DSpace
 
  Repositório Institucional da Universidade de Aveiro > Escola Superior de Saúde > ESS - Comunicações >
 CIF: Metodologias de Avaliação
Please use this identifier to cite or link to this item http://hdl.handle.net/10773/6893

title: CIF: Metodologias de Avaliação
authors: Amaro, A
Queirós, A
Silva, A
Pires, E
Alvarelhão, J
Lains, J
Rocha, N
issue date: 2010
publisher: SPMFR
abstract: A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF), publicada pela OMS em 2001, tem como objectivos gerais proporcionar uma linguagem unificada e padronizada e uma estrutura de trabalho para a descrição da saúde e de estados relacionados com a saúde. A CIF é uma ferramenta com grande potencial, mas apresenta alguma complexidade de utilização e ainda a limitação de não possuir metodologias de avaliação padronizadas. A presente comunicação compõe-se de quatro partes que visam contextualizar a CIF e identificar algumas questões que é necessário aprofundar. Na primeira, Modelos Históricos, faz-se uma resenha histórica da evolução dos modelos explicativos do conceito de incapacidade e dos conceitos associados à CIF. Na segunda, Problemas na Utilização da CIF, elencamos um conjunto de dificuldades que é premente resolver. Na terceira parte, Estratégias de Medição, referem-se algumas estratégias utilizadas na operacionalização da CIF. Finalmente, na última parte, Contributos para um Modelo de Avaliação, apresenta-se o trabalho dos autores no âmbito da medição de acordo com a CIF. i) Modelos Históricos: - Evolução dos indicadores de saúde, dos modelos de avaliação das consequências dos problemas de saúde, dos conceitos de incapacidade, de desvantagem e da avaliação da funcionalidade (do modelo hierárquico ao modelo CIF). ii) Problemas na Utilização da CIF - Inexistência de instrumentos de medição padronizados. - Não normalização da terminologia relacionada com as condições de saúde. - Inexistência de transposição automática do registo clínico para a codificação CIF. - Dificuldades na valorização dos factores contextuais: a influência dos factores pessoais não está contemplada e ainda está pouco desenvolvido o estudo dos factores ambientais e do seu impacto no desempenho da pessoa. - Dificuldade no tratamento dos resultados obtidos. iii) Estratégias de Medição - Mapeamento de instrumentos já existentes com as categorias da CIF. - Desenvolvimento de core sets (categorias significativas) contendo qualificadores por observação, entrevista e consulta do processo clínico. - Desenvolvimento de instrumentos específicos por patologia ou por áreas da CIF. iv) Contributos para um Modelo de Avaliação - Critérios de avaliação que englobam três componentes para a definição do nível de codificação (0 a 4) tal como proposto na CIF: o grau (i.e. a intensidade); a interferência na vida diária; o número de dias que esteve presente nos últimos trinta dias. - Construção do padrão diário de actividades da pessoa, englobando diferentes grupos de ocupação para minimizar o erro na decisão do nível de codificação. - Definição de perguntas-chave para cada categoria, baseadas na descrição da CIF. - Tratamento consistente e normalizado de resultados. - Validação desta nova metodologia que pode servir as várias categorias da CIF (funções e estruturas do corpo, actividades e participação, e factores ambientais).
URI: http://hdl.handle.net/10773/6893
publisher version/DOI: http://www.spmfr.org
source: XI Congresso da SPMFR
appears in collectionsESS - Comunicações

files in this item

file description sizeformat
SPMFR_resumo_de_palestra.pdf39.61 kBAdobe PDFview/open
statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! RCAAP OpenAIRE DeGóis
ria-repositorio@ua.pt - Copyright ©   Universidade de Aveiro - RIA Statistics - Powered by MIT's DSpace software, Version 1.6.2