Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/11952
Title: Percursos dialógicos nas narrativas de Paula Rego e Frida Kahlo
Author: Oliveira, Maria Idalinda Pinho de
Advisor: Ferreira, Maria Aline Salgueiro Seabra
Keywords: Literatura - Teses de mestrado
Artes visuais
Pintura
Imagem da mulher
Defense Date: 2013
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: O presente trabalho tem como objetivo analisar as ligações entre a Literatura e as Artes Visuais, através da obra das pintoras Paula Rego e Frida Kahlo, cruzando os seus percursos dialógicos narrativos e procurando entender qual o seu contributo para a compreensão do universo feminino. Estas duas artistas conquistaram o reconhecimento internacional da sua obra, distanciando-se dos cânones de beleza convencionais, usando muitas vezes o grotesco como forma de expressão. Paula Rego não hesita em denunciar situações sociais prementes como o aborto, a violência doméstica, o tráfico humano, maus tratos a crianças ou a excisão feminina, retratando-os de forma incisiva, mordaz ou sarcástica, recorrendo ao grotesco, explorando múltiplos pontos de vista em cada temática e conquistando a atenção dos observadores, convidando-os à reflexão. Na sua obra, as relações entre as crianças e os adultos são muitas vezes ambíguas, com narrativas complexas, exigindo uma observação atenta e sujeitas a múltiplas interpretações. Vivendo desde a sua juventude em Londres, onde tem desenvolvido toda a sua obra, é em Portugal que a artista encontra motivações e fontes de inspiração, revisitando de forma continuada as suas raízes culturais e o seu imaginário infantil. Frida Kahlo toma-se a si mesma como temática da sua obra e objeto da sua expressão artística, já que teve longos períodos de imobilidade na cama, devido a um acidente. Não sendo autoindulgente nos seus autorretratos, representa-se de maneira provocadora e mesmo cruel, realçando no rosto os traços que lhe dão uma aparência andrógina, como as sobrancelhas juntas na testa e um buço acentuado e um olhar penetrante e perscrutador, fixado nos observadores. Os múltiplos autorretratos são o reflexo da sua vida, narrando os acontecimentos de uma forma simbólica: em corpo inteiro são representados os acontecimentos importantes, enquanto em meio corpo são espelhados os seus sentimentos e estados de alma permanentes. Pintar-se uma e outra vez permite à artista conhecer-se na sua plenitude, identificando-se e acentuando a sua ascendência indígena, la raza, cujas raízes culturais pré-colombianas valoriza e realça.
This study aims to analyze the links between Literature and the Visual Arts through the work of the painters Paula Rego and Frida Kahlo, by crossing their narrative dialogical pathways and trying to understand the extent of their contribution to the comprehension of the feminine universe. These two artists have gained international recognition of their work, steering away from the conventional standards of beauty, often using the grotesque as a form of expression. Paula Rego does not hesitate to denounce serious social issues such as abortion, domestic violence, human trafficking, child abuse or female circumcision, depicting them in an incisive, sharp or sarcastic way, resorting to the grotesque, exploring multiple perspectives in each theme and gaining the attention of the observers, by inviting them to reflect upon what they see. In her work, the relationships between children and adults are often ambiguous, with complex narratives, requiring a careful observation and subject to multiple interpretations. London is the place where she has lived since her youth and developed all her work; however, it is in Portugal that the artist finds motivations and sources of inspiration, continuously revisiting her cultural roots and her childhood imagination. Frida Kahlo takes herself as the theme of her work and the object of her artistic expression, while bedridden, due to an accident. Not being self-indulgent in her self-portraits, she represents herself in a provocative and even cruel manner, highlighting those facial features that give her an androgynous appearance, such as the eyebrows on the forehead and a hairy upper lip as well as a penetrating and inquiring gaze set on the observers. The multiple self-portraits are a mirror of her life, narrating the events in a symbolic way: in full-body portraits are represented the important events, while in half-body ones are mirrored her feelings and permanent states of mind. Painting herself over and over again allows the artist to meet herself in her plenitude, identifying herself and accentuating her indigenous ancestry, la raza, whose pre-Columbian cultural roots she values and highlights.
Description: Mestrado em Línguas, Literaturas e Culturas
URI: http://hdl.handle.net/10773/11952
Appears in Collections:DLC - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese.pdfTese8.12 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.