DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 Quantificação do vírus H1N1v em amostras do trato respiratório superior
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8807

title: Quantificação do vírus H1N1v em amostras do trato respiratório superior
authors: Costa, Maria do Rosário Santos Silva
advisors: Pereira, Maria de Lourdes Gomes
Guimarães, João Tiago Sousa Pinto
keywords: Biologia molecular
Vírus da gripe
Polimerase
Vírus H1N1v
issue date: 2010
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A gripe é uma doença infecciosa, muito contagiosa, que afecta essencialmente o tracto respiratório e é causada pelo vírus influenza. Embora na maior parte das situações apresente um quadro clínico benigno, um número significativo doentes apresenta complicações que poderão resultar em internamento hospitalar ou mesmo morte. Em Abril de 2009 uma nova estirpe de vírus influenza A H1N1, disseminou-se rapidamente no mundo, originando a primeira pandemia de gripe deste século, que vitimou cerca de 18500 pessoas. Durante este período o Laboratório de Biopatologia Molecular do Serviço de Patologia Clínica do Hospital de S. João recebeu 13850 amostras para diagnóstico do H1N1v com a técnica da reacção em cadeia da polimerase, em tempo real. Um subconjunto dessa população (406 amostras da naso e orofaringe de 203 doentes) foi estudado com o objectivo de relacionar a carga virica da amostra com a sua localização, a idade, o sexo, o intervalo de dias desde o inicio dos sintomas até á colheita e a gravidade do quadro clínico. Não encontramos qualquer relação entre a carga vírica e a localização, a idade, o sexo e o intervalo de dias. A relação entre a carga virica e a gravidade do quadro clínico não foi significativa quando considerados três níveis de gravidade, no entanto se considerados apenas dois níveis de gravidade, parece existir associação entre uma maior carga virica e um quadro clínico de gravidade ligeira.

Influenza is an infectious and highly contagious disease affecting essentially the respiratory tract. Although mostly a benign clinical situation, a minority but significant number of patients presents some complications leading to hospitalization and even death. In April 2009 a new strain of influenza A H1N1 spread rapidly around the world, leading to the first influenza pandemic of the century, which killed around near tot 18,500 people. During this period the Hospital S. João, at Clinical Pathology Service, Molecular Biology Laboratory, received 13850 samples to influenza diagnosis with a real time polymerase chain reaction. Using a subset of this population (406 samples from 203 patients) the aim of this study was to link sample viral load with sample location, age, sex, evolution and clinical course. We found no significant relationship between viral load and age, gender and the range of days since the onset of symptoms. The relationship between viral load and severity of clinical manifestations was not significant when considering three levels of severity. However this relationship, if considered only two levels of severity, showed an association between higher viral load and a clinical picture of mild severity.
description: Mestrado em Biologia Molecular e Celular
URI: http://hdl.handle.net/10773/8807
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
6213.pdf1.52 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2