Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/17201
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRua, Marília dos Santospt
dc.contributor.advisorMelo, Elsa Maria de Oliveira Pinheiro dept
dc.contributor.authorFernandes, Natália da Conceição Martins Rodriguespt
dc.date.accessioned2017-04-06T13:26:06Z-
dc.date.available2017-04-06T13:26:06Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10773/17201-
dc.descriptionMestrado em Enfermagem de Saúde Familiarpt
dc.description.abstractA esquizofrenia é uma doença mental caracterizada por uma perda do contacto com a realidade, alucinações, delírios, pensamentos anormais e alterações no funcionamento social e laboral. Com este trabalho pretendemos conhecer e compreender as vivências das famílias e da pessoa portadora de esquizofrenia, esperando que numa fase posterior possamos intervir de forma a capacitá-las para lidarem melhor com a doença. Enveredamos por um estudo fenomenológico, de abordagem qualitativa, cujos participantes foram elementos de famílias que têm um familiar portador de esquizofrenia e as pessoas portadoras da doença, do Concelho de Sever do Vouga. Para a colheita de dados foi utilizada uma entrevista semiestruturada, para que fosse possível recolher os dados que nos permitiram compreender a dinâmica familiar destas famílias e de que forma a mesma, foi ou não alterada com a emergência desta patologia em um dos seus membros. Os resultados apontam para a necessidade de maior atenção dos profissionais de saúde, da sociedade e da família enquanto unidade social em relação à pessoa portadora de esquizofrenia e ao familiar cuidador. Torna-se pertinente uma futura intervenção profissional, de forma a capacitar a família e a pessoa portadora de esquizofrenia para melhor controlar os sintomas e lidarem da forma menos traumática com as consequências inerentes à esquizofrenia. Deixamos como proposta de intervenção familiar na esquizofrenia, o Modelo de Falloon de forma a ajudar a família a adotar métodos que facilitem a expressão das emoções, onde seja facilitada a partilha das dificuldades sentidas no cuidar da pessoa com esquizofrenia. Salientamos a necessidade de uma intervenção multidisciplinar de forma a melhorar a assistência à pessoa doente e família, evitando o facto de muitas vezes a família adoecer como consequência da agressividade, da sobrecarga física, do preconceito e de sentimentos, que acabam por a desgastar, devido à convivência com a pessoa doente. Esperamos ainda que a concretização deste trabalho possa proporcionar mudanças de comportamento no sentido de aumentar a qualidade de vida da família e da pessoa portadora de esquizofrenia e contribuir para que outros estudos se efetuem neste domínio.pt
dc.description.abstractSchizophrenia is a mental illness characterized by a loss of contact with reality, hallucinations, delusions, abnormal thinking and changes in social and occupational functioning. With this work we intend to know and understand the experiences of families and the person with schizophrenia, hoping that at a later stage can intervene in order to enable them to cope better with the disease. We set out phenomenological study of qualitative approach, whose participants were members of families who have a relative with schizophrenia and people with the disease, the Municipality of Sever do Vouga. For data collection we used a semistructured interview, to be able to collect the data that allowed us to understand the family dynamics of these families and how the same, or has not changed with the emergence of this disease in one of its members. The results point to the need for greater attention of health professionals, society and the family as a social unit in relation to the person with schizophrenia and the family caregiver. It is pertinent to a future professional intervention in order to empower the family and the person with schizophrenia to better control the symptoms and deal the least traumatic way with the inherent consequences to schizophrenia. We leave as family intervention proposal in schizophrenia, the model in order to help the family Falloon to adopt methods that facilitate the expression of emotions, where it facilitates the sharing of difficulties in caring for the person with schizophrenia. We highlight the need for a multidisciplinary approach to improve the assistance to the patient and family person, avoiding the fact that often the family become ill as a result of aggression, physical overload, prejudice and feelings that end up to wear due to living with the sick person. We also expect the completion of this work can provide behavioral changes to increase the quality of family life and carrier schizophrenia person and contribute to other studies are effected in this area.pt
dc.language.isoporpt
dc.publisherUniversidade de Aveiropt
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectEnfermagem de saúde familiarpt
dc.subjectEnfermagem familiarpt
dc.subjectFamíliaspt
dc.subjectEsquizofrenia - Papel da familiapt
dc.subject.otherFamíliapt
dc.subject.otherEnfermagem de Famíliapt
dc.subject.otherEsquizofreniapt
dc.subject.otherModelo de Falloonpt
dc.titleAs vivências da família e da pessoa portadora de esquizofrenia: contributos para o desempenho do enfermeiro de famíliapt
dc.typemasterThesispt
thesis.degree.levelmestradopt
thesis.degree.grantorUniversidade de Aveiropt
dc.identifier.tid201560062-
Appears in Collections:ESSUA - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado



FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.