Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/25812
Title: Orientações CTS e ensino de química no secundário
Author: Costa, Maria da Conceição Ferreira de Figueiredo e
Advisor: Martins, Isabel
Defense Date: 2001
Abstract: O enorme crescimento científico/tecnológico que ocorreu, sobretudo na última metade do século XX, introduziu alterações consideráveis nas condições e modos de vida das sociedades. É consciência crescente que a Educação em Ciências, também em Portugal, não conseguiu responder de forma eficaz às novas solicitações. As exigências das actuais sociedades democráticas impõem repensar finalidades do ensino das Ciências em geral e da Química em particular. Ganham adeptos e consistência, ideias que apontam para a necessidade de formar cidadãos que possam actuar informadamente sobre as vertentes científica e tecnológica e que alguns desses optem por prosseguir carreiras para dar continuidade aos desenvolvimentos já efectuados. Admitindo que ensinar Química numa perspectiva CTS (Ciência/Tecnologia/Sociedade), onde os conteúdos se assumem relevantes para dar sentido a temas/problemas, é uma via promissora, mas ainda pouco usual, para a preparação para a cidadania e para o prosseguimento de estudos e, reconhecendo o papel regulador dos Programas no processo ensino e aprendizagem, este estudo foi estruturado para: • investigar em que medida os actuais Programas de Química do Ensino Secundário se encontram em consonância com orientações CTS; • verificar em que medida o Ensino Secundário contribui para o interesse dos alunos pela aprendizagem de Química e para (re)conceptualizações de conhecimento químico reconhecidas como úteis para alguns aspectos do exercício de uma cidadania esclarecida; • identificar percepções de professores sobre a articulação de práticas de sala de aula de orientação CTS com os actuais Programas. A investigação processou-se em três fases, com recurso a metodologias adequadas a cada uma delas: • análise documental dos Programas de Química do Ensino Secundário, com recurso à aplicação de um instrumento de análise, concebido para esse fim; • estudo empírico envolvendo a administração de um questionário de resposta escrita, construído com questões maioritariamente fechadas, a uma amostra de 272 alunos, provenientes de Escolas Secundárias dispersas por todo o país, que frequentaram Química durante todo o Ensino Secundário e que ingressaram, pela primeira vez em 2000, no ensino Superior; • entrevistas semi-estruturadas a cinco professores experientes que leccionavam em diferentes Escolas, distribuídas numa zona geográfica alargada na região Centro do país. A análise dos Programas teve em conta parâmetros de análise previamente definidos e validados por um painel de juizes. As respostas às questões fechadas dos questionários foram objecto de tratamento estatístico, com recurso a técnicas de estatística descritiva, utilizando-se o programa EXCEL. Por sua vez, as respostas às questões abertas quer dos questionários, quer das entrevistas semi-estruturadas, foram sujeitas a análise de conteúdo, recorrendo-se para o efeito à construção de Categorias de Resposta validadas por juizes. As conclusões do estudo evidenciam Programas concebidos para fornecerem uma base de conhecimentos direccionados, sobretudo, para futuros especialistas em Ciências, com reduzida relação à sociedade. Integram, ainda, um elevado número de conceitos o que poderá dificultar discussão, reflexão e análise. Temas referidos, pelos alunos, como interessantes (relacionados com eles próprios ou com acontecimentos que influenciam as suas vidas) para serem discutidos em aulas de Química não integram os respectivos Programas. Alguns alunos consideram conhecimento químico património indispensável para actuarem como cidadãos informados. Porém, conhecimento químico (re)construído em ambientes de Ensino Formal é considerado pouco útil para compreender, interpretar e resolver problema(s) do dia a dia. A última conclusão suscita questionamento quanto ao contributo efectivo do actual Ensino Formal de Química para a cultura científica. Todos os professores consideram ser possível levar à prática abordagens CTS com os actuais Programas. Contudo, referem, como limitadoras de práticas inovadoras, grandes pressões institucionais, por exemplo a avaliação, e carências relacionadas com materiais e formação que as apoiem. A extensão do conhecimento químico/tecnológico actual impõe a necessidade de seleccionar, escolhendo, não só o ensinar menos para ensinar melhor, mas também, o que vale a pena saber hoje e ainda valerá a pena saber daqui a décadas. Apesar de não ser fácil afirmar o que torna um Programa interessante aos olhos dos alunos, parece plausível que a inclusão de temas relacionados com as suas necessidades pessoais e sociais seja promissora para esse fim. Assim, a inclusão de temas CTS nos Programas de Química, onde os conteúdos se assumam como relevantes para, numa reflexão alargada a implicações sociais e éticas, encontrar resposta(s) a problema(s) que os mesmos suscitem, poderá conduzir à preparação para uma cidadania fundamentada, bem como preparar para o prosseguimento de estudos e estimular o interesse por continuar a aprender, quer se prossigam ou não estudos, nesta área. Saliente-se que a necessária mudança pode ficar comprometida se não se procurar desenvolver, com os professores, um trabalho de formação capaz de fazer emergir novas práticas – inovadoras pelas atitudes e valores - e uma outra cultura de Educação em Ciências.
