Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/22367
Title: Efeito de vários stresses abióticos nos metabolitos presentes na folha de oliveira (Olea europaea L.)
Author: Figueiredo, Catarina Mendes
Advisor: Silva, Artur Manuel Soares da
Dias, Maria Celeste Pereira
Keywords: Bioquímica alimentar
Stresse oxidativo
Espectrometria de massa
Defense Date: 21-Aug-2017
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: A oliveira, Olea europaea L., é uma árvore de fruto originária da região mediterrânica com elevado valor económico. O azeite tem sido cada vez mais reconhecido pelos seus efeitos benéficos na saúde, contudo, também nas folhas de oliveira são encontrados diversos compostos com atividade biológica como compostos fenólicos, ácidos gordos, terpenos, álcoois, esteróis, hidrocarbonetos, açúcares e minerais. No entanto, a composição das folhas de oliveira não é constante, dependendo de diversos fatores, nomeadamente fatores ambientais. Devido á exposição a diversos stresses abióticos, o metabolismo e a fisiologia das folhas de oliveira alteram-se para que a planta se adapte às novas condições. De modo a estudar o efeito de diferentes stresses abióticos nos perfis lipofílico e fenólico das folhas de oliveira, estas foram extraídas, com hexano, metanol ou etanol, logo após terem sido submetidas a tratamentos, em separado, de seca, choque térmico ou incidência de radiação elevada de UVB, e a todos os tratamentos em simultâneo e também após um período de recuperação. Posteriormente foram identificados os metabolitos presentes nos extratos obtidos recorrendo a técnicas de cromatografia (gasosa ou líquida) acoplada à espetrometria de massa. Pelo método do DPPH˙ foi avaliada a atividade antioxidante dos extratos obtidos. Foram identificados e quantificados um total de 44 compostos. Entre eles, os flavonoides, secoiridoides e alcanos, sobretudo a oleuropeína, isómero de glucósido de luteolina e alguns alcanos de cadeia longa, foram os compostos maioritários presentes nas folhas de oliveira analisadas. Quando expostas aos diferentes stresses, verificou-se um aumento dos flavonoides, secoiridoides e ácido quínico logo após o tratamento de stresse/ou depois da recuperação. Já os alcanos, ácidos gordos, terpenos, açúcares, esteróis e derivados do ácido hidroxicinâmico não se alteraram ou sofreram uma diminuição. Os resultados sugerem que os flavonoides, secoiridoides e ácido quínico desempenham um papel importante na resposta ao stress abiótico. A aplicação de diferentes tratamentos de stress pode ser uma forma interessante de controlar a produção de compostos fenólicos com interesse industrial e farmacêutico.
Olive tree, Olea europaea L., is a fruit tree with origin in the Mediterranean region. This species has a high economic value. Olive oil has been increasingly recognized for its health benefits. Moreover, olive leaves also presents several compounds with biological activity, such as phenolic compounds, fatty acids, terpenes, alcohols, sterols, hydrocarbons, sugars and minerals. However, due to environmental factors the metabolism and physiology of olive leaves change in order to adapt to the new conditions. To understand the effect of abiotic stresses in lipophilic and phenolic profile of olive leaves, metabolites were extracted (with hexane, methanol or ethanol) from olive leaves after the exposure to drought, heat, or enhanced UV-B radiation, applied separately and simultaneously, or after a period of stresses recovery. Metabolites were identified and quantified by chromatography (gas or liquid) coupled with mass spectrometry. By using the DPPH˙ method it was determined the antioxidant activity of the extracts. Were identified a total of 44 metabolites. The results indicate that the flavonoids, the secoiridoids and the alkanes, especially oleuropein, luteolin glucoside isomer and some long chain alkanes, are the major compounds of olive leaves. An increase of flavonoids, secoiridoids and quinic acid was verified after stress treatments and/or recover. However, the alkanes, fatty acids, terpenes, sugars, sterols and hydroxycinnamic acid were maintained or decreased. The results suggest that the flavonoids, secoiridoids and quinic acid play an important role in abiotic stress response. The application of different stress treatments can be an interesting way to control the production of compounds with industrial and pharmaceutical interest, like phenolic compounds
Description: Mestrado em Bioquímica
URI: http://hdl.handle.net/10773/22367
Appears in Collections:DQ - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Catarina M Figueiredo MBq.pdf4.17 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.