Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/11417
Title: Caracterização de uma amostra de cuidadores formais de idosos : capacidade para o trabalho, riscos psicossociais e qualidade de vida profissional
Author: Santos, Jennifer Cristina Gomes Alfaiate
Advisor: Monteiro, Sara Otília Marques
Keywords: Psicologia clínica
Pessoas idosas - Cuidados de saúde
Gerontologia
Qualidade de vida - Pessoal de saúde
Defense Date: 2013
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: Portugal apresenta uma população cada vez mais envelhecida, com uma necessidade cada vez maior de institucionalização dos idosos. Neste contexto, os cuidadores formais, enquanto profissionais que garantem a segurança, saúde e bem-estar dos idosos devem ser alvo de atenção. O presente trabalho apresenta a relação entre os riscos psicossociais no trabalho, a capacidade para o trabalho e a qualidade de vida profissional numa amostra de cuidadores formais. Método: Para o efeito um total de 104 cuidadores formais de idosos respondeu aos seguintes instrumentos de avaliação: Questionário Sócio Demográfico, Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT; Silva et al., 2001), Questionário Psicossocial de Copenhaga (COPSOQ; Silva et al., 2011) e Escala de Qualidade de Vida Profissional (ProQOL; Stamm, 2009).Resultados: Os principais resultados demonstram que os riscos psicossociais que mais interferem negativamente com a qualidade de vida profissional e com a capacidade para o trabalho são: o stress; os sintomas depressivos, as exigências quantitativas, emocionais e o ritmo de trabalho. Conclusão: As condições psicossociais no trabalho contribuem para a saúde e qualidade de vida dos profissionais, assim como quanto maior a capacidade para o trabalho, melhor a qualidade de vida do trabalhador. Os principais resultados, a interpretação dos mesmos e reflexões em torno dos mesmos são discutidos à luz da literatura da área.
Portugal presents an increasingly aging population, with a growing need for institutionalization of the elderly. In this context, formal caregivers, as professionals that ensure the safety, health and well-being of the elderly should be given attention. This paper presents the relationship between psychosocial risks at work, the ability to work and the professional quality of life in a sample of formal caregivers. Method: For this purpose a total of 104 formal caregivers of seniors responded to the following assessment instruments: Socio-Demographic Questionnaire, Index of Work Ability (ICT; Silva et al., 2001), Copenhagen Psychosocial Questionnaire (COPSOQ; Silva et al., 2011), Professional Quality of Life Scale (ProQOL; Stamm, 2009). Results: the main results show that psychosocial risks more negatively interfere with quality of life and ability to work are: stress, depressive symptoms, quantitative demands, emotional and work rate. Conclusion: The psychosocial work conditions contribute to the health and quality of life of staff as well as the greater the capacity for work, the better the quality of life of the worker. The main results, their interpretation and reflections around the same are discussed in the light of literature.
Description: Mestrado em Psicologia
URI: http://hdl.handle.net/10773/11417
Appears in Collections:DEP - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
7834 por.pdf1.88 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.