Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/13107
Title: Processos de fusão parcial no Complexo Migmatítico de Mundão (Centro Norte de Portugal): Evidências geoquímicas
Author: Azevedo, M.R.
Valle Aguado, B.
Nolan, J.
Keywords: Complexo migmatítico
Orogenia Varisca
Padrões de Terras Raras
Issue Date: 2012
Publisher: SBG
Abstract: As formações de idade ante-ordovícica estão amplamente representadas na região centro norte de Portugal, onde constituem um espesso conjunto metassedimentar, conhecido na literatura como “Complexo Xisto-Grauváquico ante-Ordovícico” (CXG), ao qual tem sido atribuída uma idade neoproterozóica a câmbrica inferior. Durante a orogenia varisca, as rochas do CXG foram afectadas por deformação polifásica e metamorfismo regional, de intensidade variável. Na área de Mundão, o metamorfismo regional atingiu as condições de fusão parcial, dando origem a um complexo migmatítico (CMM), composto por metatexitos estromáticos, diatexitos “schollen” e diatexitos nebulíticos leucocráticos. Do ponto de vista das relações com a deformação, o processo de migmatização parece ter-se iniciado no final da 1ª fase de deformação (D1), associada ao espessamento crustal do orógeno, prolongando-se durante todo o episódio extensional (D2) e, pelo menos, grande parte da tectónica transcorrente com que se relaciona a 3ª fase de deformação (D3). Os dados de geoquímica de elementos maiores e traço (em particular os padrões de terras raras) mostram que os metapelitos e metagrauvaques não migmatizados e os mesossomas dos metatexitos estromáticos apresentam assinaturas químicas muito semelhantes, caracterizadas por teores baixos de SiO2 e CaO, K2O > Na2O, concentrações altas de Al2O3, Fe2O3, TiO2, padrões de REE pouco fraccionados (LaN/YbN = 6.55 – 7.05) e anomalias negativas de Eu (Eu/Eu* = 0.52-0.56). A semelhança encontrada sugere que os mesossomas não sofreram extracção significativa de “melt”, correspondendo a protólitos relativamente pouco modificados. Em contrapartida, os leucossomas dos metatexitos estromáticos estão enriquecidos em SiO2 (74-75%), CaO (0.62-0.77%) e Na2O (2.11-2.79%), empobrecidos em Al2O3, Fe2O3, TiO2 e REE e mostram anomalias positivas de Eu de amplitude variável (Eu/Eu* = 1.05-1.58). As suas composições são típicas de fundidos gerados por pequenos graus de fusão parcial em condições de desequilíbrio, embora também possam ser atribuídas à precipitação precoce de feldspato a partir dos fundidos primários (cumulados). Por fim, os diatexitos nebulíticos leucocráticos têm conteúdos em SiO2 variando entre 70-72%, exibem um marcado enriquecimento em K2O (5.20-6.67%), padrões de terras raras mais fraccionados (LaN/YbN = 11.88 – 22.75) e pronunciadas anomalias negativas de Eu (Eu/Eu* = 0.34-0.47), pelo que são interpretados como líquidos mais fraccionados resultantes de taxas de fusão superiores. O cálculo das temperaturas de saturação em Zr para as amostras de leucossomas e de diatexitos leucocráticos apontam para temperaturas de fusão entre 740-780C, o que é consistente com processos de anatexia controlados essencialmente por reacções de desidratação de moscovite.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10773/13107
Publisher Version: http://www.sbgeo.org.br/
Appears in Collections:DGeo - Comunicações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PAP009714.pdfdocumento principal81.02 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.