Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10773/29470
Título: O impacto das preocupações reprodutivas em sobreviventes de cancro da mama e mulheres inférteis
Autor: Neves, Maria Carolina Simões
Orientador: Monteiro, Sara Otília Marques
Palavras-chave: Cancro da mama
Infertilidade
Jovem mulher
Preocupações reprodutivas
Ansiedade
Depressão
Qualidade de vida
Data de Defesa: 27-Nov-2019
Resumo: Apesar de recente, estudos a comparar sobreviventes de cancro com mulheres inférteis sugerem que a infertilidade tem um impacto negativo independentemente da sua etiologia. O presente estudo pretende comparar o ajustamento psicossocial destas jovens, relativamente a preocupações reprodutivas, depressão, ansiedade e qualidade de vida, e examinar como fatores demográficos e clínicos interagem com este ajustamento. Este estudo correlacional inclui uma amostra de conveniência composta por 55 jovens mulheres sobreviventes de cancro da mama e 56 mulheres inférteis, a iniciar ciclo de tratamento. A recolha decorreu no Instituto Português de Oncologia do Porto e Coimbra e no Centro Hospitalar de São João, no Porto. Foram aplicadas a Escala de Preocupações Reprodutivas Após o Cancro, Escala de Depressão e Ansiedade Hospitalar e Escala de Qualidade de Vida da European Organization for Research and Treatment. Os resultados sugerem que jovens com problemas de fertilidade apresentam preocupações reprodutivas e ansiedade mais elevadas. Contudo, exibem melhor qualidade de vida. Em sobreviventes de cancro, ter filhos no momento da recolha e desejar ter (mais) filhos foram associados a preocupações reprodutivas mais elevadas. Estas preocupações foram ainda associadas a um pior funcionamento físico, em sobreviventes, e pior funcionamento emocional, em mulheres inférteis. Uma melhor compreensão do impacto destas preocupações poderá ser útil na identificação de jovens em risco que poderão beneficiar de acompanhamento.
Although recent, studies comparing cancer survivors and infertile women suggest that infertility has a negative impact, despite its aetiology. This correlational study aims to compare the psychosocial adjustment of these young women, in terms of reproductive concerns, anxiety, depression and quality of life, and explore how demographic and clinical factors interact with their adjustment. The convenience sample includes 55 young women breast cancer survivors and 56 infertile women, starting a treatment cycle. The recruitment occurred at the Instituto Português de Oncologia (Porto and Coimbra), and at the Centro Hospitalar de São João (Porto). Reproductive Concerns After Cancer, Hospital Anxiety and Depression Scale, and European Organization for Research and Treatment of Cancer Quality of Life Questionnaire Core-30 were applied. Results suggest that infertile women have higher reproductive concerns and anxiety. However, they also have a better quality of life. Having children and wishing to have (more) children was associated with higher reproductive concerns, in cancer survivors. Additionally, these concerns were associated to a worse physical functioning in cancers survivors, and associated to a worse emotional functioning in infertile women. A better understanding of the impact of these concerns could help to identify those in risk who could benefit from additional support.
URI: http://hdl.handle.net/10773/29470
Aparece nas coleções: DEP - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Documento Maria_Neves.pdf1.43 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.