Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/24280
Title: Mortalidade de juvenis de Venerupis corrugata (Gmelin, 1791) por stress salino e térmico
Author: Santos, Ana Carvalhais dos
Advisor: Barroso, Carlos Miguel Miguez
Keywords: Venerupis corrugata
Amêijoa-macha
Juvenis
Aquacultura
Temperatura
Salinidade
Índice de condição
Defense Date: 25-Jul-2018
Abstract: A amêijoa-macha V. corrugata é uma espécie de bivalve nativa da Ria de Aveiro e com elevada importância comercial em Portugal. Uma vez que se observou uma elevada mortalidade de juvenis desta espécie num ensaio de aquacultura realizado na Ria de Aveiro em 2015/2016, a qual aconteceu durante um período de intensa precipitação e aumento rápido de temperatura, este trabalho tem como principal objectivo avaliar a tolerância desta espécie a estes factores ambientais. Pretende, igualmente, avaliar se a variação gradual ou repentina da salinidade provoca maior ou menor mortalidade nestes juvenis e se o nível de mortalidade é influenciado pela condição dos animais. Uma vez que a correcção da salinidade nos tanques de aquacultura pode ser feita pela adição de sal, este trabalho pretende também avaliar a toxicidade causada por soluções com elevada concentração salina nestes animais. A amêijoa-macha apresentou uma mortalidade elevada a partir de 3 dias de exposição a salinidade ≤15 psu. Da mesma forma, observou-se uma mortalidade muito acentuada nas salinidades mais altas (47,5 e 50 psu) a partir de 3 dias de exposição. A diminuição repentina de salinidade provocou uma maior taxa de mortalidade do que a variação gradual. Os indivíduos mostraram, também, uma mudança de comportamento quando expostos a alterações abruptas de salinidade (≤15 psu e ≥47,5 psu) através do fecho das valvas. A amêijoa-macha mostrou ser tolerante a temperaturas da água até 25°C para o tempo máximo de exposição testado (9 dias), mas verificou-se um aumento de mortalidade significativo para 28°C a partir de 48h de exposição. Testou-se também a interacção da salinidade e temperatura na mortalidade dos juvenis, a qual foi significativa, sendo evidente que a temperatura alta faz aumentar a mortalidade quando os animais são expostos a salinidades baixas. Determinou-se também a resposta bioquímica das enzimas catalase (CAT), glutationa-S-transferase (GST) e superóxido dismutase (SOD), assim como a peroxidação lipídica (LPO), nas células de juvenis de amêijoa-macha expostos a diferentes salinidades e temperaturas ao fim de 22 dias de exposição. Os resultados mostram que tanto a GST como a SOD têm um papel importante na protecção celular dos juvenis e a CAT mostrou ser o melhor indicador do stresse salino e térmico. Verificou-se ainda que, apesar de ter ocorrido indução das enzimas antioxidantes nas diferentes salinidades e temperaturas, os mecanismos de defesa foram insuficientes para evitar a peroxidação lipídica
The pullet carpet shell V. corrugata is a native bivalve from Ria de Aveiro and presents an important commercial value in Portugal. Since a high mortality of juveniles of this species was observed in an aquaculture experiment carried out in Ria de Aveiro in 2015/2016, which occurred during a period of intense precipitation and temperature increase, the main objective of the present work is to evaluate the tolerance of this species to these environmental factors. It also intends to evaluate if the gradual or abrupt variation of the salinity causes higher or lower mortality in these juveniles and if the level of mortality is influenced by the condition of the animals. Since salinity correction in aquaculture tanks can be done by the addition of salt, this work also intends to evaluate the toxicity caused by solutions with high saline concentration in these animals. The pullet carpet shell showed a high mortality after 3 days of exposure to salinity ≤15 psu. Likewise, a very marked mortality was observed in the highest salinities (47.5 and 50 psu) after 3 days of exposure. The sudden decrease in salinity caused a higher mortality rate than the gradual decrease. Individuals also showed a change in behavior when exposed to abrupt changes in salinity (≤15 psu and ≥47.5 psu) through valve closure. The pullet carpet shell showed to be tolerant to water temperatures up to 25°C for the maximum exposure time tested (9 days), but presented a significant mortality increase for 28°C was observed after 48 hours of exposure. The interaction of salinity and temperature in juvenile mortality was also tested, which was significant, being evident that the high temperature increases mortality when the animals are exposed to low salinities. The biochemical response of the enzymes catalase (CAT), glutathione-S-transferase (GST) and superoxide dismutase (SOD), as well as lipid peroxidation (LPO) were also determined in the juveniles exposed to different salinities and temperatures after 22 days of exposure. The results show that both GST and SOD have an important role in the cellular protection of juveniles and CAT showed to be the best indicator of saline and thermal stress. It was also verified that, despite the induction of antioxidant enzymes in the different salinities and temperatures, the defense mechanisms were insufficient to avoid lipid peroxidation
URI: http://hdl.handle.net/10773/24280
Appears in Collections:BIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Documento.pdf3.25 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.