DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Teses de doutoramento >
 As línguas na Universidade de Aveiro: discursos e práticas
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/8112

title: As línguas na Universidade de Aveiro: discursos e práticas
authors: Pinto, Susana Maria Almeida
advisors: Araújo e Sá, M. H.
keywords: Multilinguismo
Política linguística - Europa
Ensino superior - Aveiro (Portugal)
Ensino de línguas
Relações universidade-sociedade
issue date: 2012
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Apoiado na convicção de que o plurilinguismo se constitui enquanto valor a promover e competência a desenvolver, podendo ser potenciado pelo desenvolvimento de políticas linguísticas (educativas) e que, nesse âmbito, as Instituições de Ensino Superior (IES) têm um importante papel a desempenhar, este estudo enquadra-se na intersecção e relação de inter-discursividade entre as áreas disciplinares da Didáctica do Plurilinguismo e das Políticas Linguísticas. Partindo desta convicção, delineámos um estudo de caso com a Universidade de Aveiro (UA), incidindo sobre os seus diferentes contextos de acção institucional - formação, investigação e interacção com a sociedade -, com o qual se pretendia: i) descrever práticas e discursos da comunidade universitária no que concerne à utilização das línguas e à promoção do plurilinguismo; ii) diagnosticar representações da comunidade universitária relativamente ao papel da instituição universidade na construção de uma sociedade plurilingue e pluricultural e iii) identificar possibilidades e potencialidades, constrangimentos e obstáculos da acção das IES no desenvolvimento de dinâmicas capazes de promover o plurilinguismo. Tendo em conta estes objectivos, o estudo apoia-se num tipo de investigação qualitativa, inserida num paradigma de natureza fenomenológicointerpretativa o que implicou a utilização de diferentes métodos e instrumentos para a recolha dos dados. Inicialmente foi levada a cabo uma recolha documental no âmbito dos contextos institucionais que nos propusemos analisar. Seguidamente, procedemos à realização de inquéritos por entrevista semi-estruturada com representantes dos órgãos de governo e coordenação da instituição e com responsáveis pelos diferentes contextos a observar. Por fim, auscultámos alunos e directores de curso através de inquéritos por questionário. À totalidade dos dados aplicámos uma análise de conteúdo de natureza categorial. As categorias de análise que construímos, emergentes do quadro teórico e da sua interacção com os dados, permitiram uma análise compreensiva e uma visão holística dos resultados. A análise dos dados mostra que, ao nível dos três contextos de acção institucional analisados e no âmbito das práticas e discursos, se nota uma tensão entre o que denominamos de “global” e “local”. Explicitando, ao nível da dimensão “global” verificamos que a língua inglesa assume um lugar de destaque o que se relaciona, essencialmente, com a importância conferida à estratégia de internacionalização das actividades formativas e investigativas e à forma como a UA se dá a conhecer ao exterior e, aí, as outras línguas (incluindo a língua portuguesa) são percepcionadas enquanto barreiras. Ao nível da dimensão mais “local”, sobressai uma preocupação com a valorização de outras línguas que: ao nível da formação poderão funcionar enquanto “trunfos diferenciadores” no mercado económico-profissional; ao nível da investigação poderão permitir exercer maior influência do conhecimento científico sobre o público-alvo (e aqui salienta-se o papel da língua portuguesa na investigação em educação); ao nível da interacção com a sociedade, poderão potenciar a construção de relacionamento intercultural, designadamente no interior do campus universitário. Estes dois pólos não são incompatíveis e é a conjugação dos dois que tem impulsionado o desenvolvimento de diversas iniciativas nos três contextos de acção institucional (por exemplo, a criação de Cursos Livres em variadas línguas, a participação em redes investigativas internacionais de excelência, a realização de actividades de fomento do contacto intercultural no campus), iniciativas estas que poderão concorrer de forma determinante para uma reflexão institucional acerca da importância das línguas e do plurilinguismo nas actividades universitárias. É com o objectivo de potenciar essa reflexão (-acção), e partindo dos nossos resultados, que traçamos, no final do estudo, alguns eixos transversais sobre as potencialidades da acção das IES no desenvolvimento de dinâmicas capazes de promover o plurilinguismo e políticas linguísticas de teor plurilingue, organizados em dois níveis: conceptualização da estratégia institucional e acção. No âmbito do primeiro eixo, apontamos para a necessidade de se desenvolver um locus de discussão e reflexão institucional acerca do plurilinguismo nas IES e de se potenciar a relação entre dimensão estratégica institucional e as línguas; no segundo nível – o da acção – invocamos a importância da exploração do plurilinguismo e da diversidade linguístico-cultural existente no campus e o valor do contexto da formação enquanto impulsor da promoção do plurilinguismo nas instituições universitárias.

