Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/28278
Title: A acessibilidade dos websites dos museus de Portugal para o público com incapacidade
Author: Lemos, Diana Catarina de Pinho
Advisor: Eusébio, Celeste
Carneiro, Maria João Aibé
Keywords: Turismo Acessível
Museus
Acessibilidade na Web
Barreiras
Incapacidade
Defense Date: 20-Dec-2019
Abstract: O turismo acessível é um tipo de turismo que tem como objetivo que todas as pessoas possam ter acesso ao turismo. Neste contexto, para que isso seja possível, as atividades económicas que oferecem bens e serviços aos visitantes devem ser acessíveis. No entanto, a acessibilidade não se limita apenas à acessibilidade física dos espaços, existem outros aspetos como a comunicação e informação que são muitas vezes negligenciados, podendo dificultar ou mesmo impedir o acesso a produtos turísticos por parte de pessoas com incapacidade. A prática do turismo é fundamental para a integração de pessoas com incapacidade, uma vez que fomenta o desejo de realizar tarefas diárias, correr riscos e eventualmente aceitar a sua incapacidade (Yau, McKercher, & Packer, 2004a). Além da prática efetiva das atividades turísticas, a preparação de uma viagem, implica atualmente o recurso à internet e, neste sentido, é importante perceber se os websites das empresas que fazem parte da oferta turística dos destinos são acessíveis e se nesses websites são divulgadas informações sobre a acessibilidade dos produtos turísticos que comercializam. Neste contexto, esta dissertação pretende aumentar o conhecimento nesta área, avaliando o nível de acessibilidade dos websites dos museus e analisando o conteúdo dos websites mais acessíveis e menos acessíveis. Para dar resposta a estes objetivos, a metodologia utilizada consistiu em várias etapas. Primeiro, efetuou-se uma revisão da literatura sobre os requisitos que os museus devem cumprir para serem acessíveis e com base nesses requisitos criou-se uma checklist que serviu de base para a análise da informação que era disponibilizada nos websites dos museus. Em seguida, procedeu-se à avaliação do nível de acessibilidade dos websites dos museus tendo como base as Diretrizes de Acessibilidade do Conteúdo Web (WCAG 2.0), com recurso a duas ferramentas de análise: o AccessMonitor e o TAW. Por fim, utilizou-se a checklist desenvolvida para analisar a informação sobre acessibilidade que é divulgada nos websites dos museus que apresentam um maior nível de acessibilidade e nos websites dos museus que apresentam um menor nível de acessibilidade. Os resultados desta investigação (N=575) demonstram que a média de acessibilidade dos websites dos museus é de 5,80, numa escala de 1 a 10 porém, destacam-se a região do Algarve (6,62) e da Área Metropolitana de Lisboa (6,03) que apresentam uma média de acessibilidade superior à média do país. Ainda segundo o AccessMonitor, na nossa amostra, existem 14 websites com um nível de acessibilidade de nível 10, correspondendo a 2,43%. Observou-se também que mesmos os museus que não apresentam problemas em termos de acessibilidade do website não utilizam esta canal de comunicação para divulgar informação sobre a acessibilidade física do espaço e do espólio. No entanto, em termos globais os websites ainda apresentam muitos problemas de acessibilidade que necessitam de ser corrigidos para que todas as pessoas, independentemente das suas capacidades funcionais, possam ter acesso à informação que é disponibilizada nestes canais de comunicação. Por fim, discutem-se as implicações deste estudo, bem como se tecem algumas recomendações para investigações futuras sobre esta temática.
Accessible tourism is a recent reality that type of tourism which aims that all people have access to tourism. In this context, for this to be possible, economic activities offering goods and services to visitors must be accessible. However, accessibility is not only limited to the physical accessibility of spaces, there are other aspects such as communication and information that are often neglected and may make it difficult for people with disabilities to access tourism products. The practice of tourism is crucial for the integration of people with disabilities as it fosters the desire to perform daily tasks, take risks and eventually accept their disability (Yau, McKercher, & Packer, 2004a). Besides the actual practice of tourism activities, the preparation of a trip currently implies the use of the internet and, in this sense, it is important to understand if the websites of the companies that are part of the tourist supply of the destinations are accessible and if on these websites information is disclosed on the accessibility of the tourist products they supply. In this context, this dissertation aims to increase knowledge in this area by assessing the accessibility of museum websites and analyzing the content of the most accessible and least accessible websites. To meet these objectives, the methodology used consisted of several steps. First, a literature review was made of the requirements that museums must meet in order to be accessible, and based on those requirements, a checklist was created that served as the basis for analyzing the information that was made available on museum websites. Then, the accessibility of museum websites was assessed based on the Web Content Accessibility Guidelines (WCAG 2.0), using two analysis tools: AccessMonitor and TAW. Finally, we used the checklist developed to analyze the information on accessibility that is disseminated on the websites of museums that have the highest level of accessibility and on the websites of museums that have the lowest level of accessibility. The results of this investigation (N=575) show that the average accessibility of museum websites is 5.80, on a scale from 1 to 10, but the Algarve region (6.62) and the Metropolitan Area of Lisbon (6.03) have an average accessibility higher than the average of the country. According to AccessMonitor, in our sample there are 14 websites with a level of accessibility of level 10, corresponding to 2.43%. It was also observed that even museums that do not have problems in terms of accessibility of the website do not use this communication channel to disseminate information about the physical accessibility of space and estate. However, overall websites still have many accessibility issues that need to be fixed so that everyone, regardless of their functional abilities, can access the information that is made available on these communication channels. Finally, the implications of this study are discussed, and some recommendations for future research on this subject are made.
URI: http://hdl.handle.net/10773/28278
Appears in Collections:DEGEIT - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
documento.pdf2.25 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.