Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/25803
Title: Biomedical microelectromechanical (BioMEMs) systems to tissue engineering: applications in hard tissues
Other Titles: Sistemas electromecânicos (BioMEMs) para engenharia de tecidos: aplicações em tecidos duros
Author: Magueta, Adriana Fernandes
Advisor: Vilarinho, Paula
Fernandes, Maria Helena Figueira Vaz
Keywords: Biomaterials
316 SS
PLLA
Silanization
Spin-coating
Adhesion
ASTM D3359
XPS
FTIR
PBS
Issue Date: 19-Dec-2018
Abstract: Metals and their alloys are the materials most commonly used in medical applications for bone support due to their biocompatibility and mechanical properties. Nevertheless, these materials do not stimulate bone regeneration and, over time, release metallic ions into the human body, which in large numbers is toxic. One way to overcome this problem is to use coatings with biocompatible and biodegradable materials capable of stimulating bone regeneration. In this work, 316 stainless steel alloy was used as the component capable of withstanding the loads applied to bone and poly(L-lactic acid) (PLLA) was chosen as a coating due to its biocompatible, biodegradable and piezoelectric properties, simulating the collagen present in the bone. In this work the adhesion between 316 SS and PLLA was studied. 316 SS functionalization was carried out through a chemical process, silanization, and the respective quantification of silanes was performed. The PLLA films were deposited by spin-coating, with different thicknesses, varying the solution concentrations and the number of deposited layers, and with different degrees of crystallization. The results showed that the functionalization of the metal substrate with silanes is effective and efficient in the adhesion of PLLA films to 316 SS. The degree of adhesion, as measured by the standard tape test depends, besides the functionalization of the substrate, on the film thickness, the concentration of the polymer solution and on the degree of crystallization of the polymeric film. The best results were achieved for the thinner films. However, for crystallized films, adhesion has improved for larger thicknesses. When immersed in PBS, the films did not stand out, being the best results for the crystallized films. With this study it was possible to produce and characterize stable PLLA coatings on 316 SS substrates, with suitable adhesion to medical applications, which represents a promising contribution to the exploitation of the electrical polarization of these plaforms for bone tissue regeneration and for the study of other biomedical platforms constituted by two different materials
Os metais e suas ligas são dos materiais mais usados em aplicações médicas para suporte ósseo, devido à sua biocompatibilidade e propriedades mecânicas. No entanto, estes materiais não estimulam a regeneração óssea e, com o decorrer do tempo, libertam iões metálicos para o corpo humano, que em grande quantidade, são nocivos. Uma forma de contornar esta problemática consiste no uso de revestimentos com materiais biocompatíveis, biodegradáveis e capazes de estimular a regeneração óssea. Neste trabalho optou-se pela utilização da liga de aço inox 316, como a componente capaz de suportar as cargas aplicadas ao osso e do ácido poli (L-lático) (PLLA) como revestimento, devido às suas propriedades biocompatíveis, biodegradáveis e piezoelétricas, simulando o colagénio presente no osso. Neste trabalho estudou-se a aderência entre a liga 316 (neste trabalho SS) e o PLLA. Foi feita a funcionalização da liga através de um processo químico, silanização, e realizada a respetiva quantificação dos silanos. Os filmes de PLLA foram depositados por spin-coating, com diferentes espessuras, variando-se as concentrações de solução, o número de camadas depositadas, e o grau de cristalização. Os resultados mostrataram que a funcionalização do substrato metálico com silanos é efetiva e eficaz na aderência de filmes de PLLA à liga de aço inox 316. O grau de aderência, medido pelo teste da fita cola, depende para além da funcionalização do substrato, da espessura do filme, da concentração da solução de polímero e do grau de cristalização do filme polimérico. Os melhores resultados foram conseguidos para as menores espessuras de filme. No entanto, para filmes cristalizados, a aderência melhorou para espessuras maiores. Quando imersos em PBS, os filmes não se destacaram, sendo os melhores resultados para os filmes cristalizados. Com este estudo foi possível produzir e caracterizar revestimentos estáveis de PLLA sobre a liga 316, com aderência adequada a aplicações médicas, o que representa um contributo promissor para a exploração da polarização elétrica destas plataformas para regeneração de tecido ósseo e estudo de outras plataformas biomédicas constituídas por dois materiais diferentes
URI: http://hdl.handle.net/10773/25803
Appears in Collections:DEMaC - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento.pdf6.44 MBAdobe PDFembargoedAccess


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.