During the second half of the last half century there was a big growth up of scientific and technological knowledge which modified the conditions and the ways of everybody’s life. There is a growing awareness that Science Education, also in Portugal, does not catch up with development. According to the present demands of today democratic societies it is necessary to reconsider the aims of the Science teaching, in general and Chemistry, in particular. There is a big agreement concerning that it is necessary that the young act as informed citizens, capable of making decisions in a responsible way and that some of these will decide to follow a carrier in this area in order to continue the development that has already been started. Admitting that teaching Chemistry in a STS perspective (Science – Technology- Society), where the contents are assumed as relevant in order to give a sense to the problems, is one of the ways that is seen as promising, though still not very usual, so that it can stimulate the student’s interest to learning Chemistry, and, at the same time, to prepare them to act as future informed citizens, while recognizing that Syllabuses are important because they orientate the process of teaching and learning, this study was thus made to investigate: • if the present Chemistry Syllabuses in a secondary level follow the current STS orientations; • if secondary level teaching is stimulating student’s interest to learn Chemistry and to recognize chemistry knowledge as necessary to act as informed citizens; • the understanding that teachers have of the implantation of STS interactions, orientated by the present Syllabuses. The investigation was carried out in three different stages, using particular methods made suitable for each of them: • analysis the Chemistry syllabuses, with an analysis instrument based on the present international orientations, built for it; • an empirical study involving a written questionnaire, built, largely, on closed questions, to a sample formed by 272 students, which had Chemistry during all Secondary School from all over the country, and that entered the University in the year 2000, for the first time; • teachers interviews which were teaching in 5 different Schools in Aveiro district. The syllabus analysis was made by taking into consideration previous analyses parameters validated by judges. The answers to closed questions were treated by descriptive statistics with the help of the EXCEL program. The open answers in written questionnaire and interviews were analyzed taking into consideration their content, by constructing different answers categories. The results allowed the conclusion that the predominant aim of the Syllabus is to provide a basis of knowledge for future specialists in Science, detached from reality. Additionally, there is an over-emphasis on contents, which leaves insufficient time for discussion, reflection and analysis. Themes mentioned as interesting by the inquired students (connected with themselves or with their lives) to be discussed in Chemistry classes do not appear in the Portuguese syllabuses. Some students recognize that chemistry knowledge can help them to behave as informed citizens. However, chemistry knowledge acquired at School is considered by some, useless to understand and solve everyday problems. This makes us question the effectiveness of Chemistry teaching at the secondary level, in the acquisition of a scientific culture. All teachers think that it is possible to teach under STS orientation with the present syllabuses. However, they refer the lack of available materials and all the pressures connected with education, such as the assessment, as a barrier to teach in the STS perspective. The breadth of Chemistry knowledge makes the choice of relevant and forever actual contents as inevitable. We should resist the temptation to include too much and so to avoid ending up with a content-dominated syllabus, which leaves insufficient time for discussion, reflection and analysis. In other words, one should teach less to teach better. It is not easy to state what an interesting syllabus for the students is, but it seems that the inclusion of subjects connected with their lives or with them will increase the student’s interest. Therefore, Chemistry syllabus should include STS themes, where contents are relevant to find solutions for the meanwhile raised problems, as well as to prepare and encourages students for their further learning, no matter what their future studies might be. This change requires teachers’ (re)education in order to produce a new perspective of teaching and a different and innovating culture of Science Education.
URI: http://hdl.handle.net/10773/25812
Appears in Collections:DEP - Dissertações de mestrado
DFis - Dissertações de mestrado
DQ - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
68.pdf1.27 MBAdobe PDFrestrictedAccess


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.