DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Instituto Superior de Contabilidade e Administração > ISCA - Comunicações >
 O Efeito transacção de Futuros na volatilidade do mercado à vista: evidência no mercado português
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/7199

title: O Efeito transacção de Futuros na volatilidade do mercado à vista: evidência no mercado português
authors: Vieira, Elisabete Fátima Simões
Santos, Joaquim Alberto Neiva dos
keywords: Mercado de futuros
Volatilidade
Mercado à vista
issue date: 26-Sep-2001
publisher: AECA
abstract: O sucesso do mercado de derivados impulsionou a investigação neste domínio, nomeadamente no que diz respeito à tentativa de estudo de possíveis influências entre este mercado e os respectivos activos subjacentes. De entre os vários tipos de influências já analisadas na literatura financeira dos últimos anos, destacamos a influência que se poderá fazer sentir na variabilidade dos preços dos activos transaccionados no mercado á vista, pelo facto de se começar a negociar derivados sobre esses mesmos activos. De facto, uma das críticas mais pertinentes que se têm feito sentir relativamente aos futuros, prende-se com a ideia de que a negociação destes produtos veio trazer volatilidade ao mercado à vista. A influência dos derivados no mundo das finanças empresariais tem vindo a ser analisada, tanto no que diz respeito a análises teóricas, como no que diz respeito a aplicações empíricas, surgindo trabalhos que evidenciam um efeito desestabilizador da negociação de futuros nos preços do mercado à vista, enquanto outros caminham em sentido contrário. Este estudo pretende analisar o impacte que o início da transacção de futuros possa ter na volatilidade dos preços dos respectivos activos subjacentes, tendo sido utilizado para a evidência empírica os futuros sobre acções e sobre o índice bolsista PSI-20, transaccionados na Bolsa de Derivados do Porto (BDP). A base de dados é composta pelos preços diários e volume de transacção dos respectivos activos, cobrindo, em regra, um período de dois anos, um ano antes e um após o início da negociação dos respectivos contratos de futuros. A aplicação empírica levada a cabo teve como base a análise da variância de preços e do volume de transacção, antes e após o início da transacção dos futuros. Os resultados sugerem que, para as acções, não existe um aumento significativo da volatilidade dos activos no mercado à vista, provocada pelo início da negociação de futuros. Contudo, no que respeita ao índice PSI-20, o aumento da volatilidade é estatisticamente significativo. Quando analisamos se o volume de transacção pode reflectir o impacte do início da negociação dos respectivos futuros, concluímos que, em termos globais, o início da transacção de futuros sobre acções não teve impacte significativo no volume de transacção dos respectivos activos de base.
URI: http://hdl.handle.net/10773/7199
source: XI Congreso AECA – “Empresa, Euro y Nueva Economia”
appears in collectionsISCA - Comunicações

files in this item

file description sizeformat
2001-11-O Efeito da Transacao de Futuros na volatilidade do Mercado a vista- Evidencia em PT.pdfEfeitoFuturos71.09 kBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2