DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Química > DQ - Dissertações de mestrado >
 Efeito da alta pressão em demolha de bacalhau e enzimas de cavala
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/7744

title: Efeito da alta pressão em demolha de bacalhau e enzimas de cavala
authors: Fidalgo, Liliana Gonçalves
advisors: Saraiva, Jorge Manuel Alexandre
Giraldo, Ivonne Delgadillo
keywords: Química dos alimentos
Bacalhau
Pressão hidrostática
issue date: 2011
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: Este trabalho teve como objetivo (a) acelerar o processo de demolha de bacalhau através da utilização da alta pressão; (b) estudar a variação da atividade enzimática, da proteína solúvel e pH durante a demolha de bacalhau à pressão atmosférica (0,1 MPa) e a duas temperaturas (4 e 20ºC); (c) estudar o efeito da alta pressão na atividade enzimática da cavala. Inicialmente verificou-se que o nível de vácuo, usado no embalamento não tem efeito no processo de demolha à pressão atmosférica (0,1 MPa) e sob pressão (200 MPa). Nos ensaios realizados para otimizar o processo de demolha, verificou-se que: (a) a aplicação de ciclos sucessivos de 5 minutos de demolha sob alta pressão a 200 MPa durante 5 minutos, com troca de água de demolha e com dois níveis de vácuo (55 e 85%), não melhora o processo de demolha, do ponto de vista da quantidade de sal e água difundidos; (b) a realização de uma demolha durante 30 minutos a 0,1 MPa, seguida de demolha durante 5 segundos/1 minuto a 200 MPa, após troca de água de demolha, não melhora o processo de demolha. Contudo, se após a primeira demolha, se se deixar a amostra a repousar durante 60 minutos, após a retirada da água de demolha, consegue-se obter uma redução de sal de 65% (comparativamente aos 35% obtidos na demolha apenas a 200 MPa), sendo esta uma via de otimização da demolha, que deve ser objeto de estudos mais aprofundados. Durante a demolha à pressão atmosférica, observou-se: a proteína solúvel diminui ao longo do tempo, concluindo-se que a perda se deve à solubilização das proteínas na água de demolha; um aumento do pH, mais acentuado a 20ºC do que a 4ºC; que a atividade das enzimas fosfatase ácida, catepsina B e catepsina D diminui ao longo do processo de demolha (sendo esta diminuição mais acentuada na demolha a 20ºC), enquanto que a atividade da lipase aumenta ao longo do processo, e de modo mais acentuado para a demolha a 20ºC. Finalmente, estudou-se o efeito de tratamentos por alta pressão na atividade enzimática da cavala, tendo como objetivo inativar enzimas que participam na degradação do músculo de peixe e reduzir a atividade destas mesmas enzimas ao longo do tempo de conservação em congelação. Conclui-se que tanto a pressão, o tempo de pressurização e o tempo de conservação têm um efeito na atividade enzimática do músculo de cavala. O efeito da alta pressão foi menos acentuado no caso da atividade da fosfatase ácida. Na catepsina B observou-se que existe tendência para diminuição da atividade para pressões superiores (450 MPa) para as amostras analisadas logo após a congelação (mês 0), observando-se um aumento com o aumento do tempo de conservação das amostras congeladas. Para a catepsina D observou-se que a 300 MPa a atividade da enzima aumenta, podendo este resultado ser devido à libertação da enzima dos lisossomas devido destruição destes pela pressão. Para a lipase observou-se um efeito mais pronunciado da pressão, ocorrendo uma diminuição maior da atividade a 450 MPa no mês 0, aumentando a atividade com tempo de conservação

The aim of this work was: (a) the use of high hydrostatic pressure to accelerate the desalting process of cod fish; (b) study the variation in enzyme activity, soluble protein and pH during the desalting process of cod fish at atmospheric pressure (0.1 MPa) and two temperatures (4 and 20ºC); (c) study the effect of high pressure on enzymatic activity of mackerel. Initially it was verified that the vacuum level, used for packaging had no effect on the desalting process at atmospheric pressure (0.1 MPa) and under pressure (200 MPa). In the trials carried out to optimize the desalting process, it was verified that: (a) the application of successive cycles of 5 minutes of desalting at 200 MPa, with water change and with two vacuum levels (55 and 85%), did not improve the desalting process, in terms of the amounts of diffused salt and water; (b) desalting for 30 minutes, followed by desalting for 5 seconds/1 minute at 200 Mpa, after water desalting change, yielded no significant improvements in the results. However,, but leaving the sample to stand for 60 minutes after the first desalting, it is possible to obtain a salt reduction of 65% (compared with 35% obtained in desalting only at 200 MPa). This possible process of desalting optimization should be subject of further studies. During the desalting of cod fish at 0.1 MPa, it was observed: that the soluble protein decreased with the desalting time, due to solubilization in the desalting water; an increase in pH, being this more pronounced at 20°C t han at 4°C; that the activity of the enzymes, acid phosphatase, cathepsin B and cathepsin D, decreased over time (being more pronounced for desalting at 20°C), while lipase activity increases throughout t he process, being more evident for desalting cod at 20°C . Finally, the effect of high-pressure treatments on the enzymatic activity of mackerel were studied, aiming to inactivate enzymes involved in the degradation of fish muscle, to reduce the activity of these enzymes during the frozen storage. It was possible to concluded that pressure, pressurization time, and storage time have aneffect on the enzymatic activity of mackerel muscle. The effect of high pressure was less pronounced in the case of acid phosphatase activity. For cathepsin B it was observed that there is a tendency to its activity to decrease for higher pressures (450 MPa) for samples analyzed immediately after freezing (month 0), being observed an increase along the storage time. For cathepsin D it was observed that at 300 MPa the activity increases, being this result attributed to the release of the enzyme from lysosomes due to its disruption by pressure. Lipase was more affected by pressure that a greater decrease of activity at 450 MPa at 0 months and the activity increased with storage time.
description: Mestrado em Bioquímica - Alimentar
URI: http://hdl.handle.net/10773/7744
appears in collectionsDQ - Dissertações de mestrado
UA - Dissertações de mestrado

files in this item

file description sizeformat
5801.pdf2.1 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2