Supported in the belief that plurilingualism is a value to be promoted and a competence to be developed and that it can be enhanced by the development of (educational) language policies and that, in this ambit, higher education institutions (HEIs) play an important role, this study builds upon the intersection and the relationship between the areas of Didactics of Plurilingualism and Language Policies. Relying on these beliefs we outlined a case study within the University of Aveiro (UA), focusing on its different institutional contexts - training, research and interaction with society - , aiming at: i) describing academic community practices and discourses regarding the use of languages and the promotion of plurilingualism; ii) diagnosing academic community representations about the institution’s role in the construction of a plurilingual and pluricultural society and iii) identifying opportunities and potentialities, as well as constraints and obstacles to the action of HEIs in the development of dynamics that may promote plurilingualism. Bearing these objectives in mind, the study relies on qualitative research, within a phenomenological-interpretative paradigm which involved the use of different methods and instruments for data collection. Initially, we carried out a documental collection within the institutional contexts. Afterwards we interviewed representatives of the institution management/coordination bodies and individuals in charge of the different contexts. Finally we inquired students and programme directors by means of a questionnaire. We applied categorical content analysis to the collected data. The categories of analysis, emerging from the relationship between the theoretical framework and the data, allowed a comprehensive analysis and a holistic view of data. Within the three analyzed institutional contexts and in the scope of practices and discourses, data analysis shows that there is a tension between the "global" and "local" approaches. In what the “global” dimension is concerned, we find that English takes a prominent role hat is related mainly with the importance given to the internationalization strategy of training and research activities and to the way UA is made known to international society. Thus, in this context, other languages (including Portuguese) are perceived as barriers. At the “local” dimension level, we notice a concern with the valuation of other languages that in training may operate as “differentiator assets” in the economic and professional market; in research may allow greater influence of scientific knowledge on the target audience (here we stress the role of Portuguese in educational research); at the level of interaction with society, those languages may enhance the construction of intercultural relationship, namely inside the campus. These two poles are not incompatible and it is the combination of the two that has driven the development of several initiatives in the three institutional contexts (for example, the creation of Evening Courses in many languages, the participation in excellent research international networks, the realization of activities that promote intercultural contact on campus). This kind of initiatives may compete to institutional reflection about the importance of languages and plurilingualism in university activities. It is with the objective of enhancing this reflection (-action), and building on our results, that at the end of the study we draw some transversal axes on the potential of HEIs in the development of dynamics capable of promoting multilingualism and plurilingual language policies. Those axes are organized into two levels: conceptualization of institutional strategy and action. Within the first one, we point to the need of developing an institutional locus of discussion and reflection about plurilingualism in HEIs and also the need to enhance the relationship between institutional strategic dimension and languages; within the second axis - action - we underline the importance of exploring plurilingualism and the linguistic diversity already existent on campus and we stress the role of training as a driving force to promote plurilingualism in higher education institutions.
description: Doutoramento em Didáctica e Formação
URI: http://hdl.handle.net/10773/8112
appears in collectionsUA - Teses de doutoramento
DE - Teses de doutoramento

files in this item

file description sizeformat
247487.pdf4.61 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2