Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/18828
Title: Zooplâncton do Estuário do Mondego: abundância, biomassa, composição, diversidade e dinâmica espacio-temporal e tidal da taxocenose de 335 um
Author: Marques, Sónia Cristina Cotrim
Advisor: Pereira, Mário Jorge
Azeiteiro, Ulisses Manuel de Miranda
Keywords: Zonas costeiras
Zooplâncton
Ecossistemas estuarinos - Estuário do Mondego (Portugal)
Defense Date: 2004
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: A dinâmica espacio-temporal e tidal das comunidades zooplanctónicas do estuário do Mondego foi estudada entre Janeiro de 2003 e Janeiro de 2004. As amostras de zooplâncton foram colhidas em 5 locais de amostragem distribuídos pelos Braço Norte, Braço Sul e embocadura do estuário, na situação de preia-mar e baixa-mar. A abundância, a composição, a diversidade e a biomassa zooplanctónica, da taxocenose de 335 mm, foram determinadas para cada momento de amostragem. As características físico-químicas de cada um dos locais de amostragem foram definidas para a situação de preiamar, através da análise de diversos parâmetros hidrológicos, tais como a salinidade, a temperatura, o oxigénio dissolvido, o pH, a profundidade de Secchi, os nutrientes (nitratos, nitritos, amónia e fosfatos) e o teor em clorofila a. Os parâmetros referidos anteriormente foram submetidos a uma análise de componentes principais (ACP), a qual evidenciou a existência de um gradiente espacial, opondo as estações mais a montante (N2 e S2), associadas a valores mais elevados de nitratos e fosfatos, às estações mais a jusante (E, S1 e N1), as quais foram caracterizadas por valores elevados de salinidade e oxigénio dissolvido. A análise de variância (ANOVA 3-factorial) demonstrou a existência de diferenças significativas entre os local de amostragem (P < 0,001) para a abundância do zooplâncton total, o qual foi mais abundante nas estações localizadas no Braço Sul, contrariamente aos efeitos fase da maré e mês de amostragem, os quais não mostraram ser significativos. No entanto, foi possível identificar a ocorrência de picos de abundância na Primavera, Verão e Outono, para a situação de baixa-mar, e no Outono e Inverno, para a situação de preia-mar. Durante o período de estudo, a fracção holoplanctónica foi mais abundante que a fracção meroplanctónica, tanto na situação de preia-mar como de baixa-mar. De entre os organismos holoplanctontes, os Copepoda foram aqueles cuja abundância relativa foi mais elevada, sendo de destacar a espécie Acartia tonsa, seguida dos Cladocera e Siphonophora. As análises de classificação (cluster) e ordenação (MDS) evidenciaram que a comunidade zooplanctónica do estuário do rio Mondego foi constituída por 4 grupos principais de organismos: Grupo I, constituído pelas espécies típicas de água doce; Grupo II, constituído por organismos marinhos com ocorrência no Outono/Inverno; Grupo III, constituído por organismos marinhos que dominam na Primavera/Verão e, Grupo IV, englobando as espécies estuarinas residentes. Os resultados obtidos neste estudo sugerem que a estrutura (abundância, biomassa e diversidade) da comunidade zooplanctónica do estuário do Mondego foi fortemente influenciada pelo padrão de circulação hidrológica característico de cada um dos Braços deste ecossistema, sendo o Braço Norte dominado pelos processos fluviais e o Braço Sul pela onda de maré.
Spatial, temporal and tidal dynamics of the zooplanktonic community of the Mondego estuary were studied from January 2003 to January 2004. Zooplankton samples were collected at 5 sampling stations distributed through the North arm (N1 and N2), South arm (S1 and S2) and near the mouth (E), at both high- and low-tide. Zooplankton abundance, composition, diversity and biomass of the 335 mm taxocenosis were determined for each sampling moment. Hydrological parameters (salinity, temperature, dissolved oxygen contents, pH, Secchi depth, nutrients and chlorophyll a) were measured at high-tide. Based on such parameters, the principal component analysis (PCA) revealed the existence of a spatial gradient where the upstream sampling stations (N2 and S2), associated to high values of nitrates and phosphates, were in opposition to downstream stations (N1 and N2) with higher salinity and dissolved oxygen. Anova 3-way showed the existence of significant effect of the sampling station on the abundance of total zooplankton (P < 0,001), higher on the South arm site than on the North arm. No significant effects of tidal phase and sampling month were detected. Nevertheless, it was verified abundance peaks in Spring, Summer and Autumn at low-tide and in Autumn and Winter at high-tide. During this study, holoplankton was always more abundant than meroplankton at both high- and low-tide. The Copepoda was the main holoplanktonic group and Acartia tonsa revealed to be the more abundant taxa. Other holoplanktonic important groups were Cladocera and Siphonophora. Cluster analysis showed the existence of 4 main groups in the zooplanktonic community of the Mondego estuary: Group I composed by fresh water typical organisms, Group II with marine organisms which appeared in Autumn/Winter, Group III comprising marine organisms that predominated in Spring/Summer and Group IV corresponding to truly estuarine organisms. The results here obtained suggest that abundance, biomass and diversity of the zooplanktonic community of Mondego estuary are strongly influenced by the hydrological circulation pattern that occur in each arms - North arm dominated by the river flow and the South arm by tidal circulation
Description: Mestrado em Ciências das Zonas Costeiras
URI: http://hdl.handle.net/10773/18828
Appears in Collections:DBio - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
File 3 - Tese .pdf2.72 MBAdobe PDF    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.