Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/25242
Title: Impacto do aquecimento na função respiratória e na performance do clarinetista
Author: Faria, Nuno Miguel da Silva
Advisor: Carvalho, Luís Filipe Leal de
Amaro, António José Monteiro
Keywords: Respiração
Aquecimento respiratório
Manovacuometria
PIM/PEM
Eletromiografia (EMG)
Músculos respiratórios
Avaliação performativa
Prática clarinetística
Clarinete
Issue Date: 26-Oct-2018
Abstract: O presente documento encontra-se dividido em duas partes: Projeto de Investigação e Relatório Final da Prática de Ensino Supervisionada. Na primeira, é apresentada toda a pesquisa desenvolvida em torno da investigação “Impacto do Aquecimento na Função Respiratória e na Performance do Clarinetista”, em colaboração com o Laboratório de Movimento Humano da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro. Este estudo pretendeu avaliar a influência do aquecimento respiratório, previamente ao ato performativo, na função respiratória e na performance. Neste sentido, foi delineado e implementado um projeto com o intuito de analisar não só as pressões inspiratórias e expiratórias máximas (PIM e PEM), mas também o grau de solicitação muscular de quatro músculos respiratórios (os escalenos direitos, o esternocleidomastoideu direito, o diafragma e o reto do abdómen direito), através dos registos captados na eletromiografia de superfície (EMG). Com base nas classificações de cinco júris, foi, também, analisado o produto sonoro atingido pelos participantes, durante as interpretações do excerto musical, de acordo com os seguintes parâmetros: projeção sonora, qualidade do som, timbre sonoro, precisão e qualidade da articulação, fluência sonora, qualidade da afinação, estabilidade sonora entre registos e, por fim, os contrastes dinâmicos. Para tal, cada músico efetuou duas sessões (sem e com aquecimento). A amostra foi constituída por nove clarinetistas, com idade igual ou superior a 18 anos, sendo todos estudantes deste instrumento no ensino superior. As diferenças encontradas na avaliação das performances, com e sem aquecimento, não foram significantes. Os resultados obtidos na manovacuometria apresentaram uma diferença estatisticamente significativa (sig. < 0,05) nas PEM destes clarinetistas, ao introduzir o programa de treino respiratório, mas não nas PIM. Além disso, relativamente à EMG, não se encontraram alterações significativas entre os dois momentos; porém, houve uma tendência para a existência de menor grau de solicitação muscular nas sessões precedidas de aquecimento respiratório. Este trabalho mostra que um conjunto de exercícios padronizado pode melhorar significativamente a PEM e, tendencialmente, reduzir o grau de ativação dos músculos respiratórios na performance. Por último, na segunda parte é apresentado o Relatório Final de Estágio realizado no âmbito da Prática de Ensino Supervisionada, na Escola Artística do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Aveiro, no ano letivo 2017/2018
The following paper is divided into two different parts: Research Project and Supervised Teaching Practice Report. The first part is related to the research “Impact of Breathing Warm-up in Respiratory Function and Clarinetist Performance”, carried out in cooperation with Laboratório de Movimento Humano da Escola Superior de Saúde de Aveiro, Universidade de Aveiro (University of Aveiro). The aim of this study focused on evaluating the influence of breathing warm-up before any performance concerning breathing function and performance itself. Thus, a specific project was established and implemented aiming the evaluation of both maximum inspiratory pressures (MIP) and maximum expiratory pressures (MEP), as well as the level of muscular requirement of four respiratory muscles (right scalenus muscles, right sternocleidomastoid muscle, diaphragm and right rectus abdominis muscle) by using registers taken from surface electromyography examinations (EMG). It was also examined the sound production obtained during the musical excerpt performance, based on five juries’ classifications, and according to the following items: sound projection, quality of sound, sound timbre, precision and quality of articulation, sound fluency, quality of tuning, sound stability among registers and the dynamic contrasts. In order to accomplish that task, each participant performed in two different sessions (with and without warm-up). The sample was based on a group of nine clarinetists, presenting the same age of 18 years old or older, all of them clarinet students in College. Concerning the performances evaluation, with or without warm-up, the differences registered were not significant. The acquired results in manovacuometry presented a statistically significant difference (sig. < 0,05) on those clarinetists’ MEPs after the breathing warm-up, but not at the MIPs. Besides that, in which concern the EMG there were no statistically significant changings in the two sessions. However, there was a tendency to occur a muscular requirement of lower intensity at those sessions preceded by warmingup practice. This research demonstrates that a group of standard exercises can significantly improve the MEP, and also show a tendency to reduce the respiratory muscles activation level during the performance. Finally, the second part presents the Report of the Supervised Teaching Practice which was completed at Escola Artística do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Aveiro, in the school year 2017/2018
URI: http://hdl.handle.net/10773/25242
Appears in Collections:DeCA - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento.pdf2.97 MBAdobe PDFembargoedAccess


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.