Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/15577
Title: Qualidade de sono (BaSIQS), esforço para dormir (GSES) e pensamentos antes de adormecer (GCTI) numa amostra não clínica de adultos
Author: Alves, Juliana da Silva
Advisor: Gomes, Ana Allen
Keywords: Psicologia da saúde
Psicologia clínica
Sono - Aspectos psicológicos
Perturbações do sono - Adultos
Qualidade de vida
Defense Date: 2015
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: O presente estudo teve como objetivos, em primeiro lugar, analisar, em adultos portugueses, as características psicométricas das escalas BaSIQS (Escala Básica de Insónia e Qualidade de Sono, de Gomes, 2005), GSES (Glasgow Sleep Effort Scale, de Broomfield e Espie, 2005) e GCTI (Glasgow Content of Thoughts Inventory, de Harvey e Espie, 2004), nas versões portuguesas de Marques et al. 2013a e Marques et al. 2013b. Em segundo lugar, procedeu-se à análise da qualidade de sono percebida e queixas de insónia, do esforço para adormecer e da presença de pensamentos intrusivos antes de adormecer, em função de variáveis clínicas/de saúde e de características sociodemográficas. A BaSIQS avalia queixas de insónia e qualidade de sono; a GSES avalia o esforço para dormir; e a GCTI avalia os pensamentos intrusivos antes de adormecer. O estudo foi realizado numa amostra de 227 adultos portugueses, com idades compreendidas entre os 20 e os 74 anos (M=43; DP=12.44), sendo 50.2% do sexo masculino e 49.8% do sexo feminino. Pretendeu-se abranger uma amostra diversificada da população portuguesa, que incluísse indivíduos de vários grupos etários, profissionais, setores de atividade e graus de escolaridade. Na análise das características psicométricas, os resultados revelaram que a BaSIQS, a GSES e a GCTI apresentaram uma fidelidade adequada no que toca à consistência interna (α=0.84, α=0.83 e α=0.95, respetivamente). Constatou-se ainda que as três escalas se associaram significativamente entre si. A análise da validade de critério mostrou que participantes que referiram ter problemas de sono apresentaram pontuações mais elevadas nas escalas, com magnitudes de efeito elevadas. No que respeita à análise das características sociodemográficas, verificou-se que as mulheres e os indivíduos com mais idade apresentaram pontuações mais elevadas nas escalas. Em geral, indivíduos com o 1º ciclo apresentaram maior esforço para dormir, maior quantidade de pensamentos intrusivos antes de adormecer e pior sono percebido, mas o mesmo se passou com os indivíduos mais velhos, por isso, os resultados podem dever-se, não à escolaridade em si mesma, mas a uma idade mais avançada no grupo do 1º ciclo. Quando se comparou casados e solteiros, empregados e desempregados, setor secundário e terciário, não foram encontradas diferenças significativas. Relativamente às variáveis clínicas/de saúde, constatou-se que participantes que tomam medicação e participantes com outras doenças do foro físico ou mental apresentaram pontuações mais elevadas na BaSIQS, na GSES e na GCTI. Estas escalas mostram-se úteis não apenas para amostras clínicas, mas também para a população em geral porque podem proporcionar informações pertinentes para promoção de um sono mais saudável.
The aims of the present work were, firstly, to analyze the psychometric behavior of three scales in Portuguese adults: the BaSIQS (Basic Scale on Insomnia complaints and Quality of Sleep; Gomes, 2014); the GSES (Glasgow Sleep Effort Scale; Broomfield and Espie, 2005) and the GCTI (Glasgow Content of Thoughts Inventory, Harvey and Espie, 2004), Portuguese versions (Marques et al., 2013a and Marques, 2013b). Secondly, to explore insomnia complaints, perceived sleep quality, sleep effort and thoughts before falling asleep by considering clinical/health variables and sociodemographic characteristics. The BaSIQS addresses complaints of insomnia and poor sleep quality. The GSES evaluates the efforts that people make in order to try to fall asleep. The GCTI evaluates recurrent intrusive thoughts that may arise before people fall asleep. Participants consisted of 227 Portuguese adults, with ages between 20 and 74 years old (M=43; SD=12.44), 50.2% men and 49.8% women. We tried to reach a diverse sample of Portuguese population, which included individuals from a variety of age groups, occupations, activity sectors and educational levels. Regarding the analysis of psychometric characteristics, the results revealed that BaSIQS, GSES and GCTI had adequate reliability as to internal consistency (α=0.84, α=0.83 and α=0.95, respectively). The three scales correlated significantly to each other. As to criterion validity, participants who reported sleep problems had higher scores in all three scales, with high effect sizes. Concerning the analysis of sociodemographic characteristics, it was found that women and older individuals had higher sleep difficulties in all three scales. In general, individuals with the lowest educational level showed poorer sleep quality, higher sleep effort and higher intrusive thoughts before falling asleep. However, the same happened with older individuals, so the results may be due, not to the level of education itself, but an older age in the primary education group. When we compared married vs. single individuals, employed vs. unemployed individuals and secondary vs. tertiary activity sectors, no significant differences were found. With respect to clinical/health variables, medication and other physical or mental disorders were associated to higher sleep difficulties in BaSIQS, GSES and GCTI. These scales might be relevant not only for clinical samples, but also for the general population as they may provide relevant information to promote better sleep health.
Description: Mestrado em Psicologia da Saúde e Reabilitação Neuropsicológica
URI: http://hdl.handle.net/10773/15577
Appears in Collections:DEP - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado



FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.