DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Teses de doutoramento >
 Stress no estágio pedagógico: estudo comparativo entre Portugal e Brasil
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8783

title: Stress no estágio pedagógico: estudo comparativo entre Portugal e Brasil
authors: Ferraz, Leandra Vaz Fernandes Catalino
advisors: Pereira, Anabela Sousa
Francisco, Carlos Manuel
keywords: Supervisão de professores
Professores estagiários
Estágios pedagógicos
Prática pedagógica
Stresse (Psicologia)
issue date: 2011
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A formação inicial de professores possui caraterísticas muito próprias e a complexidade envolta sobre o período de estágio na prática pedagógica, requer um olhar aprofundado sobre as questões subjacentes ao stress tanto no estagiário, como no supervisor e orientador. A presente investigação inter e multicultural, pretende conhecer junto a estes três atores as principais fontes indutoras de stress e seus sintomas no decorrer do período de estágio pedagógico, as estratégias de coping e a satisfação com o suporte social. Desenvolvemos três estudos de cariz comparativo entre Portugal e Brasil, em oito Instituições de Ensino Superior (4 de Portugal e 4 do Brasil) numa amostra total de 1.194 indivíduos. O primeiro de índole qualitativa envolveu 24 professores supervisores e orientadores de estágio, os quais identificaram as principais causas de stress que permitiram a construção do questionário “Avaliação do stress do professor/orientador de Estágio Pedagógico” (ASPOEP). Contamos no segundo estudo com uma amostra de 204 docentes (122 orientadores e 82 supervisores) no exercício da supervisão pedagógica e no terceiro estudo com 966 estagiários (476 Portugal e 490 Brasil). Nestes dois últimos estudos, para a identificação dos fatores de stress, os supervisores responderam ao questionário ASPOEP e os estagiários ao questionário ASAE (Avaliação do stress do aluno estagiário). Foram ainda utilizados os questionários de “Avaliação dos sintomas de stress”, o de “Estratégias de coping” e para a análise do suporte social fizemos uso da “Escala de satisfação com o suporte social”. Na análise dos dados foi utilizado o SPSS, tendo sido realizadas as estatísticas descritivas e inferenciais. Os resultados globais evidenciam o estágio pedagógico como uma fonte indutora de stress. Nos supervisores de estágio, a sobrecarga de trabalho, as relações interpessoais, o desempenho do estagiário e sobretudo a estrutura e acompanhamento do estágio, marcaram os fatores de maior stress, que foi mais evidente no gênero feminino e na população brasileira. Entre estagiários, a insegurança e a indisciplina são os fatores de maior stress, sobretudo no gênero feminino de Portugal. O stress apesar de moderado para a maioria da amostra, evidencia índices de stress elevado em 10,7% dos docentes e 19,1% dos estagiários portugueses e 23,8% dos docentes e 12,7% dos estagiários brasileiros. Os sintomas cognitivos são os mais evidentes nestas duas populações estudadas, porém nos casados e com filhos existe evidência significativa de sintoma comportamental. A estratégia de coping centrada no indivíduo foi mais prevalente, porém evidencia-se que os brasileiros e também os pais com filhos apresentam significativo coping centrado no outro. O suporte social da amizade e da intimidade foram os que demonstraram maior satisfação, sendo assim eficaz na manutenção de um stress moderado. Os portugueses apresentam maior satisfação com o suporte social que os brasileiros. Ficou evidente que a satisfação e as estratégias de coping contribuem de forma positiva na diminuição dos sintomas de stress, bem como a satisfação com estágio diminui os níveis de stress. Sugere-se que na formação de professores sejam integrados programas de formação sobre gestão e controlo do stress para supervisor, orientador e estagiário, bem como devem ser propostas mudanças a nível curricular, ligado à estrutura e acompanhamento do estágio, para que este possa ser um período de desenvolvimento de competências profissionais, alicerçadas no bem-estar para todos os intervenientes.

The initial training of teachers has its own characteristics and complexity wrapped on the period of internship in pedagogic practice, requires a depth look at the issues underlying the stress in both the trainee and the supervisor and advisor. This inter and multicultural research, plans to meet with these three actors inducing the main sources of stress and their symptoms during the period of teaching practice, coping strategies and satisfaction with social support. We develop three comparative studies of nature between Portugal and Brazil in eight Higher Education Institutions (4 of 4 Portugal and Brazil) in a total sample of 1,194 individuals. The first involved 24 qualitative nature of supervising teachers and mentors stage, which identified the main causes of stress that led to the construction of the questionnaire "Evaluation of the stress of the teacher / supervisor of teaching practice" (ASPOEP). The second study counts with a sample of 204 teachers (122 counselors and 82 supervisors) in the exercise of supervision and teaching and in the third study 966 trainees (476 Portugal and Brazil 490). In the last two studies, to identify the stress factors, supervisors responded to the questionnaire and trainees ASPOEP ASAE questionnaire (Assessment of stress student intern). Questionnaires were also used on "Evaluation of symptoms of stress," to "coping strategies" and for the analysis of social support we used the "Scale of satisfaction with social support." In the analysis of statistical data it was used SPSS, having been held descriptive and inferential statistics. The overall results show the teaching practice as a source of stress-inducing. In the internship supervisors, work overload, interpersonal relations, the trainee's performance and especially the structure and the monitoring stage, marked the biggest stress factors, which was more evident in females and in the Brazilian population. Among trainees, insecurity and lack of discipline are the biggest stress factors, especially in females of Portugal. The stress while moderate for the majority of the sample shows high levels of stress in 10.7% of teachers and 19.1% of Portuguese trainees and 23.8% of teachers and 12.7% of Brazilian trainees. Cognitive symptoms are most evident in these two populations studied, however the married with children evidence significant behavioral symptoms. The coping strategy based on the individual was more prevalent, but it is clear that the Brazilians and also parents with children shows coping substantially centered on the other. Social support of friendship and intimacy were those who demonstrated greater satisfaction, so effective in maintaining a moderate stress. The Portuguese have a higher satisfaction with social support than the Brazilians. It was evident that the satisfaction and coping strategies contribute positively in reducing the symptoms of stress and satisfaction with stage lowers levels of stress. It is suggested that teacher training be integrated into training programs on management and control of stress for supervisor, mentor and trainee, and should be proposed changes to the curricular level, linked to the structure and follow-up stage, so that it can be a period of development of professional skills, grounded in well-being for all concerned.
description: Doutoramento em Educação
URI: http://hdl.handle.net/10773/8783
appears in collectionsUA - Teses de doutoramento
DE - Teses de doutoramento

files in this item

file description sizeformat
6103.pdf3.08 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2