DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Dissertações de mestrado >
 Características faciais e a interpretação de perfis criminais
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8208

title: Características faciais e a interpretação de perfis criminais
authors: Cunha, Soraia Daniela Rodrigues
advisors: Santos, Isabel Maria Barbas dos
keywords: Psicologia forense
Criminalidade
Expressão facial
issue date: 2011
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: O presente estudo baseia-se no argumento de que os perfis criminais são, na sua maioria, demasiadamente ambíguos, podendo ser utilizados com perceção de igual adequação a agressores com características significativamente diferentes, o que põe em questão a sua real utilidade em investigações criminais. Assim, o principal objectivo foi verificar se a interpretação e perceção de adequabilidade de perfis criminais pode ser enviesada em função das características faciais dos potenciais suspeitos, através das inferências sociais que fazemos com base nessas características e dos estereótipos que possuímos relativamente à aparência da pessoa que comete determinado tipo de crime. A fim de estudar o efeito das características faciais no enviesamento da interpretação de perfis, comparou-se esses efeitos para características que não são mencionadas nos perfis, sendo por isso informação ambígua (dominância e honestidade) e para características que são mencionadas nos perfis, sendo assim informação menos ambígua (agressividade e inteligência). Para este estudo, foi utilizada uma amostra de 66 estudantes universitários, aos quais eram apresentados as descrições de dois crimes e os perfis criminais dos respetivos suspeitos, bem como um conjunto de faces de potenciais suspeitos para cada crime. Os participantes tinham de avaliar, para cada face, a probabilidade de que a pessoa apresentada tenha cometido o crime descrito, o grau de adequação do perfil à pessoa apresentada, o grau de utilidade do perfil para identificação daquele suspeito em particular e o grau de severidade da pena que deveria ser atribuída. Analisou-se ainda o grau de utilidade geral do perfil para a investigação de cada um dos crimes. Os resultados sugerem que as pessoas avaliam a probabilidade de um sujeito ter cometido um determinado crime em função do estereótipo que possuem para o agressor nesse tipo de crime e que a interpretação dos perfis é enviesada de acordo com esses mesmos estereótipos. Adicionalmente, para características sobre as quais os perfis são ambíguos, mas que estão implícitas nos estereótipos que existem sobre as pessoas que cometem determinados crimes, não se verificou uma influência das características faciais. Os participantes atribuem um alto nível de utilidade aos perfis para a investigação criminal, apesar do seu elevado grau de ambiguidade. Estes resultados poderão ter fortes implicações no contexto de profiling.

The current study is based on the argument that most of the criminal profiles are too ambíguos and can be perceived as equally adequate for offenders with significantly different characteristics. This questions their usefulness in criminal investigations. Thus, the main objective was to verify whether the interpretation and perception of adequacy of criminal profiles can be biased depending on the facial characteristics of the potential suspects due to social inferences we make o the basis of these characteristics and the stereotypes that we have about the appearance of the person who commits a particular type of crime. In order to study the effect of facial characteristics on the bias in profile interpretation, we compared those effects for characteristics that are not objectively mentioned on the profiles, being therefore ambiguous information (dominance and honesty) and characteristics that are mentioned on the profiles, being less ambiguous information (intelligence and aggressiveness). For this study we used a sample of 66 university students, who were presented descriptions of two crimes and criminal profiles of the respective suspects, as well as a set of faces of potential suspects for each crime. Participants had to assess, for each face, the likelihood that the person displayed had committed the crime described, the degree of adequacy of the profile to that person, the degree of usefulness of the profile to identify that particular suspect and the severity of the sentence that should be given to that person. We also analysed the general utility attributed to the profile for each crime. The results suggest that people evaluate the probability of an individual committing a particular crime according to the stereotypes that they have regarding the aggressor in this type of crime and that the interpretation of the profiles is biased according to those same stereotypes. Additionally, for the characteristics on which the profiles are ambiguous, but that are implicit in the stereotypes that exist about people who commit particular crimes, there was no influence of facial features. The participants attribute a high level of utility to the profiles for the criminal investigation, despite its high degree of ambiguity. These results may have important implications for the technique of profiling.
description: Mestrado em Psicologia Forense
URI: http://hdl.handle.net/10773/8208
appears in collectionsDE - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
247269.pdf555.61 kBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2