Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/10171
Title: Ensino dual em Portugal: estudo e trabalho na educação secundária
Author: Pereira, Ana Cristina Ribeiro
Advisor: Meireles-Coelho, Carlos
Keywords: Ensino técnico
Política educativa - Portugal
História da educação
Relação trabalho-educação
Preparação para a vida activa
Defense Date: 2012
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: Ser detentor de diplomas de elevado grau académico já não significa ter acesso a emprego, porque não significa saber trabalhar nem saber aplicar os conhecimentos que se possui. A divisão entre os que não precisam de trabalhar e os que não têm tempo para fazer mais nada além de trabalhar parece esbater- se com o desenvolvimento da organização das sociedades. No início do séc. XX Faria de Vasconcellos, Kerschensteiner e Makarenko pretenderam educar e formar seres humanos que trabalhassem responsável e autonomamente para o bem comum mas tivessem tempo para serem livres e felizes. A educação e a formação, que andaram separadas, estão a convergir e o ser humano é chamado a desenvolver-se ao longo de toda a vida, trabalhando como cidadão produtivo e eficiente, ao mesmo tempo que se realiza plenamente na liberdade, solidariedade, autonomia e responsabilidade. Pretende-se analisar a evolução da relação entre escola e trabalho, particularmente no ensino dual. Até que ponto na Europa e em Portugal, as escolas secundárias e profissionais assumem o paradigma estudo-ou-formação ou estudo- e-formação? Qual a situação do ensino dual na Europa e em Portugal? Faz-se uma análise das boas práticas de ensino dual na Europa e compara-se, nesta perspetiva, os estudos dos casos da Escola Secundária da Gafanha da Nazaré e da Escola Profissional de Aveiro. A escola pública tem mais e maiores constrangimentos que a escola profissional para aliar estudo-e-formação. Na escola pública os cursos técnico-profissionais existem desde 2005, enquanto na escola profissional existe uma prática de cursos desta natureza desde 1993. Compara-se a percentagem dos alunos que prosseguem estudos, dos que entram na vida ativa na área, noutra área ou não entram. Apesar de na escola pública predominar, globalmente, a cultura de prosseguimento de estudos, é maior a percentagem de alunos da escola profissional que entram no ensino superior do que a dos alunos dos cursos técnico-profissionais da escola pública. Em ambas as escolas mais de um terço dos alunos fica sem trabalho uma vez concluído o curso, mas a percentagem de ex formandos desempregados ou que apenas conseguem trabalho fora da área de formação é superior na escola pública. O ensino técnico profissional português tem tentado aliar educação e formação, estudo e trabalho, aproximando-se do ensino dual, mas a componente de preparação para o trabalho ainda está longe de representar 50% do conjunto de educação e formação.
Being holder of high degree diplomas no longer means having access to employment, because it does not mean knowing how to work nor know to apply the knowledge that you own. The division between those who do not need to work and those who do not have time to do anything but work seems to blur with the development of the organization of societies. At the beginning of the XX century Faria de Vasconcellos, Kerschensteiner and Makarenko intended to educate and train people who could work responsibly and autonomously for the common good but had time to be free and happy. Education and training, that walked apart, are converging and the human being is called to grow throughout life, working as a productive and efficient citizen while being held fullmind in freedom, solidarity, autonomy and responsibility. The aim is to analyze the evolution of the relation between school and work, particularly in the dual education. To what extent in Europe and Portugal, secondary schools and vocational schools assume the paradigm study-or-training or study-and-training? What is the situation of dual education in Europe and Portugal? It is an analysis of best practices of the dual system in Europe and compares, in this perspective, the case studies of Escola Secundária da Gafanha da Nazaré and Escola Profissional de Aveiro. The public school has more and higher constraints that the vocational school to unite study and formation. In the public school technical-professional courses exist since 2005, while in vocational school there is a practice of courses with this nature since 1993. It is compared the percentage of students who continue studies, those who enter into active life in the area of training, another area or do not enter. Though in the public school predominate overall, the culture of continuing studies, is largest the percentage of students in the vocational school who enter higher education than students of vocational courses from the public school. In both schools over a third of pupils left without work once the course is completed, but the percentage of former graduates unemployed or that can only work outside the training area is higher in public school. The Portuguese vocational technical education has attempted to combine education and training, study and work, approaching the dual education, but the component of preparation for work is still far from representing 50% of all education and training.
Description: Mestrado em Ciências da Educação - Formação Pessoal e Social
URI: http://hdl.handle.net/10773/10171
Appears in Collections:DEP - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_ana pereira.pdf1.26 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.