Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/10499
Title: Caracterização da linguagem oral em crianças com implante coclear
Author: Ramos, Daniela Castanheira
Advisor: António Joaquim da Silva Teixeira
Keywords: Produção da fala
Crianças
Implantes cocleares
Linguagem oral
Fonologia
Sintaxe
Semântica
Defense Date: 2012
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: Objectivo/tema: A surdez neurossensorial severa a profunda é a que provoca maior impacto na aquisição e desenvolvimento da linguagem oral, podendo comprometer, consequentemente, o desempenho linguístico das crianças. O implante coclear constitui-se como um elemento facilitador do desenvolvimento da linguagem em crianças com surdez severa a profunda cujo benefício com próteses auditivas convencionais é limitado. O desenvolvimento da linguagem oral das crianças utilizadoras de implante coclear apresenta diferenças comparativamente ao das crianças normo-ouvintes. O presente estudo teve como objectivos avaliar a linguagem oral em crianças com surdez congénita utilizadoras de implante coclear, comparar as suas capacidades linguísticas, ao nível da semântica, morfo-sintaxe e fonologia com normo-ouvintes e analisar a influência do género e da idade de implantação. Método: Foram estudadas 30 crianças com surdez profunda bilateral congénita, entre os 8 anos e 01 mês e os 10 anos de idade e comparadas com valores de referência de crianças normo-ouvintes dos 5 anos e 07 meses aos 7 anos tendo como base a mesma idade auditiva. Ambos os grupos foram avaliados com o instrumento de avaliação denominado Grelha de Observação da Linguagem – nível escolar. Resultados/Discussão: Os resultados do grupo dos 9 anos e 01 mês aos 10 anos, para a fonologia, semântica e a morfossintaxe, revelaram-se estatisticamente semelhantes aos valores de referência das crianças normoouvintes. O grupo com idade entre os 8 anos e 01 mês e os 9 anos apresentou um menor desempenho a nível da morfossintaxe que as crianças normoouvintes. Na semântica e na fonologia, a pontuação foi semelhante. As crianças implantadas mais cedo tiveram melhores resultados, mas a idade auditiva entre os grupos foi estatisticamente diferente. O género não influenciou significativamente o desempenho observado nas estruturas linguísticas estudadas. Conclusão: O estudo revelou que, de uma forma geral, as crianças com surdez profunda utilizadoras de implante coclear estudadas apresentam competências linguísticas semelhantes às normo-ouvintes com a mesma idade auditiva.
Objective/theme: Severe to profound sensorineural hearing loss is the one that causes the greater impact on the acquisition and development of spoken language, which may compromise, therefore, the linguistic performance of children. The cochlear implant becomes a facilitator of language development in children with severe to profound sensorineural hearing loss who have limited benefit from conventional hearing aids. The development of spoken language in children who use cochlear implant presents differences when compared with that of normal hearing children. This study aims to: assess spoken language in children with congenital hearing loss who use cochlear implant, and to compare their language skills, at the level of semantics, morpho-syntax and phonology, with that of normal hearing children, and to analyze the influence of gender and age at implantation. Method: 30 children with bilateral congenital profound hearing loss, between 8 years and 01 month and 10 years of age, were studied and compared with reference values of normal hearing children from 5 years and 07 months to 7 years old based on the same hearing age. The both groups were evaluated with a Portuguese language assessment instrument which is the Observation Chart of Language – School Level. Results/Discussion: The group aged from 9 years and 01 month to 10 years showed results statistically similar to the reference values of the normal hearing children for phonology, semantics and morpho-syntax. The group aged from 8 years and 01 month to 9 years old presented a lower performance in morphosyntax when compared with normal hearing children. On semantics and phonology the score was similar. Children implanted at an earlier age showed better results, but the hearing age between groups was statistically different. Gender did not influence significantly the observed performance on the linguistic tasks studied. Conclusion: This work revealed that, in general, children with profound hearing loss who use cochlear implant studied have language skills similar to those of normal-hearing children with the same hearing age.
Description: Mestrado em Ciências da Fala e da Audição
URI: http://hdl.handle.net/10773/10499
Appears in Collections:DCM - Dissertações de mestrado
DLC - Dissertações de mestrado
DETI - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação.pdf442.62 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.