DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 Prevalência e resistência de Escherichia coli em ambulatório
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/873

title: Prevalência e resistência de Escherichia coli em ambulatório
authors: Diaz, Raquel Catarina Saraiva
advisors: Barroso, Sónia Alexandra Leite Velho Mendo
Freitas, Américo Lopes de
keywords: Microbiologia
Agentes anti-infecciosos
Resistência a antibióticos
Microorganismos patogénicos
issue date: 2009
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A resistência aos antimicrobianos é um problema crescente no contexto clínico. É consequência de uma terapia inadequada e resulta das dificuldades crescentes no tratamento de infecções bacterianas. Actualmente é a grande ameaça no público saudável e tem aumentado significativamente em infecções adquiridas na comunidade, como por exemplo infecções urinárias. E. coli é o principal microrganismo responsável por infecções urinárias em ambulatório e apresenta uma percentagem significativa de resistências ao Sulfametoxazol + Trimetoprim (SxT). A eficácia antimicrobiana e o baixo custo fizeram com que se tornassem antibióticos de eleição para o tratamento de infecções urinárias. Contudo, por esse motivo, têm-se verificado um aumento da taxa de resistência a estes compostos. O presente estudo foi efectuado, durante um período de 3 meses, em isolados de E. coli recolhidos de pacientes de ambulatório da região centro de Portugal, Aveiro, com suspeita de ITU. Tendo em conta o perfil de antibióticos testado verificou-se maior percentagem de resistência à amoxicilina, cefatrizina, norfloxacina e SxT. Este último grupo está fortemente relacionado com terapias empíricas, tendo por isso sido o seleccionado para o presente estudo. São conhecidos três genes, sul1, sul2 e sul3, implicados na resistência às Sulfonamidas. De um total de 547 isolados de E. coli foram seleccionados 25 isolados resistentes ao SxT. Destes, 19 foram positivos na pesquisa do gene de integrase de classe 1, 13 para a pesquisa de sul1, 16 para a pesquisa de sul2 e 2 para a pesquisa de sul3. Variantes do qgene dfr foram predominantes nas zonas variáveis amplificadas. Em conclusão, a percentagem de resistência ao SxT em estirpes de E.coli não é a mais elevada contudo a localização de genes de resistência em elementos genéticos móveis pode indicar uma forte disseminação da resistência e um aumento no fracasso dos tratamentos com este grupo de antibióticos. ABSTRACT: Antimicrobial resistance is a major problem in the clinical context. It results from inadequate therapy and results in difficulties to treat bacterial infrctions. Nowadays, it represents a significant threat for the general healthy public as infections are increasing significantly among the community, with urinary infections as an example of that. Escherichia coli is the main microorganism responsible for urinary infections in the community and shows a significant percentage of resistance to Sulfamethoxazole + Trimethoprim (SxT). Due to its antimicrobial efficacy and low cost, SxT became the leading antibiotic for treatment of urinary tract infections. However, the resistance rates among the isolates have increased over the last decades. During a three month study performed at the community level, results showed that Escherichia coli is the most common microorganism isolated from patients with UTI. Antibiotic resistance profile revealed a high rate of resistance to Amoxicilin, Cefatrizin, Norfloxacin and SxT. This last group is strongly related to the empirical therapy, therefore isolates resistant to SxT were selected for further studies. Three genes are known to be involved in Sulfonamides resistance: sul1, sul2 and sul3. From a total of 547 E. coli isolates collected from a health care unit from individuals from Aveiro, Central Portugal, with suspected ITU, 25 E.coli resistant to SxT were selected for this study. 19 of these were positive for the presence of the gene int1, indicating the presence of class 1 integron(s); 13 were positive for the presence of sul1, 16 were positive for sul2 and 2 for the sul3 gene. Variants of the dfr were predominant in the amplified variable regions. Results showed that the main resistance mechanism to Sulfonamides seems to be related to the presence of class 1 integrons. To conclude, the percentage of resistance to SxT in the E.coli strains is not very high; the resistance genes are located in mobile genetic elements providing the mobilization of these genes and, therefore, contributing to the failure of the treatments with this group of antibiotics.
description: Mestrado em Microbiologia
URI: http://hdl.handle.net/10773/873
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
2010000083.pdf2.67 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2