ser apoiado por políticas públicas, em todos os países europeus. O desenvolvimento das CER não aparenta ser o mesmo em todos os estados-membros. Além disso, o seu desenvolvimento parece mesmo ser diferente, e dependendo do país europeu. Nos países do sul da Europa, que não têm uma tradição de disseminação de energia verde, mostram um desenvolvimento inferior de CER. Então através de um questionário dirigido aos participantes nas CER e um questionário dirigido à população em geral, pretende-se estudar e compreender melhor quais são as iniciativas energéticas dos cidadãos, as suas principais características, benefícios, barreiras e as motivações dos indivíduos que nelas participam. A participação dos cidadãos é um ponto crucial para o desenvolvimento das comunidades. A principal motivação para a participação parece ser a preocupação com os impactos ambientais e climáticos. Observamos também que, nestas comunidades, a confiança é apontada como importante para o desenvolvimento de qualquer projeto RE. Quanto aos benefícios, os resultados conduzem a importantes perceções: em primeiro lugar, é mencionado, pelos participantes no survey, que os benefícios ambientais superam os financeiros ao criar e desenvolver CER's. Em segundo lugar, é importante destacar que os benefícios e impactos que as CER trazem para as regiões onde são criadas são percecionados como essenciais. Sobre as barreiras, as políticas ambientais e os custos são das barreiras que mais são apontadas à adoção e ao desenvolvimento das CER. Finalmente, mostrou-se a existência de uma disparidade entre os países do sul da Europa e os do norte da Europa, justificando-se essa diferença por fatores económicos, ambientais e pelo quadro legislativo. Em suma, as CER mostram-se importantes para a transição energética, devendo ser apoiada pelos governos europeus e pelas políticas nacionais e europeias.
URI: http://hdl.handle.net/10773/33475
Appears in Collections:UA - Teses de doutoramento
DEGEIT - Teses de doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento_Susana_Teixeira_Soeiro.pdf6.65 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.