Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/30329
Title: Promoção de comportamentos de saúde e estilos de vida saudáveis no adolescente: o contributo do enfermeiro de família
Other Titles: Promotion of health behaviours and healthy lifestyles in adolescents: the contribute of family nurse
Author: Maia, Luís Ricardo Ribeiro
Advisor: Pires, Célia Maria Abreu de Freitas
Simões, João Filipe Fernandes Lindo
Keywords: Enfermagem familiar
Promoção da saúde
Estilo de vida saudável
Adolescente (DeCS)
Defense Date: 26-Nov-2020
Abstract: No âmbito do 2º ano do Curso de Mestrado em Enfermagem de Saúde Familiar foi realizado um Estágio de Natureza Profissional na USF Leme, do Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Vouga. Para além do desenvolvimento de competências especializadas em Enfermagem de Saúde Familiar, nesta unidade de saúde, foi realizado um trabalho de investigação centrado na problemática dos comportamentos promotores de saúde e estilos de vida saudáveis por parte dos adolescentes. A adolescência é uma fase da vida em que as oportunidades para a saúde são grandes e os padrões futuros da saúde do adulto são estabelecidos. A saúde na adolescência é o resultado de interações entre o desenvolvimento da infância e as mudanças específicas de papéis biológicos e sociais que acompanham a puberdade, moldadas por determinantes sociais e fatores de risco e proteção que afetam a aceitação de comportamentos relacionados à saúde. O presente relatório tem como objetivos analisar critica e reflexivamente as aprendizagens que resultaram da prática desenvolvida na USF Leme; refletir sobre as competências desenvolvidas; apresentar todo o processo conceptual, metodológico e os resultados do estudo de investigação desenvolvido, integrado no referido Estágio que visou, de uma forma geral, identificar quais os comportamentos promotores de saúde e estilos de vida saudáveis dos adolescentes. Optou-se pela realização de uma investigação quantitativa, com um desenho transversal do tipo descritivo e correlacional, com uma amostra por conveniência, constituída por 84 adolescentes. Tendo presentes os princípios éticos, no que diz respeito ao consentimento informado livre e esclarecido, ao anonimato e confidencialidade de dados, aplicou-se a Escala de Promoção de Saúde na Adolescência, entre dezembro de 2019 e março de 2020. Os dados foram tratados com recurso ao programa Statistical Package for the Social Sciences. A amostra foi constituída por 53,57% de adolescentes do género feminino, com uma média de idades de 14,52 ± 1,95 anos. Verifica-se a existência de bons níveis de comportamentos promotores de saúde, com uma média de 145,30 ± 20,27, com um mínimo de 87 e máximo de 189, tendo a subescala “Nutrição” (média 3,88 ± 0,56) e “Exercício Físico” (média 3,82 ± 0,85) revelado melhores níveis de comportamentos promotores de saúde, em contraponto com a de “Gestão de Stresse” e “Responsabilidade pela Saúde” que obtiveram valores de média mais baixos, 3,49 ± 0,69 e 3,29 ± 0,68 respetivamente. Os níveis de comportamentos promotores de saúde são mais elevados no género masculino, nos adolescentes mais jovens, num nível de escolaridade mais baixo e cujos pais apresentam nível de formação superior. Conclui-se que, com a realização do Estágio, foram desenvolvidas as competências previstas no regulamento n.º 428/2018, referente às Competências Específicas do Enfermeiro Especialista em Enfermagem Comunitária na área de Enfermagem de Saúde Familiar. Quanto ao estudo de investigação, o enfermeiro de família deve investir na literacia e capacitação dos adolescentes, no âmbito das consultas de Saúde Infantil e Juvenil, de forma a incentivar a adoção de estilos de vida saudáveis, visando a obtenção de ganhos em saúde.
As part of the 2nd year of the Master's Course in Family Health Nursing, a professional internship was held at USF Leme, from the Grouping of Health Centres of Baixo Vouga. In addition to the development of specialized skills in Family Health Nursing, in this health unit, research work was carried out focused on the problem of health-promoting behaviours and healthy lifestyles by adolescents. Adolescence is a stage in life when opportunities for health are great and future standards of adult health are established. Adolescent health is the result of interactions between childhood development and the specific changes in biological and social roles that accompany puberty, shaped by social determinants and risk and protective factors that affect the acceptance of health-related behaviours. This report aims to critically and reflexively analyse the learning that resulted from the practice developed at USF Leme; reflect on the skills developed; present the entire conceptual, methodological process and the results of the research study developed, integrated in the referred Internship, which aimed, in general, to identify which behaviours promote health and healthy lifestyles of adolescents. We chose to carry out a quantitative investigation, with a cross-sectional design of the descriptive and correlational type, with a sample for convenience, consisting of 84 adolescents. Bearing in mind the ethical principles, regarding free and enlightened informed consent, anonymity and data confidentiality, the Adolescent Health Promotion Scale was applied between December 2019 and March 2020. The data were treated using the Statistical Package for the Social Sciences program. The sample consisted of 53,57% of female adolescents, with an average age of 14,52 ± 1,95 years. There are good levels of health-promoting behaviours, with an average of 145,30 ± 20,27, with a minimum of 87 and a maximum of 189, with the subscale “Nutrition behaviour” (average 3,88 ± 0,56) and “Exercise behaviour” (average 3,82 ± 0,85) revealed better levels of health-promoting behaviours, in contrast to that of “Stress-Management” and “Health-Responsibility”, which obtained lower average values, 3,49 ± 0,69 and 3,29 ± 0,68, respectively. The levels of health-promoting behaviours are higher in males, in younger adolescents, at a lower level of education and whose parents have a higher education level. It is concluded that with the completion of the Clinical Practice, the competencies provided for Regulation No. 428/2018 referring to the Specific Competencies of the Specialist Nurse in Community Nursing in Family Health Nursing were developed. As for the research study, the family nurse should invest in the literacy and empowerment of adolescents, within the scope of Child and Youth Health consultations, in order to encourage the adoption of healthy lifestyles, to obtaining health gains.
URI: http://hdl.handle.net/10773/30329
Appears in Collections:UA - Dissertações de mestrado
ESSUA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento_Luís_Maia.pdf1.4 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.