Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/25822
Title: Espaços exteriores e organização pedagógica em educação de infância: políticas, projetos e práticas
Author: Bento, Maria Gabriela Castro Portugal Granja
Advisor: Costa, Jorge Adelino
Keywords: Educação de infância
Espaços exteriores
Políticas e práticas educativas
Potencialidades pedagógicas
(des)articulação organizacional
Defense Date: 31-Oct-2018
Abstract: Numa época pautada por problemáticas sociais relacionadas com sedentarismo, tecnologia, urbanização e competitividade, em Portugal e além-fronteiras, as oportunidades para brincar ao ar livre parecem rarear no dia-a-dia de muitas crianças, apesar de diferentes estudos sustentarem a importância destas experiências para o desenvolvimento e aprendizagem infantil. Os contextos educativos podem assumir um papel determinante na inversão desta tendência, oferecendo experiências singulares de exploração dos espaços exteriores. Se o potencial pedagógico do brincar ao ar livre for reconhecido e aproveitado pela escola, as crianças poderão beneficiar de ambientes cativantes, pensados em função dos seus interesses e necessidades. É com base nestes pressupostos que a presente tese foi estruturada, procurando-se explorar de que forma é que os espaços exteriores em contextos de educação de infância (CEI) são pensados, organizados e utilizados, atendendo a articulações e/ou desarticulações entre políticas, projetos e práticas. A investigação considerou duas linhas de análise: uma focada nas conceções e práticas existentes em CEI, considerando documentos organizacionais reguladores da ação educativa, discursos dos profissionais e modos de organização dos espaços (estudo A); outra orientada para a análise de experiências de brincar ao ar livre, analisando o contributo destas vivências para a concretização de finalidades educativas (estudo B). Tratando-se de uma investigação qualitativa, organizada em torno de estudos de caso (treze CEI estudados), privilegiou-se a triangulação da informação recolhida através de diferentes fontes e técnicas (observação, entrevista, análise documental, notas de campo e registos fotográficos). Foi também construída uma grelha de observação dos espaços exteriores (GO-Exterior). Os dados obtidos no estudo A foram interpretados de acordo com imagens conceptuais construídas em torno dos espaços exteriores, percebendo-se que em muitos CEI se verificam situações de reduzido investimento ou desvalorização destes ambientes. Na maioria dos casos, os espaços exteriores apresentam uma organização pobre, identificam-se práticas educativas muito centradas na sala de atividades e na realização de atividades orientadas pelos adultos e os documentos organizacionais não preveem, de forma consistente, práticas educativas ao ar livre. Paralelamente, o estudo B revelou que as experiências de brincar ao ar livre podem contribuir para a concretização de finalidades educativas, importando atender à influência de dimensões relacionadas com a organização flexível da ação educativa, o trabalho de equipa, o envolvimento das famílias e a qualidade da intervenção do adulto durante o brincar ao ar livre. Através da investigação desenvolvida sugere-se a implementação de estratégias micro e macrossistémicas relacionadas com a promoção e valorização do brincar ao ar livre nos contextos de educação de infância. Os espaços exteriores podem constituir-se como importantes ambientes de aprendizagem, exigindo, porém, iniciativas adequadas de planeamento e intervenção, que respeitem interesses e necessidades das crianças
In an era dominated by social problems related to sedentarism, technology, urbanisation and competitiveness, in Portugal and abroad, opportunities for outdoor play seem to be increasingly scarce in children’s daily life, although different studies support the importance of such experiences for child development and learning. Educational settings can have a crucial role in counteracting this tendency, offering unique opportunities for outdoor play. If the pedagogical potential of outdoor play is recognized and mobilised across educational practices, children may benefit from interesting environments, designed according to their interests and needs. Relying on these assumptions, the present thesis aimed to explore how outdoor environments in early childhood settings (ECS) are thought, organized and used, considering the articulations and/or disarticulations between policies, projects and practices. The research was divided into two studies. Study A was focused on understanding beliefs and practices regarding outdoor environments in ECS, in the view of organisational documents, professional discourses and space organisation. Study B aimed to analyse the contribution of outdoor play experiences in the achievement of educational goals. Following a qualitative approach, a case study methodology was adopted (thirteen case studies), privileging the triangulation of data collected by means of different sources and techniques (observation, interview, document analysis, field notes and photography records). An observation grid of outdoor educational environments was also developed (GO-Exterior). The data collected in study A was interpreted according to conceptual images constructed around outdoor spaces. Data shows that in many ECS there is a reduced investment in outdoor play. In most cases, outdoor spaces are poorly organised, educational practices are focused on indoor activities mainly directed by adults and organisational documents do not support outdoor educational practices. Within study B, it was possible to find evidence related to the pedagogical potential of outdoor play experiences in the achievement of educational goals. This achievement is facilitated through a flexible organisation of educational practices, teamwork, families’ involvement and adults’ quality interventions during outdoor play. The present research suggests the need for micro and macro intervention strategies to promote outdoor play in early childhood settings. Outdoor spaces can be important learning environments, demanding, however, proper planning and intervention that considers children’s interests and needs
URI: http://hdl.handle.net/10773/25822
Appears in Collections:UA - Teses de doutoramento
DEP - Teses de doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento.pdf6.73 MBAdobe PDFembargoedAccess


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.