DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Departamento de Educação > DE - Teses de doutoramento >
 Formando o cidadão desde o jardim-de-infância: o contributo das práticas de avaliação das aprendizagens dos educadores de infância em colaboração com a família
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/7632

title: Formando o cidadão desde o jardim-de-infância: o contributo das práticas de avaliação das aprendizagens dos educadores de infância em colaboração com a família
other titles: Educating the citizen from kindergarten: the contribution of early childhood educators' assessment practices in collaboration with the family
authors: Leal, Rita Alexandra Bettencourt
advisors: Costa, Nilza Maria Vilhena Nunes da
keywords: Educação pré-escolar
Educação das crianças
Desenvolvimento das crianças
Competências fundamentais
Relações escola-família
Desenvolvimento dos currículos
Formação de professores
Desenvolvimento profissional
Educadores de infância
issue date: 2011
publisher: Universidade de Aveiro
abstract: A presente investigação procura compreender o fenómeno complexo e dinâmico que é a avaliação das aprendizagens das crianças em colaboração com a família na Educação Pré-Escolar (EPE) como forma de potenciar o desenvolvimento de competências pelas crianças. Assim, e recorrendo a um estudo de caso com uma componente de investigação-acção, pretende-se (i) compreender as concepções e práticas de avaliação de aprendizagens na EPE desenvolvidas por um grupo de educadores de uma Instituição Privada de Solidariedade Social da região centro do país e (ii) potenciar, através de formação em contexto que contemple o desenvolvimento de estratégias inerentes a uma avaliação das aprendizagens em colaboração com a família das crianças, o desenvolvimento profissional dos educadores de infância neste âmbito, proporcionando experiências educativas que levem as crianças a desenvolver um conjunto de competências inerentes à nova natureza dos saberes básicos de todos os cidadãos do séc. XXI. Tomando como ideias base da investigação a concepção (i) da criança enquanto cidadão (Prout, 2005; Vasconcelos, 2009) e (ii) da família enquanto primeira e principal educadora das crianças (Steves, Hough & Nurs, 2002), a investigação foi desenvolvida em quatro fases: Fase I – Formulação de um referencial de competências para a EPE inerentes à nova natureza dos saberes básicos do séc. XXI e seu processo de transferibilidade e credibilidade; Fase II – Diagnóstico das concepções dos participantes da investigação sobre avaliação das aprendizagens na EPE e colaboração Instituição/Família; Fase III – Construção e implementação de um programa de formação para educadores de infância; Fase IV – Avaliação do impacte do programa de formação nas concepções e práticas de avaliação das aprendizagens dos educadores de infância. A fase I centra-se na formulação de um referencial de competências transversais para a EPE inerentes à nova natureza dos saberes básicos do séc. XXI (Cachapuz, Sá-Chaves & Paixão, 2004) e no seu processo de transferibilidade e credibilidade através da reflexão/discussão do respectivo referencial com um painel de especialistas e profissionais. Identificaram-se quatro competências transversais a serem desenvolvidas pelas crianças centradas nas dimensões do aprender a aprender, aprender a comunicar e a expressar-se, aprender a ser e estar e aprender a reflectir. A fase II incide no diagnóstico das concepções de avaliação das aprendizagens na EPE e de colaboração Instituição/Família dos 6 educadores de infância, 17 pais e 17 crianças participantes no estudo, recorrendo a entrevistas, à análise documental e à observação de práticas. A análise dos dados recolhidos demonstra que é necessário recuperar um verdadeiro discurso didáctico e educativo da avaliação das aprendizagens, deixando de a conceber como sinónimo de medida e de objectividade e melhorando as práticas de avaliação de VII modo a potenciar o desenvolvimento de competências pelas crianças. A fase III preenche-se na construção e implementação de um programa de formação, creditado e correspondente a 50 horas, para educadores de infância sobre avaliação de competências na EPE em colaboração com a família. O programa de formação foi desenvolvido a partir (i) das concepções diagnosticadas, (ii) dos indicadores da investigação em formação contínua e em avaliação na EPE e (iii) de um modelo de desenvolvimento profissional baseado na reflexão, na observação e supervisão e na investigação-acção (Shön, 1992; Alarcão, 2000; Roldão, 2008; Cadório & Simão, 2011). Os indicadores obtidos demonstram que o programa de formação contribuiu para o enriquecimento profissional dos formandos ao nível da (re)construção de conhecimento, da reflexão constante e colaborativa sobre as práticas de avaliação, da mudança de atitudes e práticas de avaliação das aprendizagens e na compreensão mais profunda da complexidade, diversidade e necessidade de cada criança. Além disso, os indicadores obtidos também evidenciam a importância de uma avaliação das aprendizagens em colaboração com os pais das crianças para o desenvolvimento progressivo das competências transversais para a EPE e, consequentemente, para a obtenção de sucesso educativo. A fase IV consiste na avaliação do impacte do programa de formação nas concepções e práticas avaliativas dos educadores de infância através de, à semelhança da fase II, entrevistas aos 6 educadores de infância, aos 17 pais e às 17 crianças, à análise documental e à observação de práticas. Os resultados obtidos demonstram que o programa de formação teve impacte nas práticas de avaliação das aprendizagens a nível micro (decisões no interior da sala de actividades) e, mais reduzido, a nível meso (decisões a nível institucional). Os educadores de infância integraram nas suas práticas pedagógicas algumas estratégias avaliativas implementadas durante o programa de formação, consciencializando-se da importância da avaliação na EPE se centrar em procedimentos descritivos com enfoque na actividade da criança e na documentação e registo do trabalho realizado no dia-a-dia e do desenvolvimento de competências de cada criança (Gaustad, 1996; Parente, 2002). Contudo, e no que se refere à colaboração dos pais no processo de avaliação das aprendizagens das crianças, o programa de formação não proporcionou qualquer impacte nas práticas avaliativas dos educadores de infância. Apesar dos discursos transparecerem uma consciencialização da importância da família participar e influenciar a tomada de decisões ao longo do processo de avaliação das aprendizagens (Oliveira-Formosinho & Araújo, 2004), não foram tomadas medidas de mudança de práticas neste sentido, permanecendo os pais das crianças como sujeitos passivos neste processo. Uma visão integradora sobre os resultados obtidos ao longo da presente investigação revela a necessidade de se continuar a investigar e a construir novos caminhos na formação contínua dos educadores de infância de modo a recuperar um verdadeiro discurso educativo da avaliação das aprendizagens com impacte nas práticas pedagógicas e onde a família das crianças surja como parceira num trabalho a desenvolver colaborativamente.

