DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Biologia > BIO - Dissertações de mestrado >
 Prevalência de infeção por citomegalovírus numa população obstétrica
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8584

title: Prevalência de infeção por citomegalovírus numa população obstétrica
authors: Reis, Maria Adélia Machado Fernandes
advisors: Lira, Agostinho José
Almeida, Adelaide
keywords: Microbiologia
Doenças infecciosas
Infecção por citomegalovírus
Gravidez
Obstetrícia
issue date: 2011
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A infeção por citomegalovírus (CMV) é mais frequente em países em desenvolvimento e em comunidades com estatuto socioeconómico mais baixo, e representa a causa viral mais significativa de malformações de nascimento em países industrializados. É possível reduzir os danos decorrentes desta infeção se forem seguidas e aplicadas algumas medidas de prevenção. Este trabalho teve como objetivo determinar a prevalência de infeção por citomegalovírus nas utentes que recorreram à consulta de obstetrícia do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho,EPE, entre 8 de Fevereiro de 2001 e 15 de Dezembro de 2010. Para esse efeito, foi realizado um estudo estatístico utilizando a base de dados deste Centro Hospitalar relativos à consulta em causa e aos valores dos respetivos pedidos do CMV. Verificou-se que 82,8% das utentes tinham IgG anti-CMV positiva e 16,9% apresentavam resultados negativos para a IgG anti-CMV. Em relação à IgM anti-CMV 97,4% tinham resultado negativo e 0,9% eram positivas. Foi feita a avidez da IgG anti-CMV das utentes que apresentavam valores positivos e duvidosos para a IgM anti-CMV. Observou-se que 65,8% tinham uma avidez alta (infeção com mais de 3 meses) e 0,5% avidez baixa (infeção recente, com menos de 3 meses). Relativamente à avidez da IgG anti-CMV 33,7% dos resultados foram inconclusivos, o que não permitiu determinar se a infeção era recente ou antiga. Observou-se ainda que 0,3% (19 utentes) seroconverteram durante o período de estudo. Os pedidos de serologia para CMV no acompanhamento das mulheres em idade fértil acarretam custos consideráveis. Os resultados deste estudo indicam que estas despesas são justificáveis pois uma fracção elevada das mulheres estudadas (83%) está infectada e foi detectada seroconversão em 19 pacientes durante o período de estudo. À alta prevalência da infeção está associado o risco de reinfeção ou reativação. A seroconversão das utentes de IgG anti-CMV negativa para positiva associada à baixa avidez das IgG, é a melhor forma de documentar uma infeção primária e permitir ao clinico a decisão de realizar a colheita de líquido amniótico para atempadamente determinar possíveis fetopatias graves.

Cytomegalovirus infection (CMV) is more frequent in developing countries and communities with lower socio-economic status, representing and the same time the most significant viral cause of birth defects in industrialized countries. It is possible to reduce the damage caused by this infection if some prevention measures are applied. This work aimed to determine the prevalence of cytomegalovirus infection in users of the Obstetrics Consult of the Hospital Center of Vila Nova de Gaia / Espinho, EPE, between February 8, 2001 and December 15, 2010. To reach this goal a statistical study was perfomed using the database of the Hospital Center and the values of the respective CMV tests. It was concluded that 82.8% of the users had anti-CMV IgG positive and 16.9% had negative results for anti-CMV IgG. With regard to anti-CMV IgM 97.4% were negative and 0.9% were positive. It was evalueted the avidity of the anti-CMV IgG for patients with positive values and equivocal anti-CMV IgM.It was observed that 65.8% had a high avidity (infection with more than 3 months) and 0.5% had low avidity (recent infection with less than 3 months). Thirty three percent of anti-CMV IgG avidity test were inconclusive, wich did not allow establish if the infection was recent or old. It was also observed that 0.3% seroconverted during study period. . Requests for CMV serology in monitoring women of childbearing age entail considerable costs. The results of this work show that these costs are, however, justified because a high fraction of women (83%) are, infected and it was detected seroconversion in 19 patients during the study period. To the high prevalence of the infection is associated with the risk of reinfection or reactivation. The seroconversion from anti-CMV IgG negative to positive associated with low avidity of IgG, is the best way to document a primary infection and allows the clinician to make a decision relatively to amniotic fluid collection in order to determine serious fetal pathologies.
description: Mestrado em Microbiologia
URI: http://hdl.handle.net/10773/8584
appears in collectionsBIO - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
246503.pdf500.99 kBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2