DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Teses de doutoramento >
 Conformational stability of the archetypal aspartic proteinase, pepsin A
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/944

title: Conformational stability of the archetypal aspartic proteinase, pepsin A
authors: Cardoso, Teresa Margarida Pedrosa
advisors: Barros, Marlene Maria Tourais de
Pires, Euclides Manuel Vieira
keywords: Bioquímica
Proteínas
Proteinases
Proteínas aspárticas
Péptidos
issue date: 2007
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A pepsina A tem sido considerada um protótipo do grupo das proteinases aspárticas, cuja relevância ao nível da patofisiologia humana tem estimulado intensa pesquisa. As propriedades moleculares e catalíticas da pepsina A começaram a ser exploradas há cerca de um século. Contudo, a informação existente sobre a estabilidade conformacional desta proteína em condições nativas é insuficiente. Elucidação dos factores responsáveis pela manutenção do estado conformacional naturalmente enrolado e activo de proteínas é vital para estabelecer estratégias de modulação da estabilidade. Com o objectivo de obter novos conhecimentos acerca das bases da estabilidade conformacional da pepsina A, foi adoptada uma abordagem que consistiu na indução e monitorização da desnaturação da proteína no seu estado naturalmente enrolado. A severidade das condições ambientais foi gradualmente agravada por adição de desnaturantes e / ou modificação de propriedades físicas e químicas do sistema proteína-solvente. Após uma fase de incubação nas condições desnaturantes, com a duração típica de 1 h, mudanças nas propriedades espectrais, no comportamento hidrodinâmico, na estabilidade térmica e na actividade peptidolítica da pepsina A de suíno foram avaliadas. O solvente orgânico, acetonitrilo, induziu destruição não-cooperativa dos arranjos secundário e terciário desta proteína. Sugere-se que a drástica debilitação das estruturas de hidratação pelo acetonitrilo terá impelido o desenrolamento global. Adicionalmente, a pepsina A revelou-se particularmente resistente à acção desordenante de dois agentes caotrópicos clássicos, o hidrocloreto de guanidina (GdnHCl) e a ureia. Um estado intermediário estável foi identificado durante a reacção de desenrolamento da proteína nativa induzida pelo GdnHCl. A adição de acetonitrilo a uma molaridade intermédia permitiu a identificação de um diferente estado parcialmente desenrolado na presença de GdnHCl a concentrações prétransicionais. Dados espectroscópicos indiciam promoção de ordem local a nível do esqueleto polipeptídico pela ureia a baixas e altas molaridades. Indução de extenso desenrolamento da proteína pela ureia requereu concentrações quase saturantes deste desnaturante e períodos de exposição de duração superior a 1 h. Foram detectados fenómenos de aparente estabilização, quando a fase de pré-incubação da proteína em ambos os agentes caotrópicos a baixas molaridades foi prolongada para 3 dias. A pepsina A no seu estado nativo revelou-se bastante termoestável. Contudo, 1 h de exposição da proteína, antes do seu aquecimento, a qualquer dos três desnaturantes a concentrações pré-transicionais foi suficiente para aumentar a termolabilidade da proteína. Contribuições de interacções hidrofóbicas e estruturas de solvatação para a estabilidade conformacional da pepsina A no seu estado biologicamente activo são discutidas nesta dissertação. ABSTRACT: Pepsin A has been considered a prototype of the group of aspartic proteinases, whose significance in human pathophysiology has galvanized intensive research. Molecular and catalytic properties of pepsin A have been explored for about a century. However, there is only fragmentary data on the conformational stability of this protein under native conditions. Elucidation of the factors accountable for the maintenance of the natively ordered and active conformational state of a protein is vital for engendering strategies for tailoring stability. In order to gain new insights into the scaffold of the conformational stability of pepsin A, an approach based on induction and monitoring of denaturation of the natively folded protein was adopted throughout the investigation reported herein. Environmental stringency was gradually increased by adding denaturants and / or modifying chemical and physical properties of the protein-solvent system. After a period of incubation in the denaturing conditions, which lasted typically 1 h, changes in spectral properties, hydrodynamic behaviour, thermal stability and peptidolytic activity of porcine pepsin A were appraised. The organic solvent, acetonitrile, was found to induce non-cooperative destruction of secondary and tertiary arrangements of this protein. Drastic debilitation of hydration structures by acetonitrile is suggested to have triggered global unfolding. In addition, pepsin A revealed to be particularly resistant to the disordering action of two classic chaotropes, guanidine hydrochloride (GdnHCl) and urea. A stable, intermediary state could be identified in the pathway of GdnHCl-induced unfolding of native pepsin A. Upon addition of acetonitrile at an intermediary molarity, a different partially unfolded state could be identified in the presence of GdnHCl at pre-transitional concentrations. It is apparent from spectroscopic data that urea promoted local backbone order at low and high molarities. And, periods of exposure longer than 1 h to urea at near-saturating concentrations were required to onset gross unfolding by this denaturant. Phenomena of apparent stabilization were detected when submission of the protein to both chaotropes at low molarities was prolonged to 3 days. Furthermore, pepsin A in its native state was noted to be rather thermostable. However, 1 h - incubation at pre - transitional concentrations of any denaturant prior to heating caused a raise in the protein thermolability. Contributions from hydrophobic interactions and solvation structures to the conformational stability of pepsin A in its biologically active state are discussed in this dissertation.
description: Doutoramento em Bioquímica
URI: http://hdl.handle.net/10773/944
appears in collectionsBIO - Teses de doutoramento
UA - Teses de doutoramento

files in this item

file description sizeformat
2008001422.pdf2.26 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2