Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/23111
Title: Distress psicológico, riscos psicossociais e qualidade de vida em técnicos de apoio á vítima de violência doméstica
Author: Correia, Ana Catarina de Andrade
Advisor: Pereira, Anabela Sousa
Keywords: Psicologia clínica
Violência familiar
Qualidade de vida
Stresse (Psicologia)
Psicologia da saúde
Técnicos de atendimento
Defense Date: 2017
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: As estruturas nacionais preparadas para prestar auxílio a vítimas de violência doméstica são cada vez mais, e todos os anos se verifica um aumento significativo do número de pedidos de ajuda por parte da população em geral. As consequências das exigências colocadas a estes técnicos bem como a sobrecarga de trabalho, leva muitas vezes a um mau estar físico e mental e em alguns casos de burnout, com diminuição da qualidade de vida destes profissionais. O presente trabalho pretende estudar a relação existente entre os fatores psicossociais de risco no trabalho e o distress psicológico em técnicos de atendimento a vítimas de violência doméstica, bem como a comparação deste distress com a qualidade de vida nos mesmos. Participaram no estudo 47 técnicos na área do atendimento a vítimas de violência doméstica, todos eles com as mais diversas funções, desde psicólogos, assistentes sociais, diretores de gabinete, forças policiais, entre outros. Estes profissionais responderam a um protocolo de investigação composto por quatro instrumentos de avaliação: Questionários sociodemográfico; COPSOQ-II (Copenhagen Psychosocial Questionaire); WhoQol-Bref (The World Health Organization Quality of Life – Bref) e Escala de Kessler (Escala de Distress Psicológico de Kessler - K10), adaptados à população portuguesa. Os resultados, indicaram que existe influência do distress ao nível dos outros domínios (riscos psicossociais e qualidade de vida) nos técnicos. A saúde e bem-estar, os valores no local de trabalho, comportamentos ofensivos e as exigências laborais foram entendidos como os fatores que afetaram no que diz respeito a riscos laborais. Ao nível da qualidade de vida, à exceção do valor geral, encontraram-se diferenças significativas nos domínios físico (dp= .000), psicológico (dp=.000), ambiente (dp= .012) e das relações sociais (dp=.020). Os dados são discutidos, bem como referidas algumas implicações deste trabalho alertando para a necessidade de formação continua dos referidos técnicos no sentido de serem mais capacitados para o aperfeiçoamento da intervenção do apoio às vítimas e consequentemente a promover o bem-estar geral dos elementos integrantes das equipas de apoio às mesmas
The national structures prepared to assist victims of domestic violence are increasingly being targeted, and every year there is a significant increase in the number of requests for assistance from the population. The consequences of the demands placed on these technicians as well as the work overload often lead to an physical and mental queasiness, and in some cases burnout, with a decrease in the quality of life of these professionals. This present study has the purpose of studying the relationship between the psychosocial risk factors at work and the psychological distress in care technicians for victims of domestic violence, as well as the comparison of this distress with the quality of life in them. It was attended by 47 technicians in the area of care for victims of domestic violence, all with the most diverse functions, from psychologists, social workers, cabinet officers, police forces, among others. These professionals responded to a research protocol composed of four evaluation instruments: Sociodemographic questionnaires, COPSOQ-II (Copenhagen Psychosocial Questionnaire), WhoQol-Bref (The World Health Organization Quality of Life - Bref) and Kessler's Scale Psychological of Kessler (K10), adapted to the Portuguese population. The results indicated that there is influence of distress on the other domains (psychosocial risks and quality of life) in technicians. Health and well-being, workplace values, offensive behavior, and job requirements were understood as the most affected factors with regard to occupational hazards. In terms of quality of life, except for the general value, we found significant differences in the physical (dp = .000), psychological (dp = .000), environment (dp = .012) and social relations (dp = .020). The data are discussed as well as mentioned some implications of this work alerting to the need for continuous training of these technicians in order to be better able to improve the intervention of support to victims and consequently to promote the general well-being of the elements of the teams to support them
Description: Mestrado em Psicologia da Saúde e Reabilitação Neuropsicológica
URI: http://hdl.handle.net/10773/23111
Appears in Collections:DEP - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação.pdf1.33 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.