Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/33264
Title: NIC 36: impacto da pandemia Covid-19 na quantia recuperável das aeronaves no setor da aviação comercial europeu
Author: Pimenta, Filippe Borges
Advisor: Alves, Sandra
Keywords: Imparidade de ativos
NIC 36
Covid-19
Aeronaves
Aviação
Taxa de desconto
Air France-KLM
IAG
Lufthansa
Ryanair
Defense Date: 17-Dec-2021
Abstract: O ano de 2020 vai ficar marcado na história pela pandemia causada pela Covid-19. O alto índice de transmissão da doença afetou a maioria das economias a nível mundial, particularmente, o setor da aviação. O receio da população em viajar acrescido às medidas de confinamento impostas por governos e ao encerramento de fronteiras, resultou num cenário temporário de aeronaves inoperacionais. Como consequência, enquanto algumas companhias aéreas decretaram falência, outras encontraram-se completamente dependentes de ajudas financeiras do Estado como forma de ultrapassar a crise que se desenhava. Todas as dificuldades enfrentadas resultaram num prejuízo estimado, a nível mundial, para o setor em cerca de aproximadamente US$ 118,5 bilhões (IATA, 2020). Tendo em conta que a atividade principal das companhias aéreas só é possível decorrer através do uso de suas aeronaves, o objetivo do presente estudo consistiu em estimar, com base na Norma Internacional de Contabilidade n.º 36 – Imparidade de ativos, a quantia recuperável destes ativos do setor da aviação comercial europeu. Para este fim, aplicou-se uma metodologia que teve em consideração uma amostra, nomeadamente os Grupos Air France-KLM, IAG, Lufthansa e Ryanair, para as quais foi aplicada a abordagem dos Fluxos de Caixa Esperados, calculando o valor presente através de uma taxa de desconto. Para este efeito, foi apurado o Custo Médio Ponderado de Capital. O presente estudo teve em consideração dois cenários distintos, sendo um mais provável, onde a recuperação do setor ocorrerá no ano de 2024, e um segundo menos provável, onde a recuperação ocorrerá em 2027. Os pressupostos considerados na presente dissertação permitiram concluir que os Grupos Lufthansa e Ryanair não indicam qualquer perda por imparidade a ser reconhecida nas contas a findar em 31.12.2021. Para o Grupo IAG, concluímos que poderá ocorrer uma reversão da perda por imparidade reconhecida em 2020. Por fim, para o Grupo Air France-KLM, verificámos a necessidade de reforçar a perda por imparidade a qual ascenderia aproximadamente a 674M€.
The year of 2020 will be marked in history by the pandemic caused by the Covid-19 outbreak. Worldwide economies and markets have been affected by the consequences of the highly transmissible disease, particularly the aviation segment. The fear of the population to travel combined with the imposed restrictions taken by the governments to contain the spread of the contamination, such as lockdowns and borders closures, have resulted in aircrafts becoming temporarily inoperable. As a result, while many airlines went bankrupted, other became dependent of State rescue loans as the only way to turnaround and survive the crisis. The estimated losses of US$ 118,5 billion (IATA, 2020) worldwide have hit the sector due to the unprecedent market turbulence. Considering that the main activity of airlines is only possible through their aircrafts, the objective of this study consists in estimating, based on International Accounting Standard n.º 36 – Impairment of Assets, the recoverable amount of these assets in the European Union commercial aviation sector. For this purpose, a methodology that took into consideration a sample was applied. This sample consists of the Air France-KLM, the IAG, the Lufthansa and the Ryanair Groups. The assumption of Expected Cash Flows was applied, these being discounted using a discount rate. For this purpose, the Weighted Average Cost of Capital has been taken into consideration. In the present study, we presumed two distinct scenarios, one being more probable, where the recovery of the sector will occur in the year 2024, and another less probable, where the recovery will occur in the year 2027. The assumptions considered in this dissertation allowed us to conclude that Lufthansa and Ryanair Groups do not indicate any impairment loss to be recognized on the reporting date of 12.31.2021. For the IAG Group, we concluded that there could be a reversal of the impairment loss recognized in 2020. Finally, for Air France-KLM Group, we verified the need to reinforce the impairment which would amount to approximately €674M.
URI: http://hdl.handle.net/10773/33264
Appears in Collections:UA - Dissertações de mestrado
ISCA-UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento_Filippe_Pimenta.pdf1.75 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.