Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10773/10130
Title: Identificação de Hotspots no gene MYH
Author: Capela, Liliana Isabel Fernandes
Advisor: Castedo, Sérgio Manuel Madeira Jorge
Santos, Maria do Céu Gomes dos
Keywords: Biologia molecular
Genética humana
Doenças genéticas
Cancro do cólon
Defense Date: 2012
Publisher: Universidade de Aveiro
Abstract: A Polipose Associada ao MYH (MAP) é uma das síndromes de polipose cólica associadas a risco aumentado de cancro colorretal. Descoberta em 2002, a MAP é uma síndrome hereditária com transmissão autossómica recessiva. Causada por mutações bialélicas no gene MYH, a MAP é responsável por cerca de 0,5 - 1% dos carcinomas colorrectais. O gene MYH codifica a enzima MYH glicosilase que faz parte do sistema de reparação de DNA por excisão de bases (BER). O sistema BER desempenha um papel significativo na reparação de mutações causadas por espécies reativas de oxigénio (ROS). Este estudo teve como principal objetivo determinar as frequências alélicas das mutações patogénicas detetadas numa série de 115 amostras consecutivas estudada no GDPN, de modo a delinear um protocolo laboratorial de rastreio de alterações do gene MYH eficaz, rentável e adequado. Através das técnicas de DGGE e sequenciação direta, foram detetados 29 casos com variações de sequência (excluindo polimorfismos conhecidos), em que as mutações missense p.Tyr179Cys e p.Gly396Asp foram responsáveis por 72,2% dos alelos mutados. As outras mutações patogénicas encontradas foram a mutação frameshift c.1227_1228dupGG, já detetada na população portuguesa e a deleção extensa dos exões 4 ao 16 [c.349-?_(1650_?)del], com apenas dois relatos na literatura. A maioria das restantes variantes encontradas, embora classificadas como “provavelmente patogénicas” por programas computacionais preditivos do efeito das mutações na proteína, ainda carecem de estudos funcionais para que possam ser definitivamente “rotuladas” de patogénicas. Tendo em conta a variedade de mutações encontradas ao longo do gene e os casos de heterozigotia composta detetados, a melhor estratégia para o rastreio de alterações do gene MYH neste laboratório, deverá passar pelo estudo inicial dos exões 7 e 13 do gene, seguindo-se o estudo de toda a sequência codificante do gene em todos os casos negativos ou heterozigóticos para uma mutação patogénica. Por outro lado, nos pacientes portadores de mutação em aparente homozigotia ou heterozigotia deverá ser considerada a hipótese de uma análise adicional por MLPA no sentido de detetar/excluir a presença de grandes deleções/duplicações.
MYH-associated polyposis (MAP) is one of the colon polyposis syndromes associated with a significant increased CCR risk. Discovered in 2002, MAP is a hereditary syndrome with autosomal recessive transmission. Caused by biallelic mutations in MYH gene, is responsible for about 0.5 – 1% of colorectal carcinomas. The MYH gene encodes the enzyme MYH glycosylase, which is part of the DNA repair by base excision (BER). The BER system plays a significant role in the repair of mutations caused by reactive oxygen species (ROS). This study aimed at determining the allele frequencies of MYH pathogenic mutations in order to devise an efficient, cost effective and suitable protocol for laboratory screening of MYH gene alterations. Using DGGE and direct sequencing 29 positive cases with MYH altered sequence (excluding known polymorphisms) were detected. Missense mutations p.Tyr179Cys and p.Gly396Asp accounted for 72,2% of mutated alleles. The other pathogenic mutations found were the frameshift mutation c.1227_1228dupGG, already detected in the Portuguese population and the extensive deletion of exons 4-16 [c.349-? _ (1650_?)del], with only two reports in the literature. Most of the remaining variants found, although classified as “likely pathogenic” by computational programs predicting the effect of mutations in the protein, still lack functional studies in order to be definitively “labelled” as pathogenic. Given the variety of mutations found throughout this gene and the detected cases of compound heterozygosity, the best strategy for the screening of the MYH gene in this laboratory should include the initial screening of exons 7 and 13, followed by the study of the entire coding sequence of the gene in all cases negative or heterozygous for a pathogenic mutation. Moreover, in patients who appear to be homozygous or heterozygous for a certain mutation further analysis by MLPA should be considered, in order to detect/exclude the presence of large deletions/duplications.
Description: Mestrado em Biologia Molecular e Celular
URI: http://hdl.handle.net/10773/10130
Appears in Collections:DBio - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_Liliana_Capela.pdf7.39 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterLinkedIn
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.