This research seeks to understand the complex and dynamic phenomenon of the learning assessment of children in collaboration with the family in Preschool Education (PE) as a mean of improving the development of competences in children. Using a case study with a research-action component, the aims of the research are (i) to understand the conceptions and practices of learning assessment in PE conducted by a group of early childhood educators at a Private Institution in central Portugal and (ii) to improve the professional development of the early childhood educators in this area, through a contextualized educational programme which considers the development of strategies for the assessment of learning in collaboration with the children’s families and providing educational experiences which lead the children to develop competences inherent to the new nature of basic knowledge of all citizens in the XXI century. Taking as fundamental research ideas the notion (i) of the child as a citizen (Prout, 2005; Vasconcelos, 2009) and (ii) of the family as the first and main educator of children (Steves, Hough & Nurs, 2002), the research was conducted in four phases: Phase I – Establishing of a referential for PE competences inherent to the new nature of basic knowledge for the XXI century and the respective transferability and credibility process. Phase II – Diagnosis of the conceptions of the participants in the research about assessment of PE learning and Institution/Family collaboration. Phase III – Construction and implementation of a educational programme for early childhood educators. Phase IV – Evaluation of the impact of the educational programme on the assessment conceptions and practices of the early childhood educators. Phase I focuses on the establishing of a referential for transversal competences for PE inherent to the new nature of basic knowledge for the XXI century (Cachapuz, Sá-Chaves & Paixão, 2004) and the respective transferability and credibility process through the analysis/discussion of the referential with a panel of specialists and professionals. Four transversal competences were identified for development by the children, centred on the aspects of learning to learn, learning to communicate and express themselves, learning to be and to act and learning to reflect. Phase II concentrates on the diagnosis of the conceptions of learning assessment in PE and the Institution/Family collaboration of the 6 early childhood educators, 17 parents and 17 children taking part in the study, while employing interviews, documentary analysis and the observation of practices. The analysis of data shows that a true didactic and educational approach to learning assessment needs to be re-established. Learning assessment should not be regarded as a synonym of measurement and objectivity and assessment practices must be improved in order to promote the development of competences in children. IX Phase III deals with the construction and implementation of a credit educational programme for early childhood educators involving 50 hours on the assessment of competences in PE in collaboration with the family. The educational programme was developed based on (i) the conceptions diagnosed, (ii) the research indicators in continuous training and in PE assessment and (iii) on a professional development model based on analysis, observation and supervision and research-action (Shön, 1992; Alarcão, 2000; Roldão, 2008; Cadório & Simão, 2011). The indicators obtained demonstrate that the educational programme contributed to the professional development of the early childhood educators with regard to the (re)construction of knowledge, ongoing and collaborative analysis on assessment practices, a change of attitudes and practices relating to learning assessment and in a deeper understanding of the complexity, diversity and needs of each child. Moreover, the indicators obtained also show the importance of learning assessment in collaboration with the children’s parents for the progressive development of the transversal competences for PE and, consequently, the achievement of educational success. Phase IV consists of the evaluation of the impact of the educational programme on the assessment practices of the early childhood educators through, in a similar manner to phase II, interviews of the 6 early childhood educators, the 17 parents and 17 children, documental analysis and the observation of practices. The results obtained reveal that the educational programme impacted on the learning assessment practices at a micro level (decisions made in the activities room) and, to a lesser extent, at a meso level (decisions made within the institution). The early childhood educators integrated into their pedagogical practices a number of assessment strategies implemented during the educational programme, creating an awareness of the importance of centring PE assessment on descriptive procedures focusing on (i) the child’s activity and on the documentation and recording of work carried out on a day-to-day basis and (ii) the development of competences of each child (Gaustad, 1996; Parente, 2002). However, and with regard to the collaboration of the parents in the children’s learning assessment processes, the educational programme did not have any impact on the assessment practices of the early childhood educators. Although the early childhood educators displayed an awareness of the importance of the family participating in and influencing the decisions made throughout the learning assessment process (Oliveira-Formosinho & Araújo, 2004), no steps were taken to change practices, and the children’s parents continued to be passive subjects. A comprehensive view of the results obtained throughout this research shows the need for continued research to build new paths in the continuous training of early childhood educators so as to re-establish a true educational approach in learning assessment with impact on pedagogical practices and where the children’s families act as a partner in work to be carried out in collaboration.
description: Doutoramento em Didáctica e Formação
URI: http://hdl.handle.net/10773/7632
appears in collectionsUA - Teses de doutoramento
DE - Teses de doutoramento

files in this item

file description sizeformat
246125.pdf6.39 MBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2